Dicas compras

Cuidado com as promoções de janeiro

Os descontos nas lojas chegam a até 70%, mas podem esconder armadilhas

Por: João Renato Faria - Atualizado em

Victor Schwaner/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

O números nas vitrines das lojas andam tentadores, com descontos de 50%, 60% e até 70% nos valores de roupas, eletrônicos e móveis. Passada a euforia das compras de Natal, o comércio aproveita para desovar o estoque. Mas é preciso tomar alguns cuidados para garantir boas compras. "Existem várias armadilhas para os consumidores nessas promoções", alerta o gerente do Procon da Assembleia, Gilberto Dias de Souza.

Confira dicas para não se dar mal.

Desconfie do desconto

O anúncio pode até informar que o produto custa 70% menos que o normal, mas nem sempre isso é verdade porque várias lojas inflam os preços pouco antes da temporada de descontos. "A Black Friday, dia de descontos na internet, foi um exemplo disso, com os valores subindo na véspera o mesmo percentual que foi dado de abatimento depois", conta Souza. Por isso, vale a pena sempre pesquisar em dois ou três outras lojas antes de bater o martelo.

Leia as letrinhas pequenas

Várias promoções têm regras que precisam ser cumpridas para garantir o desconto, como pagamento à vista. Sempre leia os regulamentos e tire todas suas dúvidas com os lojistas antes de levar o produto.

Pergunte pela troca

Muita gente não sabe disso, mas a loja só é obrigada a trocar um produto quando existe vício de produção, como um defeito que impede o uso do produto. "Aqueles prazos para trocas de roupas, por exemplo, são uma cortesia do comércio", diz Souza. E é comum que um produto comprado em promoções fique fora dessa gentileza, não podendo ser substituído.

Confira suas finanças

Com a cobrança de despesas típicas do início do ano, como IPTU, IPVA, material escolar e taxa de matrícula, tudo o que as pessoas não precisam são mais dívidas. "Muita gente compra sem poder só por que o preço estava bom, depois não consegue pagar e fica com o nome sujo", alerta Souza. Por isso, antes de abrir a carteira, faça suas contas com cautela.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE