Histórias da cidade

Histórias da cidade

por Cedê Silva | 17/08/2012 11:27

Odin
Bandeiras são agitadas na Praça da Savassi e obstáculos atrapalham a passagem de pedestres na Avenida Getúlio Vargas: a campanha começou

Eleitores vigilantes
Começou a temporada de caça aos votos e, com ela, a caça às irregularidades. Desde o início da campanha, em 6 de julho, até a última quinta (16), o Tribunal Regional Eleitoral recebeu 554 denúncias de propaganda irregular nas ruas e na internet. Placas, cartazes e cavaletes em locais proibidos lideram o ranking das reclamações, com 233 registros. Pelas regras, os cavaletes podem ser exibidos entre 6 e 22 horas, mas não devem atrapalhar o fluxo de pedestres. A multa para quem deixa a peça em local inadequado (como no detalhe abaixo) chega a 30 000 reais. Eleitores vigilantes podem contribuir para a fiscalização registrando a denúncia no www.tre-mg.jus.br. Três candidatos já foram autuados.





Divulgação
O número 1
O Colégio Militar de Belo Horizonte (CMBH) é a melhor escola pública de ensino médio do estado, segundo o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2011, divulgado nesta semana. Com nota 7,2, o CMBH é o sétimo no ranking nacional. Em funcionamento desde 1960, na Pampulha, o colégio tem 700 alunos, filhos de militares e civis. Para garantir uma vaga, é preciso ser aprovado no disputado processo de seleção. As inscrições para o "vestibulinho" deste ano ainda não foram abertas.





Reprodução
Passeio virtual no interior
Para quem vive por aqui, mas é do interior, uma boa notícia: desde a última terça (14), há mais quatro cidades mineiras entre as localidades brasileiras no Street View, ferramenta do Google que permite um passeio virtual. Sem sair de casa, será possível "andar" por Araguari e Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e Muriaé e Juiz de Fora, na Zona da Mata. A imagem abaixo é da Rua Barão do Rio Branco, muito conhecida pelos juiz-forenses. O Google não divulga quantos municípios de Minas já estão registrados, mas informa que vai continuar ampliando a cobertura.





Arquivo Público de Belo Horizonte
Memória
Um dos mais extensos e antigos corredores da cidade, a Avenida Amazonas, que liga o Centro à Cidade Industrial, tornou-se também um dos dez mais movimentados. Passam por lá, hoje, 60 000 veículos por dia. O primeiro registro de seu traçado original, que ia da Praça Rui Barbosa ao cruzamento com a Avenida do Contorno, na região do Barro Preto, está em uma planta da nova capital feita pelo engenheiro Aarão Reis e datada de 1895, dois anos antes da inauguração. Na década de 30, a via passou por sua primeira grande obra de ampliação e chegou até a região do Barroca. Nos anos 40, ela chegou à Gameleira. Na foto ao lado, de 1965, a avenida já tinha seus 10 quilômetros atuais. Em 2008, o quarteirão inicial entre as ruas da Bahia e Espírito Santo passou por uma reforma, que valorizou suas históricas palmeiras.



Comentários
[an error occurred while processing this directive]
BUSCAR