Decoração

Casa Cor Minas completa 20 anos apresentando soluções para espaços com metragens reduzidas

Edição atual da mostra, realizada em São Sebastião das Águas Claras, conta com 46 ambientes diferentes

Por: Guilherme Torres - Atualizado em

Jomar Bragança
(Foto: Redação VejaBH)

O loft assinado pelo arquiteto David Guerra: tudo à mão

Debruçada sobre uma área verde e intocada de 1 milhão de metros qua­­drados, no distrito de São Se­­bastião das Águas Claras (Macacos), em Nova Lima, a Casa Cor Minas Gerais 2014 foi um desafio e tanto para os arquitetos convidados. Afinal, não é fácil chamar mais atenção do que a espetacular vista da região. Nem encontrar soluções para ambientes integrados, com metragens reduzidas. A atual edição da mostra ocupa parte do Vila Gaya - um novo empreendimento hoteleiro que reúne 23 bangalôs, com apartamentos de 55 ou 94 metros quadrados -, junto ao Parque do Tumbá, a 12 quilômetros da capital. "Na prática, morar em uma casa grande ficou uma coisa pesada, que requer investimento alto e tempo", diz um dos organizadores da mostra, João Grillo. "Pensamos nas pessoas que querem viver em um lugar por poucos anos e depois procurar uma nova opção."

Ao todo, foram montados 46 ambientes com decorações assinadas por sessenta profissionais de quarenta escritórios da cidade. Em 32 deles, os arquitetos apostaram na integração dos espaços, apresentando propostas na medida para aqueles que preferem morar com tudo à mão, de forma organizada e prática. Não faltam boas ideias para salas de estar que, quando cai a noite, funcionam como dormitórios. Ou cozinhas modernas, completas e supercompactas por trás de grandes portas de vidro colorido, madeira ou espelho, que, quando fechadas, escondem a bagunça e são facilmente confundidas com armários. Há também closets instalados, de maneira harmônica, dentro dos banheiros. Na busca por soluções multiúso, os arquitetos ousaram na criação de divisórias, biombos, ripados, estantes e cobogós. No loft projetado por David Guerra, uma parede revestida com tiras de couro esconde o guarda-roupa e o quarto de banho. O móvel que separa as áreas da cama de casal e do sofá pode servir como mesa de escritório ou de jantar. Além da praticidade, Guerra investiu em cores e materiais quentes que se contrapõem ao clima frio da região. "A indústria da decoração estabeleceu que tudo deve ser branco, cinza, bege e preto", afirma. "Isso vende, mas tem pouca identidade. Proponho a 'arquitetura do afeto', mais ligada às memórias do cliente do que a referências padronizadas."

Toques de mineiridade

Em meio às muitas novidades em exposição nos 46 projetos da Casa Cor Minas Gerais 2014, materiais e objetos típicos do estado continuam tendo destaque. A pedra-sabão, por exemplo, aparece em pisos, paredes, mesas e até em lareiras. Ladrilhos hidráulicos, em versões coloridas e em preto e branco, podem

ser encontrados em vários espaços, remetendo os visitantes a um certo clima de fazenda. Trabalhos de cerâmica, como o artesanato da artista plástica Nícia Braga, estão bem visíveis, enfeitando armários e mesas de jantar.

› Casa Cor Minas Gerais 2014

Vila Gaya. Estrada para São Sebastião das Águas Claras (Macacos), 1289, Nova Lima. 16h/22h (quarta a sexta), 13h/22h (sábado), 13h/19h (domingo e feriados).

Ingressos: R$ 50,00. Transporte com agendamento prévio, ☎ 3057-1119. R$ 30,00 por pessoa (ida e volta).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE