Especial

Belo-horizontinos de 2013: Fábio Maciel

O capitão do Cruzeiro, titular do time há quase uma década, foi considerado o melhor goleiro do Brasileirão

Por: Thiago Alves - Atualizado em

Victor Schwaner/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

Na noite da última segunda (9), Fábio Deivson Lopes Maciel, de 33 anos, recebeu o troféu de melhor goleiro do Campeonato Brasileiro, eleito pela Con­­federação Brasileira de Futebol (CBF). Horas antes, o arqueiro do campeão Cruzeiro já havia recebido o mesmo prêmio da revista PLACAR, editada pelo Grupo Abril, que também publica VEJA BH. Pai coruja da extrovertida Valentina (na foto), de 2 anos, e do tímido Flávio, de 9, Fábio atribui aos céus o bom momento vivido sob o travessão. "Deus está no comando da minha vida", afirma. Evangélico fervoroso, o capitão elástico - como é chamado pelos companheiros - frequenta duas vezes por semana a Igreja Batista Getsêmani, na Pampulha. "Ele é a ovelha que todos querem ter em seu rebanho", diz o pastor Jorge Linhares.

Mas nem sempre o craque, de 1,88 metro, foi um homem religioso. A conversão do mato-grossense de Nobres ocorreu em 2007, após a final do Campeonato Mineiro, vencida pelo Atlético. Aos 44 minutos do segundo tempo, com um placar de 3 a 0 a favor do rival, sofreu um gol quando estava de costas para o campo. "Foi o pior jogo da minha carreira", lembra. "Depois, ficou difícil sair de casa." Os cruzeirenses não perdoaram e os atleticanos aproveitaram. Titular da equipe celeste desde 2005, Fábio conseguiu fazer as pazes com a torcida graças às atuações seguras que vem tendo dentro de campo desde 2008. O goleiro é hoje considerado um dos grandes ídolos do clube. Só falta ser lembrado pelo técnico Felipão para a seleção brasileira. "Ainda não perdi a fé", avisa.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE