Comportamento

Inverno aumenta a procura por cursos e degustações de vinhos

Casas de Belo Horizonte oferecem informação diversificada para quem quer entender mais sobre a bebida

por João Renato Faria | 18/07/2012 18:02

Odin
O sommelier da Enoteca Decanter, Nelton Fagundes: 1 000 alunos no último ano

 

Vinho e inverno têm tudo a ver. O friozinho aconchegante típico da estação faz crescer o interesse pela bebida produzida a partir da fermentação do sumo da uva. Em muitas das casas especializadas da cidade, há filas de espera por cursos e degustações. As opções vão de aulas compactas e gratuitas a sofisticados encontros com a presença de chefs e representantes de renomadas vinícolas. A Casa Rio Verde, que tem oito unidades espalhadas por BH e costuma promover cursos de iniciação ao mundo do vinho uma vez por mês, dobrou a oferta. “Quando chega o inverno, passamos a ter aulas a cada quinze dias”, conta o sommelier Renato Pinhal. “Nossa proposta é desmistificar a bebida e dar uma base para quem se interessa pelo assunto.” A bióloga belo-horizontina Carolina Pessanha, que atualmente mora na Suíça e está passando férias aqui, é uma de suas alunas. “Moro perto de várias regiões produtoras e costumo visitar algumas vinícolas, mas queria entender melhor o que tenho visto nesses lugares”, diz.

Inscrita na mesma turma, a executiva Lígia Rezende quer aprender sobre a bebida por motivos de saúde. Diagnos­ticada como celíaca há dois anos, ela precisou tirar do cardápio os alimentos que contêm glúten e descobriu nos vinhos uma boa alternativa à cervejinha que costumava dividir com os amigos. “Dá para socializar muito bem com os vinhos, e resolvi aprender mais para harmonizar meus jantares”, afirma. A associação com a alta gastronomia é o chamariz de muitos dos encontros da cidade. Lo­­calizada na Savassi, a Enoteca Decanter organiza aos sábados um almoço em que são servidos quatro pratos acompanhados de quatro rótulos, sob o comando de um chef convidado. “O número de interessados tem sido maior do que esperávamos”, diz Nelton Fa­­gundes, o sommelier da casa. Para os cursos de degustação, que são oferecidos uma vez por mês para turmas de até vinte alunos, há filas de espera. “A história do vinho carrega conteúdo e cultura”, afirma Fagundes, que estima ter recebido, no último ano, cerca de 1 000 pessoas em busca de formação no estabelecimento.

Mesmo em endereços mais informais, a procura pelas degustações é a mesma. Na Casa do Vinho Família Martini, no Centro, o grande sucesso é um teste às cegas realizado aos sábados, sempre com os rótulos mais consumidos pelos clientes. Os presentes provam algumas taças e depois debatem sobre as características de cada uma. A loja Royal, com unidades no Mercado Distrital do Cruzeiro e na Avenida Prudente de Morais, no Santo Antonio, também oferece degustações aos sábados. São pelo menos quatro rótulos por sessão. “Já chegamos a ter quase 100 pessoas aqui dentro”, conta o sommelier Antônio Guido. Já no Serviço Nacional do Comércio (Senac), o curso de vinte horas desperta tanto o interesse de apreciadores quanto de jovens que querem trabalhar com vinho em casas especializadas ou restaurantes.

Animadas pelo interesse em alta, as distribuidoras da cidade andam reforçando os estoques. Durante os meses de inverno, as vendas costumam crescer entre 20% e 30%. “Abrimos nossa loja às vésperas da estação, apostando no aumento do consumo”, afirma Guilherme Henriques, sócio da Vintage Vinhos Express, que funciona desde maio na Avenida Bandeirantes, no Sion. Segundo dados da Associação Brasileira de Importadores e Exportadores de Bebidas e Alimentos, o mercado de vinhos cresceu 11% em 2011 em comparação com o ano anterior. Estima-se que existam cerca de 29 000 rótulos do mundo inteiro sendo comercializados no país, o que mostra que os brasileiros se tornaram mesmo fãs da bebida. O consumo per capita por aqui é hoje de 1,9 litro por ano. Estamos, porém, muito distantes do padrão de consumo per capita na França ou na Itália, que chega a 30 litros por ano.



Para Entender - ou apenas se divertir


Casa do Vinho Família Martini
Degustações gratuitas e testes às cegas, com explicações de um sommelier sobre os rótulos apresentados.
Grátis.
Quando:
todos os sábados.
Avenida Bias Fortes, 1543, Centro, ☎ 3337-7177; Avenida Bandeirantes, 504, Sion, ☎ 3286-7891.

Casa Rio Verde
Cursos de iniciação ao vinho, com degustação de nove rótulos e noções sobre harmonização e serviços, com carga horária de nove horas.
R$ 250,00.
Quando:
23, 24 e 25 de julho.
Praça Marília de Dirceu, 104, Lourdes, ☎ 3224-2611.

Enoteca Decanter
Os chefs convidados criam almoços harmonizando quatro pratos com diferentes rótulos.
Em agosto, devem ser programadas aulas de degustação com o sommelier Nelton Fagundes.
De R$ 80,00 a R$ 700,00. (o preço varia de acordo com os vinhos consumidos).
Quando: sábados.
Rua Fernandes Tourinho, 530, Savassi, ☎ 3287-3618.

Mistral
Cursos comandados pelo professor Márcio Oliveira, no qual são provados seis rótulos.
R$ 300,00.
Quando:
dias 14 e 21 de agosto.
Rua Cláudio Manoel, 723, Savassi, ☎ 3115-2100.

Outono 81
Os encontros mensais recebem até 34 pessoas. Comandados pela sommelière Viviane Oliveira, contam com a prova de receitas harmonizadas.
De R$ 125,00 a R$ 185,00.
Quando:
agosto (data a ser definida).
Rua Outono, 31, Carmo, ☎ 3227-3009.

Pizza Sur
Sessões de degustação com enólogos franceses, argentinos e chilenos. No mês que vem, a vinícola franco-chilena Baron Philippe de Rothschild será a convidada.
R$ 65,00.
Quando:
14 de agosto.
Rua Paraíba, 845, Savassi, ☎ 3261-6861.

Royal Vinhos
Degustação com a prova de pelo menos quatro rótulos por sessão.
Grátis.
Quando:
todos os sábados.
Rua Ouro Fino, 452, lojas 22 e 23, Mercado Distrital do Cruzeiro, ☎ 3281-3539; e Avenida Prudente de Morais, 513, loja 7, ☎ 3466-2588.

Senac
O curso de vinte horas é procurado por jovens e tem ênfase na profissionalização para o mercado de vinhos.
R$ 390,00.
Quando:
entre 6 e 10 de agosto.
Rua Tupinambás, 1038, Centro, ☎ 0800 7244440.



Comentários
[an error occurred while processing this directive]
BUSCAR