Decoração

Na Casa Cor Minas, 49 arquitetos propõem releitura do estilo consagrado por Niemeyer

O charme das curvas está na 19ª edição do evento, na Pampulha

Por: Ivana Moreira - Atualizado em

Victor Schwaner/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

O arquiteto Oscar Niemeyer (1907-2012) projetou três residências em Belo Horizonte. Uma delas foi construída, em 1954, para a família Dalva Simão e está à venda por 7 milhões de reais. É na casa modernista, em um terreno de 5 000 metros quadrados na Pampulha, que foi montada a 19ª edição da mostra de arquitetura e decoração Casa Cor Minas. Com 35 ambientes idealizados por profissionais do estado, o evento, que pertence ao Grupo Abril, terá início neste sábado (21). "O desafio foi criar projetos em harmonia com a arquitetura cheia de curvas de Niemeyer", explica o diretor João Grillo. Os 49 profissionais convidados não puderam fazer nenhuma alteração na estrutura do imóvel, que é tombado pelo patrimônio municipal. Todos os pisos, por exemplo, são originais. Além de apresentar boas ideias para ver e se inspirar, a exposição é uma oportunidade para admirar uma das obras do mestre da arquitetura. Confira cinco dos ambientes que podem ser visitados por lá.

Um toque vanguardista

Valorizar o jacarandá do piso e o pinho de riga que reveste as paredes era a meta das arquitetas Flávia e Cláudia Roscoe. Para a sala de jantar, a dupla escolheu a mesa Amorfa, um modelo de desenho simples inspirado em obras do artista plástico Fernand Léger (1881-1955) e do paisagista Burle Marx (1909-1994), que aproxima as pessoas e facilita a conversação. As cadeiras também seguem o mesmo padrão. O detalhe mais charmoso é o lustre Uma, de Giancarlo Tintori. Contemporânea, a peça tem um apelo tão vanguardista quanto tiveram criações de Oscar Niemeyer.

A volta dos pés palito

A designer de interiores Lena Pinheiro fez poucas interferências no projeto original do amplo living, como a instalação de painéis vermelhos junto à lareira de pedras, para dar um ar mais moderno ao ambiente criado nos anos 50. "Investi em detalhes pontuais", explica Lena. Ela apostou em móveis e acessórios atuais, mas que guardam referências de outros tempos, como os pés palito das poltronas, que harmonizam bem com o assoalho de tacos de jacarandá. Chama atenção a bela luminária de teto, que combina perfeitamente com o estilo cheio de curvas da própria casa e de outros projetos assinados por Oscar Niemeyer na Pampulha. Ao fundo da sala, um segundo ambiente, para ser usado como escritório, foi montado a partir da estante em curva que já existia no espaço.

Momento de relax

Os spas de luxo do Oriente serviram de inspiração para a sala de banho projetada pela arquiteta Marcia Carvalhaes e montada em um dos anexos construídos no entorno da casa da família Dalva Simão. Cada detalhe foi pensado para permitir momentos de relaxamento aos moradores. Em todo o ambiente, a iluminação é indireta. Instalada por trás do espelho acima da bancada das pias, a televisão fica bem de frente para uma convidativa banheira.

Inspiração carioca

O escritório projetado pela designer de interiores Ana Lúcia Rodarte, em um cômodo de 20 metros quadrados, é uma homenagem a Oscar Niemeyer. Fotos em preto e branco de suas principais obras na cidade, registradas pela própria Ana Lúcia, decoram as paredes. Móveis e objetos produzidos por ex-parceiros e discípulos do mestre ornamentam o ambiente. O que mais se destaca, no entanto, é uma criação do próprio Niemeyer, a Chaise Rio, desenhada em 1978. A inspiração para o modelo, segundo ele mesmo explicaria, foram as curvas naturais da Cidade Maravilhosa.

Tradição e modernidade

A modernosa cadeira de balanço Stingray, do designer dinamarquês Thomas Pedersen, é um dos destaques na proposta de quarto masculino dos arquitetos Danielle e Gustavo Bellini. O casal criou um ambiente em homenagem a Flávio Venturini - vários objetos foram cedidos pelo músico mineiro, como um teclado e LPs autografados.

19ª Casa Cor Minas

Alameda das Palmeiras, 444, Pampulha, ☎ 3286-4587. Quarta a sexta, 14h às 22h; sábado, 13h às 22h; e domingo, 13h às 19h. Entrada: 50 reais. Deste sábado (21) a 22 de outubro. www.casacorminas.com.br.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE