Uma viagem pelo Recife

08 julho 2013 | deixe seu comentário (0)

bolo de rolo

A guloseima mais cobiçada da culinária recifense se chama bolo de rolo. Parece um rocambole, mas os pernambucanos ficam bravos com tal comparação, já que o sabor e a história são completamente distintas. Enquanto o rocambole tem origem francesa, o bolo de rolo deriva do colchão de noiva, doce tradicional da região de Tavira, ao sul de Portugal. Ao chegarem aqui, os lusos trocaram o original recheio creme de amêndoas pelo de goiaba, fruta abundante no nordeste brasileiro, sempre dosada com muito açúcar.

Durante muitas décadas essa sobremesa ficou restrita aos senhores de engenho ou ainda, aos salões nobres do governo. Com o tempo a receita foi ganhando as cozinhas mais simples, além de prateleiras das padarias, docerias e cafés. Tornou-se um ícone da gastronomia local, reconhecido como patrimônio cultural e imaterial de Pernambuco, em 2007.

É servido sempre aos visitantes como uma forma de amizade ou agradecimento. Até o Papa João Paulo II, em sua visita ao Recife em 1980, provou uma fatia do bolo. E aprovou. Para experimentar essa delícia nordestina, você não precisa nem sair de Beagá. Na Padaria Gran Vitoria, é possível encontrá-la em três versões: a tradicional com goiabada ou ainda, recheado com doce de leite ou chocolate. “Meus pais trouxeram a receita depois de uma visita ao Recife”, conta a proprietária Luiza Carneiro. Normalmente o quitute sai às terças, quintas, sábados e domingos a partir das 14h e custa 31,90 reais, o quilo.

Se você ficou curioso e adora cozinhar, o blog Moça de Padaria vai dar a receita durante a semana. Fique de olho.

Onde encontrar:
Padaria Gran Vitoria. Avenida Afonso Pena, 4270, Mangabeiras, 3221 0077.www.padariagranvitoria.com.br

Tags: | | | | | Publicado em: Doces | Histórias de fogão