Especial

Confira 25 programas grátis que combinam bem com o friozinho do inverno

Entre as sugestões estão shows, festas, eventos e passeios bacanas

Por: Isabella Grossi e Luís Cunha - Atualizado em

Victor Schwaner/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

Em uma cidade que já enfrentou temperaturas beeeem mais frias - como os 2 graus, recorde registrado em 1910 -, os moradores de hoje podem se gabar de tirar pouco os casacos do armário. Com a temperatura média variando de 14 a 26 graus nos meses de julho a setembro, Belo Horizonte não é, nem de longe, um lugar melancólico durante o inverno. O clima não é empecilho para sair de casa e não faltam programas interessantes para quem deseja curtir a estação. "Uma das principais características desta época do ano é a diminuição do volume de chuvas", diz o meteorologista Heriberto dos Anjos. O céu azul e límpido e a atmosfera amena são propícios para a prática de exercícios ao ar livre e favorecem, também, passeios como piqueniques e trilhas por reservas ambientais. Se a ideia é espantar a preguiça de vez, vale a pena botar o pé na estrada para curtir os festivais de inverno no entorno da capital. Nos municípios cravados em vales, que tendem a reter ar frio, os termômetros podem registrar marcas mais baixas do que as de Beagá. Mas nada que não se resolva com um bom agasalho. VEJA BH selecionou 25 programas perfeitos - e grátis - para a estação. Afinal, não é porque as temperaturas caíram que o ânimo tem de esfriar.

1. Além do horizonte

A vista panorâmica proporcionada pelo Mirante do Mangabeiras é de encher os olhos. Principalmente no inverno, por causa do ar seco e do tempo estável, que diminuem a nebulosidade. "Em um índice de zero a 10, a nebulosidade, aqui,

é em torno de 5. Nesta época do ano, cai para 2, às vezes fica perto de 1", afirma o especialista em climatologia Carlos Henrique Jardim. Prepare a câmera fotográfica e corra para lá a tempo de contemplar o entardecer.

Rua Pedro José Pardo, 1000, Mangabeiras, ☎ 3246-5030. Todos os dias, das 10h às 22h.

Isadora Faria
(Foto: Redação VejaBH)

2. Dobradinha cultural

Ao longo do tempo, Mariana perdeu o posto de vila mais rica do estado para Ouro Preto. A despeito da disputa histórica, as duas cidades se unem amistosamente na temporada de frio para garantir um dos principais eventos culturais de Minas. A apenas 15 quilômetros de distância um do outro, os municípios têm suas ladeiras ocupadas por diversas manifestações artísticas, que vão de saraus e lançamentos de livros a exibição de filmes e mesas-redondas.

Ouro Preto (a 107 quilômetros de BH) e Mariana (a 116 quilômetros de BH). Informações, ☎ (31) 3559-3425. Até o dia 20. Confira a programação completa em www.festivaldeinverno.ufop.br.

3. Agito na roça

Durante a Julifest, o centro de Itabirito, cidade com 45 000 habitantes, é tomado por barracas de comidas típicas e shows de artistas como Lulu Santos, Luan Santana, Beth Carvalho e Amado Batista, além da dupla João Bosco e Vinícius.

Praça dos Inconfidentes, s/nº, Lourdes, Itabirito (a 57 quilômetros de BH). De quinta (10) a domingo (13). Confira a programação completa em www.facebook.com/prefeituraitabirito.

4. Para lá das igrejinhas

As atrações confirmadas do Festival de Inverno de Congonhas pretendem arrastar os turistas para além do adro da Basílica do Senhor Bom Jesus de Matosinhos. Os doze profetas esculpidos por Aleijadinho testemunharão uma série de apresentações teatrais e musicais, que incluem grupos de São Lourenço, Juiz de Fora e Conselheiro Lafaiete.

Congonhas (a 85 quilômetros de BH). Informações, ☎ 3731-3133. De segunda (7) ao dia 27. Confira a programação completa em www.congonhas.mg.gov.br.

5. Parabéns a você

Entre julho e agosto, moradores e turistas podem se esbaldar com as comemorações do 303° aniversário de Sabará. Quiosques de comidinhas, apresentações artísticas e musicais vão agitar o centro histórico da cidade. Vale a pena reservar pelo menos um dia na agenda. De carro, a viagem demora pouco mais de quarenta minutos.

Praça Melo Viana, s/nº, Centro, Sabará (a 24 quilômetros de BH), ☎ 3672-7864. Do dia 16 a 3 de agosto, a partir das 18h.

6. Colorindo o céu

Embora o famoso Festival de Papagaios no Parque das Mangabeiras esteja extinto, a estação continua sendo favorável à brincadeira. Aproveite a intensidade dos ventos para voltar a ser criança. Com as clássicas pipas de papel - e sem cerol, é claro.

Parque das Mangabeiras. Avenida José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras, ☎ 3277-8277. Terça a domingo e feriados, das 8h às 18h.

7. Erudito sem pompa

Em mais uma agradável manhã da série Clássicos na Praça - que, no total, já reuniu quase 80 000 pessoas -, a Orquestra Filarmônica homenageará três grandes compositores russos: Stravinsky, Shostakovich e Rimsky-Korsakov. Sob a batuta de Marcos Arakaki, os músicos interpretarão, também, Guerra-Peixe, Binicki e Bartók.

Praça Floriano Peixoto, s/nº, Santa Efigênia. 10 de agosto, 11h.

8. De volta para casa

Após 23 anos circulando pelo interior, o Festival de Inverno da UFMG volta, enfim, à capital. Neste ano, as culturas urbanas, indígenas e afrodescendentes inspiram performances, projeções de filmes e banquetes públicos no câmpus Pampulha.

Avenida Antônio Carlos, 6627, Pampulha, ☎ 3409-6410. De 18 a 26 de julho. Confira a programação completa em www.46festivalufmg.wordpress.com.

9. Estica e puxa

O Parque Municipal abre suas portas para os belo-horizontinos se contorcerem com as técnicas da ioga. A oportunidade é boa para driblar as dores e o enrijecimento das articulações - mais comuns no período de frio. Há sessões com professores em quase todos os fins de semana.

Parque Municipal Américo Renné Giannetti. Avenida Afonso Pena, 1377, Centro, ☎ 3141-1779 e 3223-5067. Aos domingos, 9h (exceto no dia 31 de agosto).

10. Farra itinerante

A Universidade Federal de São Joãodel-Rei vem crescendo no cenário acadêmico nacional e expande, também, sua presença pelo estado: desta vez, o festival de inverno agitará dez cidades mineiras, incluindo Divinópolis,

Ouro Branco e Sete Lagoas.São João del-Rei (a 185 quilômetros de BH) e mais nove cidades. Informações, ☎ (32) 3379-2510. De 19 a 2 de agosto. Confira a programação completa em www.invernocultural.com.br.

11. Sob uma toalha xadrez

Só porque o frio chegou não quer dizer que as áreas verdes devam ser riscadas do mapa. Desfrute a sombra das árvores para fazer um piquenique com a família. Vale montar um menu com sopas e caldos. Se o clima for de romance, opte pelo vinho.  As sugestões para esticar a toalha são áreas públicas, como o Parque Mata das Borboletas e o Parque Ecológico da Pampulha. Também vale encontrar um cantinho para chamar de seu, como fez o gerente de investimentos Guilherme Pertence e a terapeuta ocupacional Juliana Chimeli, que descobriram um espaço perfeito no Belvedere. O que não pode é deixar sujeira para trás.

12. Jeitinho mineiro

Embora exista uma tradição de importar o ritmo marcado pelo saxofone, o jazz das Gerais quer mesmo é valorizar a música feita aqui. O galpão amarelo que abriga a Fundação Nacional das Artes servirá de palco para a apresentação de grupos como Dibigode e Misturada Orquestra.

Funarte. Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 8371-3976. De terça (8) a sábado (12), 20h. Retirada de ingressos nas lojas Serenata (BH Shopping; Avenida Getúlio Vargas, 691, Savassi; Avenida Olegário Maciel, 151, Centro). Confira a programação completa em www.facebook.com/jazzdasgerais.

André Fossati
(Foto: Redação VejaBH)

13. Vira, vira, virou!

No ano passado, Beagá viu nascer o dia ao som das atrações da Virada Cultural, que reuniu mais de 200 000 pessoas em 24 horas de festa no centro da cidade. A segunda edição do evento, inspirado na Nuit Blanche de Paris, também promete fazer bonito, com uma farta seleção de música, dança, circo, teatro, literatura, audiovisual e artes plásticas.

30 e 31 de agosto, em diversos endereços. Confira a programação completa em www.viradaculturalbh.com.br.

14. mata adentro

A cada três meses, o Parque Estadual Serra Verde - o segundo maior da capital, com 142 hectares - promove uma caminhada em noite de lua cheia. A atividade também rende bons frutos a quem quer conhecer, de perto, animais de hábitos notívagos, como sapos e corujas.  A falta de nebulosidade neste período do ano é favorável ao passeio.

Parque Estadual Serra Verde. Rua João Batista Fernandes, 85, Serra Verde, ☎ 3455-5266. 7 de agosto, 17h30.

15. No mundo da lua

Quando os termômetros marcam dígitos baixos, a atmosfera fica mais tranquila. Não há chuva e a visibilidade está em sua melhor condição. Aproveite, então, para observar o céu estrelado. A praça principal de Lapinha da Serra, distrito próximo a BH, recepciona grupos de contemplação astronômica. O lugar vem sendo considerado para se tornar a base de um novo observatório permanente.

Lapinha da Serra (a 117 quilômetros de BH). De quarta (9) a sexta (11), a partir das 18h30.

16. Vou de bike

Se no verão o mau cheiro da Lagoa da Pampulha afugenta os adeptos da prática esportiva, no inverno a história é outra. De acordo com o gerente de Planejamento e Monitoramento Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Weber Coutinho, temperaturas mais baixas amenizam os efeitos da liberação de gases de decomposição da matéria orgânica - a exemplo das algas -, causando menos desconfortoa quem quer sair por aí desfilandoa magrela. Sem abrir mão, é claro, da preciosa vista de cartão-postal.

17. À moda carioca

A malemolência do chorinho, estilo musical tão popular no Rio de Janeiro, encontra sua versão mineira no bairro mais boêmio da cidade. Na quarta edição do BH Choro, artistas e grupos ligados ao ritmo entretêm o público em Santa Tereza.

Praça Duque de Caxias, s/nº, Santa Tereza. Dias 25 e 26, 19h30. www.bhchoro.com.br.

18. Nova Orleans é aqui

O jazz saiu dos Estados Unidos para encontrar seu lugar na capital. Desde 2003, o Savassi Jazz Festival contagia as ruas da Região Centro-Sul com notas e melodias do ritmo afro-americano. A 12ª edição se espalha com apresentações no Teatro Bradesco, no Parque Municipal, no Centro Cultural Banco do Brasil e nos tradicionais palcos de rua, próximos ao bar Café com Letras. Entre no clima com os noruegueses do Lage Lund Quartet e com os espanhóis do Eladio Reinó Quarteto.

18 a 24 de agosto, em diversos endereços. Confira a programação completa em www.savassifestival.com.br.

André Fossati
(Foto: Redação VejaBH)

19. Declaração de amor

A Praça do Papa é um excelente refúgio dentro da cidade. Principalmente em noites de I Love Jazz, o festival que vem, desde 2009, levando milhares de pessoas aos pés da Serra do Curral. Neste ano, entre shows e pocket shows, estão programadas as participações dos saxofonistas americanos Harry Allen e Scott Hamilton. Dica: chegue cedo, já que a praça costuma lotar nesses dias.

Praça do Papa, s/nº, Mangabeiras. 8 de agosto, 19h. 9 e 10 de agosto, 17h. Confira a programação completa em www.ilovejazz.com.br.

20. Mar de montanhas

Não é preciso ser fã de adrenalina para apreciar uma das mais belas vistas do alto da Cordilheira da Serra da Moeda, em Brumadinho. Enquanto os praticantes do voo livre se aproximam um bocadinho do céu, é possível ficar de fora admirando a deslumbrante paisagem do Vale do Paraopeba e da Lagoa dos Ingleses, em um cantinho à parte, sem precisar desembolsar nem 1 real. De segunda a domingo tem gente planando, geralmente no período da tarde. Uma dica: não deixe o casaco no armário.

Estrada da Serra, 10, Retiro do Chalé, Brumadinho.

21. Olha o passarinho!

Belo Horizonte abriga mais de 380 espécies de aves. Muitas delas aparecem com maior frequência nesta estação. É o caso do japacanim, da campainha-azul, do barbudo-rajado e da saíra-douradinha. Para não se embrenhar no mato sozinho, procure um dos eventos da Ecoavis (www.ecoavis.org.br). Aproveite, pois esta é uma época em que os pássaros estão com uma plumagem nova e mais colorida, preparando-se para a reprodução.

22. Os reis do soul

Não existe tempo ruim para a dança. Principalmente quando o som vem de gigantes como James Brown, Marvin Gaye, Jackson Five e Aretha Franklin. Extrapole os limites com a velha-guarda do Quarteirão do Soul, que rola todo mês na Rua Goitacazes. Em julho, porém, o endereço é outro. Prepare o terno, lustre o sapato bicolor e dance até bambear.

Praça Sete, s/nº, Centro, ☎ 9787-7581. Dia 27, das 14h às 21h.

23. Na cidade do poeta

Berço de Carlos Drummond de Andrade, Itabira se orgulha também de sua tradição com festivais de inverno. Afinal, já foram 39 edições. Neste ano, importantes nomes da música brasileira animam a região. Zizi Possi, Nando Reis, Zeca Baleiro e Erasmo Carlos são alguns dos artistas que ocuparão as ruas da cidadezinha. Jorge Ben Jor é a atração deste domingo (6).

Itabira (a 113 quilômetros de BH), ☎ (31) 3835-2102. Deste domingo (6) ao dia 27. Confira a programação completa em www.fccda.mg.gov.br/40festival.

24. pule a fogueira

Ainda dá tempo de esquentar o peito com as guloseimas servidas em festas juninas. Enquanto a canjica e o quentão não param de ser servidos, grupos de dança animam as noites em duas praças decoradas com bandeirolas.

Praça Rui Barbosa (Praça da Estação), s/nº, Centro. Entre os dias 17 e 27; Praça Duque de Caxias, s/nº, Santa Tereza. 19 e 20 de julho.

25. xô, preguiça!

Sair da cama para correr, no inverno, pode até parecer um desvario. Mas não é. Esta é a época perfeita para a prática de exercícios físicos. "A atividade aeróbica, principalmente, ajuda a aumentar o gasto calórico do corpo, que já está com o metabolismo acelerado para mantê-lo aquecido", explica o professor de educação física Raphael Martins de Freitas. Escolha uma das concorridas rotas da Lagoa Seca, sem dispensar a orientação de um profissional.

Praça Lagoa Seca, s/nº, Belvedere.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE