Música

Badalado Estudio 304 muda para Minas e abre espaço para a novos artistas

Depois de 37 anos fora de casa, o produtor belo-horizontino Chico Neves transfere seu estúdio do Rio de Janeiro para Nova Lima

Por: Glória Tupinambás

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Os microfones, as guitarras e as baterias do Estudio 304 sempre foram acostumados à presença de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Herbert Vianna, Lenine, Arnaldo Antunes, Milton Nascimento... Mas os equipamentos e as estrelas da música agora dividem espaço com o novo rei do pedaço: Theo. Aos 3 anos de idade, ele tem carta branca para interromper gravações, apertar qualquer botão na mesa de som e desplugar fios. “Aqui o Theo pode tudo”, vai logo avisando o pai coruja, Chico Neves. Afinal de contas, é o filho — cuja saúde se adaptou melhor ao clima das montanhas — o grande responsável pela mudança de Neves, um dos mais renomados produtores musicais do país, do Rio de Janeiro para Minas Gerais. Depois de 37 anos fora de casa, o belo-­horizontino trouxe para um condomínio em Nova Lima, na região metropolitana, o seu badalado estúdio. O novo espaço herdou o nome 304, em referência ao antigo endereço do apartamento no Jardim Botânico, onde a oficina de gravação funcionou desde a década de 1980.

Cercado pelo verde e com uma cesta de pão de queijo sobre a mesa, Neves já recebeu Arnaldo Antunes, Dado Villa-­Lobos, Daniel Jobim e Moraes Moreira com o filho Davi. Herbert Vianna veio duas vezes e deve voltar outras muitas até dezembro para produzir seu novo disco. Mas a menina dos olhos de Neves são os jovens talentos mineiros. “Quero abrir os microfones para a nova cena musical do estado, que é fantástica”, diz. As bandas Todos os Caetanos do Mundo e Falcatrua produziram no 304 os seus últimos CDs. Durante o feriadão de 21 de abril, Luiza Brina, José Luis Braga e os demais integrantes do Graveola e o Lixo Polifônico estarão confinados no estúdio para criar o álbum comemorativo dos dez anos de sua carreira. “Chico Neves reúne a música independente às melhores possibilidades de gravação”, afirma Braga. Até o fim do ano, ele deve se mudar com a família e o estúdio para um sítio mais amplo no distrito de Macacos, também em Nova Lima. Pelo visto, a boa música deve não apenas ecoar, mas também fixar raízes nas montanhas de Minas.     

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE