Crianças

Confira uma seleção com vinte programas para deixar os pequenos belo-horizontinos rindo à toa

Andar de skate no parque, trocar figurinhas na praça ou passear por dentro do corpo humano são algumas das opções para levar os pequenos

Por: Carolina Daher - Atualizado em

Gustavo Andrade/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

Carol Sausmikatt, de 5 anos, a simpática menina que ilustra esta página, é uma mini-it-girl apaixonada por moda - tem mais de 50 000 seguidores no Instagram. Mas não dá a mínima para o estiloso vestido estampado na hora de entrar na roda-­gigante do Parque Guanabara, na Pampulha. "Quanto mais radical o brinquedo, mais ela gosta", diz sua mãe, Michele Moraes Antunes. O garoto Lutero Lima Goulart, de 10 anos, também adora sentir frio na barriga. Todo fim de semana, ele anda de skate na pista do Parque das Mangabeiras. "É o melhor lugar do mundo", garante, convicto. Já Catherine Dallariva de Carvalho, de 4 anos, prefere o Museu dos Brinquedos. Lá, ela joga amarelinha e brinca de telefone de lata. Quando precisa ir embora, faz beicinho. "Só mais um pouquinho, mamãe", insiste. Belo Horizonte está cheia de atrações divertidas para seus pequenos moradores. VEJA BH preparou uma seleção de vinte razões para deixar a meninada rindo à toa. Com tantas opções, ninguém vai ter desculpa para ficar em casa na frente da TV.

1. sentir frio na barriga

Instalado às margens da Lagoa da Pampulha, o Parque Guanabara é o mais antigo da cidade. Ali, os pequeninos se esbaldam em brinquedos tradicionais como o carrossel e o bate-bate. Já os maiorzinhos preferem o Casarão do Terror, onde vivem Drácula e Frankenstein. Entre as mais de vinte atrações, a roda-gigante é vedete. Segunda maior do Brasil, atrás apenas da que está no Hopi Hari, no interior paulista, ela tem 36 metros de altura e garante aos visitantes uma linda vista da região.

› Parque Guanabara. Avenida Doutor Otacílio Negrão de Lima, 3333, Pampulha, ☎ 3439-7300. Os tíquetes para as atrações variam de R$ 3,50 a R$ 10,00. Quinta e sexta, 13h às 22h; sábado, 11h30 às 22h; domingo e feriados, 10h30 às 21h; fecha de segunda a quarta.

2. Brincar sobre as águas

O parque ecológico Vale Verde é cheio de atrações para a garotada, como tirolesa, trampolim e arco e flecha. Mas o que faz mais sucesso é o water ball. Na beira da lagoa, as crianças entram em uma grande bola transparente e a conduzem pelas águas do parque. É possível dar cambalhotas, correr, andar e girar sem se molhar. A brincadeira dura três minutos e custa 12 reais.

› Vale Verde Alambique e Parque Ecológico. Avenida Ary Barbosa da Silva, 950, Vainópolis, Betim, ☎ 3079-9171. Terça a domingo, 9h às 17h30. R$ 20,00. Grátis para menores de 5 anos.

3. chegar perto de um dinossauro

No Museu de Ciências Naturais, a meninada se vê frente a frente com sete ossadas de dinossauros. As réplicas - a maior delas com 19 metros de comprimento - encantam os pequenos. No 3º andar fica uma das maiores estrelas do museu: o Idi Amin, gorila morto em 2012. Esse primata, antiga mascote do zoológico de Beagá, teve o corpo tratado para ser exposto no espaço.

› Museu de Ciências Naturais da PUC Minas. Avenida Dom José Gaspar, 290, Coração Eucarístico, ☎ 3319-4152. Terça a sábado, 9h às 17h (quinta, até 21h). R$ 5,00. Grátis para menores de 5 anos.

4. observar os anéis de saturno

Parece que os planetas estão ao alcance das mãos. No terraço astronômico do Espaço do Conhecimento UFMG, onde fica o Planetário, são realizadas diariamente projeções multimídia e sessões comentadas com ingressos a 6 reais. Já no Observatório, entre abril e outubro, os visitantes podem ver os astros em um telescópio capaz de aumentar a imagem 840 vezes.

› Espaço do Conhecimento UFMG. Praça da Liberdade, s/nº, ☎ 3409-8350. Terça a domingo, 10h às 17h (quinta, até 21h). Grátis.

5. morrer de amores pelos filhotinhos do zoo

Dá vontade de apertar os dois gorilinhas recém-nascidos. Manhosos, eles adoram se aconchegar no colo das mamães Lou Lou e Imbi. As crianças também podem curtir outros bebês do nosso zoo: uma zebra, um hipopótamo, uma anta, um tamanduá-bandeira, um antílope, um macaco bugio e três micos-leões-dourados.

› Jardim Zoológico. Avenida Otacílio Negrão de Lima, 8000, Pampulha, ☎ 3277-8489. Terça a domingo, 8h30 às 16h. R$ 3,00 (ter. a sex.), R$ 4,00 (sáb.) e R$ 6,00 (dom. e feriados) por pedestre; R$ 10,00 (ter. a sáb.) e R$ 15,00 (dom. e feriados) por veículo. Grátis para menores de 5 anos.

6.jogar bola na praça

A vista é panorâmica, mas Luan Bernardo de Faria Reis, de 2 anos, não quer saber de ver os contornos de Beagá lá do alto. O negócio dele é jogar bola na Praça do Papa. O lugar é um convite à aventura, com rampas e espaços amplos bem cuidados. Vendedores ambulantes circulam entre os visitantes com carrinhos de picolé, pipoca e algodão-doce.

› Praça do Papa, s/nº, Mangabeiras.

7. pedalar ao ar livre

Além de percorrerem o Parque Ecológico da Pampulha, as crianças aprendem que a bicicleta é uma opção saudável e ecologicamente correta. Se o pequeno não tem ou não pode levar a sua, não há problema: o espaço disponibiliza 31 magrelas, sendo quinze de aro 26, dez de aro 20 e seis de aro 16, para os menores de 1,1 metro de altura. Basta o responsável apresentar um documento de identificação.

› Parque Ecológico da Pampulha. Avenida Otacílio Negrão de Lima, 6061, Pampulha, ☎ 3277-7439. Sexta a domingos e feriados, 8h30 às 17h.

8. passear pelo rio sem se molhar

São mais de 1 200 peixes de cinquenta espécies do Rio São Francisco. Em um aquário de 3 000 metros quadrados, há peixinhos e peixões, como o surubim, a maior espécie do rio, que pode chegar a 1,6 metro de comprimento e 100 quilos.

› Aquário de BH. Avenida Otacílio Negrão de Lima, 8000, Pampulha, ☎ 3277-8489. Terça a domingo, 8h30 às 16h. R$ 3,00 (ter. a sex.), R$ 4,00 (sáb.) e R$ 6,00 (dom. e feriados) por pedestre; R$ 10,00 (ter. a sáb.) e R$ 15,00 (dom. e feriados) por veículo para entrar no zoo. Mais R$ 6,00 para o aquário. Grátis para menores de 5 anos.

Carlos Hauck/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

9. fazer o próprio brinquedo

Com um acervo de 5 000 peças, o Museu dos Brinquedos é um lugar para voltar no tempo e relembrar brincadeiras antigas como amarelinha e telefone de lata. Todos os dias, no pátio, a criançada tem a chance de jogar bolinha de gude e futebol de botão. Aos sábados, sempre rolam corre-cutia e rouba-bandeira. Na oficina, os pequenos podem criar seu brinquedo com materiais reciclados.

› Museu dos Brinquedos. Avenida Afonso Pena, 2564, Funcionários, ☎ 3261-3992. Segunda a sexta, 9h às 17h; sábado e feriados, 10h às 17h. R$ 20,00.

10. montar em um burrinho de verdade

São quase 200 000 metros quadrados de diversão no centro da cidade. O Parque Municipal oferece inúmeras atividades para os pequenos. Dar uma volta montado em um burrinho de verdade é a mais tradicional delas, um programa que faz parte da infância de várias gerações de belo-horizontinos.

› Parque Municipal. Avenida Afonso Pena, 1377, Centro, ☎ 3277-4161. Terça a domingo, 6h às 18h. Grátis.

11. tomar milk-shake no xodó

Quando era adolescente, a professora Andréa Simões Lobato não passava uma semana sem tomar milk-shake no Xodó. Hoje, ela repete o programa na companhia do filho Vitor, de 9 anos. A lanchonete vende nove sabores da bebida: ameixa, açaí, frutas vermelhas, morango, chocolate, baunilha, maracujá, abacaxi e Ovomaltine. Os preços variam de 10 a 14 reais.

› Xodó. Rua Gonçalves Dias, 1364, Funcionários, ☎ 3213-2697. Todos os dias, 11h às 23h (sexta e sábado até 0h).

12. lambuzar-se de sorvete

A fofa Gabriela Dias, de 2 anos, comprova: não há criança que resista a um gelado. E não faltam na cidade bons endereços onde experimentar essas delícias.

› Alessa Gelato & Caffè. Rua São Paulo, 2112, Lourdes, ☎ 3296-7006 › Charme Sorveteria. Rua Padre Eustáquio, 2688, Padre Eustáquio, ☎ 3412-1694. › Inventiva Sorvetes. Rua Grão Pará, 553, Santa Efigênia, ☎ 3241-2342.

› La Basque. Avenida Getúlio Vargas, 1681, Savassi, ☎ 3225-9959. › São Domingos. Avenida Getúlio Vargas, 800, Savassi, ☎ 3261-1720.

13. "Descer" em uma mina de ouro

Dentro de um elevador virtual, as crianças alcançam os 2 450 metros da mais profunda mina de ouro do mundo, a Morro Velho, localizada em Nova Lima. Os guias da visita são o casal de imperadores dom Pedro II e Teresa Cristina. Eles contam a história da mina, que foi explorada por mais de 300 anos e desativada em 2003. Com imagens reproduzidas nas paredes, tem-se a sensação de que a aventura é real.

› Museu das Minas e do Metal. Praça da Liberdade, s/nº, ☎ 3516-7200. → Terça a domingo, 12h às 18h (quinta até 22h). Grátis.

Gustavo Andrade/Odin
(Foto: Redação VejaBH)
14. Trocar figurinhas na praça

Bruno Bachmann, de 5 anos (na foto, com a camisa do Cruzeiro), chega à Praça República do Líbano e vai logo perguntando se alguém tem a figurinha de número 113. Aos sábados e domingos, crianças e marmanjos se reúnem ali para trocar cromos com imagem de jogador de futebol ou de personagem infantil. Apesar de a maior parte das trocas ser realizada entre os próprios frequentadores, a banca de revistas no local oferece um cromo por dois para aqueles que compram acima de dez pacotinhos.

› Praça República do Líbano, Barragem Santa Lúcia. Manhãs de sábado e domingo.

15. Visitar o museu com a moça dos anos 20

Às 18 horas, surge uma senhorita usando chapéu e vestido drapeado. A Moça dos Anos 20 é uma personagem que (juntamente com o Barão do Café, o Tocador de Realejo e a Deusa da Justiça) conduz a visita teatralizada pelos corredores e salas do CCBB. Durante o trajeto, ela narra histórias da cidade e do prédio construído em 1930. Nos fins de semana e feriados, há um projeto que mistura contação de histórias e música.

› Centro Cultural Banco do Brasil. Praça da Liberdade, 450, ☎ 3431-9400. Quarta a domingo, 9h às 21h. Grátis.

16. Aventurar-se em um quadriciclo

Andar por várias estradas de terra e por matas, além de atravessar um rio. O passeio de quadriciclo por Macacos é uma aventura. "Decidimos o trajeto de acordo com a idade do cliente", diz Milton Rodrigues, sócio do negócio. Trata-se de um programa ideal para crianças acima de 5 anos, que vão na garupa dos pais. A viagem dura pouco mais de uma hora e custa 150 reais por veículo.

› Quadri Adventure. Estrada de acesso (próximo à entrada da cidade), São Sebastião das Águas Claras, Nova Lima, ☎ 8393-5337. Sábado, domingo e feriados, 10h às 16h30.

17. conhecer o corpo humano por dentro

Para quem quer saber como funciona a máquina chamada corpo humano, o lugar certo é o Espaço Interativo Ciências da Vida. Durante a visita, é possível interagir com peças anatômicas, em tamanho natural e em versões ampliadas. O coração feito com resina e iluminado com lâmpadas LED é oito vezes maior que o órgão real. Um equipamento capta a frequência cardíaca do visitante e faz o coração pulsar no mesmo ritmo.

› Espaço Interativo Ciências da Vida. Rua Gustavo da Silveira, 1035, Santa Inês, ☎ 3409-7650. Terça a sexta, 8h30 às 16h; sábado e domingo, 10h30 às 17h. R$ 4,00.

18. tirar foto com a maria-fumaça

O casarão construído em 1883 é cercado por um lindo jardim onde ficam "estacionados" os objetos mais queridos pela garotada. No Museu Abílio Barreto está a maria-fumaça Mariquinha, utilizada durante a construção da capital. Os visitantes podem ver também o bonde elétrico que rodou pelas ruas de BH até a década de 60. Completando a coleção há um coche e um carro de boi, que pertenceram à antiga Fazenda do Leitão.

› Museu Histórico Abílio Barreto. Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim, ☎ 3277-8573. Terça a domingo, 10h às 17h (quarta e quinta até 21h). Grátis.

19. Andar - e mergulhar - em uma obra de arte

A galeria Cosmococa, em Inhotim, é um labirinto com cinco salas interativas que são território livre para as brincadeiras. Há redes, balões, colchões e piscina (de água geladíssima, onde se podem molhar os pés ou o corpo todo). A sala mais disputada tem chão coberto por espuma grossa: impossível andar sem afundar.

› Inhotim. Rua B, 20, Brumadinho, ☎ 3571-9700. Terça a sexta, 9h30 às 16h30; sábado, domingo e feriados, 9h30 às 17h30. Grátis (terça); R$ 20,00 (quarta e quinta); R$ 30,00 (sexta, sábado, domingo e feriados). Grátis para menores de 5 anos.

20. Praticar skate cercado pelo verde

Banks, double set e quarter. Esses são apenas alguns dos obstáculos que os skatistas enfrentam na pista construída em uma área de 900 metros quadrados no Parque das Mangabeiras. Ali, a meninada divide o espaço com cinquentões. Todos falam a língua própria dos apaixonados pelo esporte e respeitam a única regra existente: o uso obrigatório do capacete. Lutero Lima Goulart, de 10 anos, é frequentador assíduo. Aprendeu a driblar a prancha com o pai, o músico e designer Ramon Siqueira Goulart, há quatro anos. "Venho todo fim de semana. Aqui está a melhor pista da cidade", afirma o garoto.

› Parque das Mangabeiras. Avenida José do Patrocínio Pontes, 580, Mangabeiras, ☎ 3277-9697. Terça a domingo, 8h às 17h. Grátis.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE