Noite

Para aquecer o inverno

Contra as temperaturas mais baixas, bares apostam em drinques especiais

por João Renato Faria | 04/07/2012 17:55

Odin
O barman Conrado Salazar, do Orizontino: mistura à base de bourbon para ser degustada a dois

Clássico das quermesses de junho, o quentão não chegou aos bares, mas o calorzinho que ele provoca no peito serviu de inspiração para drinques especiais de inverno incorporados aos cardápios em vários endereços da cidade. Nas receitas criadas por barmen, a cachaça deu lugar a diferentes bebidas alcoólicas e o gengibre, às frutas. Já o gostinho de cravo e canela foi mantido em muitas das combinações feitas sob medida para a estação mais fria do ano, como o drinque julho, do Estúdio da Carne, no Funcionários. Lá, as duas especiarias foram misturadas à vodca, ao abacaxi e ao manjericão. O sabor é diferentão, mas aquece de verdade.

No Bombshell, na Savassi, a sugestão é o luz del fuego, que combina tequila, licor de laranja e bourbon (uísque americano). A canela fica na borda, acrescida de açúcar e curry em pó. "São ingredientes fortes que animam rápido", diz um dos donos do lugar, João Augusto. O bourbon também está presente na invenção do Orizontino, na Savassi. Criado pelo barman Conrado Salazar, o alba coffee leva ainda morango, suco de limão, creme e uma redução de mexerica com açúcar mascavo. O café no nome fica por conta só da apresentação. "Parece algo saído de uma cafeteria, e não de um bar", afirma Salazar. "É um drinque gostoso para beber a dois."

No Mambo, que também fica na Savassi, o rum é a base da receita especial de inverno, o daiquiri moreira. O barman Edgard Sales escolheu uma das frutas da estação, a amora, para temperar a bebida e acrescentou suco de limão-siciliano para dar um toque tropical. "O gosto na boca é refrescante, o que deixa as pessoas com saudade do verão", conta Edgard Sales. "Mas a sensação final é de aquecimento."

Outro clássico do inverno, o choconhaque serviu de inspiração para a receita incrementada de Cláudio Antônio, do Obardô, no Santa Tereza. O jack bardô é feito de bourbon, cassis e licor de cacau, além de conhaque, e uma dose generosa de ganache de chocolate meio amargo. "É um drinque mais escuro e mais quente do que o choconhaque", explica. Nem todas as criações se inspiram em coquetéis clássicos. Comandado pela ex-BBB Analice Souza, o Oliver Art Bar aposta no sucesso da sua dinamite pangaláctica. O nome é uma referência à série de livros O Guia do Mochileiro das Galáxias, do escritor inglês Douglas Adams. Mistura de várias bebidas, entre elas tequila, gim e absinto, o drinque tem um toque de pimenta tabasco. "Tentei reproduzir a sensação que o autor descreve, de ter a cabeça esmagada por um limão envolto em barra de ouro", explica Analice. A receita do Oliver Art Bar é inusitada também no modo de apreciar. São quatro doses, que devem ser ingeridas em sequência, começando pela mais amarga. A segunda é doce e a terceira, apimentada. Para fechar, um shot adocicado, que é servido pegando fogo. É de espantar frio até no Alasca.



Receitas
Aprenda a preparar um Winterdrink
Aprenda a preparar um Dinamite Pangaláctica
Aprenda a preparar um Jack Bardô
Aprenda a preparar um Julho

Aprenda a preparar um Alba Coffee

Aprenda a preparar um Luz del fuego

Aprenda a preparar um Daiquiri Moreira



Comentários
BUSCAR