Futebol

Sob o comando da Fifa, o Mineirão passa pelos últimos ajustes para os jogos da Copa do Mundo

Estádio receberá seis partidas da disputa com nova roupagem, que inclui até traves novas

Por: Ivana Moreira e Thiago Alves - Atualizado em

Infográfico: Filipe Campoi
(Foto: Redação VejaBH)

Desde a zero hora da última quinta (22), é a Fifa que está no comando do nosso Mineirão. A três semanas da primeira partida por aqui (Colômbia e Grécia, no dia 14 de junho), o staff da federação internacional de futebol cuida das últimas adaptações dentro e fora do gramado para a Copa do Mundo. Quem passa pelo entorno do estádio percebe a intensa movimentação dos fornecedores que descarregam cabos, tendas, grades e banheiros químicos, entre outras estruturas provisórias que serão instaladas para o torneio - uma despesa de 42,7 milhões que vai ser custeada pelo Estado (confira algumas delas abaixo). Das marquises aos estacionamentos, o Gigante da Pampulha ganhará uma "roupagem" nova. Até as traves e os bancos usados por técnicos e reservas, à margem das quatro linhas, serão trocados por modelos estabelecidos pela Fifa.

Infográfico: Filipe Campoi - Fotos: Alexandra Martins/Secopa MG e Victor Schwaner/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

1. DAQUI PARA 211 PAÍSES

Mais de 700 profissionais vão trabalhar no Broadcast Compound, o centro de transmissão televisiva, para que as imagens registradas por 34 câmeras sejam geradas em alta definição para 3,2 bilhões de telespectadores em 211 países.

2. CIRCULAÇÃO RESTRITA

O estacionamento do estádio será reservado exclusivamente para veículos dos integrantes da Fifa, de seus convidados e de autoridades. Nos dias de jogos, a circulação de carros particulares será proibida em um raio de 3 quilômetros no entorno da arena.

3. SUVENIRES

Entre as roletas e as arquibancadas, os torcedores passarão pela área batizada de Commercial Display, onde ficarão os quiosques para a venda de produtos licenciados, como a Brazuca, a bola oficial, e o Fuleco, o mascote do Mundial, como ocorreu em 2013, durante a Copa das Confederações. Para entrar nesse espaço, é preciso ter ingresso para o jogo do dia.

4. PARA OS VIPS

Convidados da Fifa, de seus parceiros comerciais e dos comitês organizadores locais terão acesso a uma área de hospitalidade cheia de mimos. À disposição dos credenciados haverá bares, serviço de bufê, locais para shows exclusivos e telões com transmissão da partida.

Um dos trabalhos mais delicados é a montagem, no estacionamento G2, do centro de transmissão televisiva, de onde as imagens captadas por 34 câmeras serão geradas para 211 países. Outro é a retirada de parte das cadeiras da arquibancada para dar lugar às tribunas de imprensa, que terão 4 000 estações de apoio para atender os jornalistas do mundo inteiro que se credenciaram para a cobertura. A capacidade será ampliada a cada fase da competição até atingir a máxima, na semifinal.

Ao redor da arena já começa a surgir uma infraestrutura para acolher os pa­­trocinadores oficiais do Mundial. Além da área para venda de produtos e serviços aos torcedores comuns, haverá es­­paços reservados para convidados vips. As ações comerciais dessas em­­presas se estenderão até o Minei­­rinho, que também vai ser inteiramente adaptado para a grande festa do futebol. Ali funcionará uma vila de hospitalidade ainda mais exclusiva que a do estádio principal, onde serão recebidas autoridades e personalidades.

Segundo estádio brasileiro a ficar pronto para a Copa, em dezembro de 2012, depois de quase três anos de uma reforma que custou 695 milhões de reais no regime de Parceria Público-­Privada (PPP), o Mineirão espera passar com louvor na rigorosa avaliação da Fifa. "Conseguimos cumprir tudo o que nos foi pedido", assegura o secretário estadual de Turismo e Esportes, Tiago Lacerda. Além dos três jogos da Copa das Confederações em 2013, o estádio pôde ser testado em outras 45 partidas oficiais de campeonatos estaduais, nacionais e da Libertadores das Américas. Na mesma data em que recebeu as "chaves" do Gigante da Pampulha, a federação internacional assumiu também o comando do Estádio Independência, do Sesc Venda Nova, da Cidade do Galo, das Tocas da Raposa I e II e da Arena do Jacaré, em Sete Lagoas - seis espaços que serão usados como centros de treinamento para as seleções que passarão pela capital ao longo do Mundial, inclusive as que escolheram Belo Horizonte para a hospedagem: a Argentina, que fechou com o Galo; o Chile, que optou pela estrutura do Cruzeiro; e o Uruguai, que se decidiu pelo espaço setelagoano.

Durante os trinta dias da Copa, a capital mineira espera receber 390 000 turistas, 60 000 deles estrangeiros. A festa para os fãs do futebol vai rolar no Gigante da Pampulha e também no Expominas, na Gameleira, que sediará a Fan Fest, um evento gratuito para quem quiser assistir aos jogos fora do estádio (veja o quadro ao lado). Lá, os preparativos estão igualmente bem encaminhados. O corre-corre agora é para garantir que os torcedores consigam chegar aos dois endereços com conforto. No quesito transporte - do Aeroporto de Confins ao Move, o sistema rápido de transporte por ônibus - é que está (quase) tudo atrasado.

E vai rolar a festa

A Fan Fest deverá reunir 45 000 torcedores na Gameleira

Criada na Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, a Fan Fest é um evento gratuito organizado pela Fifa para o público que assiste aos jogos fora do estádios. Em Beagá, a festa está marcada para o Expominas, na Gameleira. Será a única comemoração indoor nas doze cidades-sede da Copa do Mundo. A expectativa dos organizadores é que 45 000 torcedores acompanhem as partidas por lá. O espaço terá grandes telões para a transmissão e espaços para shows (as atrações ainda não foram definidas). Em 2013, na Copa das Confederações, a festa dos torcedores foi ao ar livre, na Praça da Estação. Evitar congestionamentos no Centro foi a justificativa para a mudança de endereço.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE