Eleições

Eleições 2012: será que dá para fazer?

VEJA BH analisou a viabilidade de cinco propostas consideradas prioritárias por Marcio Lacerda e Patrus Ananias

Por: Ivana Moreira e Paola Carvalho - Atualizado em

MARCIO LACERDA URBANIZAÇÃO

Proposta: revitalização da Pampulha, com a recuperação e o desenvolvimento ambiental da bacia

Custo estimado pela campanha: 150 milhões de reais

Viabilidade: Média

Além dos recursos municipais, é necessário garantir os investimentos da Companhia de Abastecimento de Minas Gerais (Copasa), do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) e de cidades vizinhas

TRANSPORTE

Proposta: modernização do metrô e construção da Linha 2 (Calafate-Barreiro) e da Linha 3 (Savassi-Lagoinha)

Custo estimado pela campanha: 3,2 bilhões de reais

Viabilidade: Baixa

Não há consenso sobre o trajeto das linhas, e as verbas dependem da concretização da parceria entre município, estado e União

TRANSPORTE Proposta: implantação do BRT (transporte rápido por ônibus, na sigla em inglês) nas avenidas Santos Dumont, Antônio Carlos e Cristiano Machado

Custo estimado pela campanha: 1,5 bilhão de reais

Viabilidade: Alta

Os projetos já foram aprovados, e está prevista a liberação dos recursos

ABASTECIMENTO Proposta: construção do Restaurante Popular São Gabriel

Custo estimado pela campanha: 9 milhões de reais

Viabilidade: Alta

Além de a implantação ter baixo custo, já existem estudos para os locais da obra

SAÚDE

Proposta: entrega de sete novas UPAs, que funcionarão 24 horas por dia, inclusive nos fins de semana e em feriados

Custo estimado pela campanha: 49 milhões de reais

Viabilidade: Alta

Só neste ano foram aprovados os projetos de três dessas unidades. Para cumprir a promessa, seria necessário construir mais uma a cada ano de mandato

PATRUS ANANIAS EDUCAÇÃO Proposta: universalização do acesso às creches para crianças de até 3 anos, com prioridade para as famílias mais vulneráveis

Custo estimado pela campanha: 200 milhões de reais por ano quando a meta for atingida

Viabilidade: Média

O custo de manter as crianças na escola não é muito alto, mas a campanha não informou quanto custará a construção de novas unidades

SAÚDE Proposta: abertura dos postos de saúde

nos fins de semana

Custo estimado pela campanha: 6 milhões de reais para abrir um quarto dos 147 postos do município aos sábados em 2013. Esse número deve ser aumentado progressivamente

Viabilidade: Alta

Como as estruturas já existem, o custo principal seria com a contratação de novos profissionais

HABITAÇÃO Proposta: entrega de 16 000 novas residências pelo programa Minha Casa, Minha Vida

Custo estimado pela campanha: 110 milhões de reais para complementar o financiamento federal

Viabilidade: Baixa

Construtoras afirmam que o alto valor dos terrenos inviabiliza a venda dos apartamentos pelo preço estipulado pelo governo

INCLUSÃO DIGITAL Proposta: entrega de um laptop a cada aluno e professor do ensino fundamental

Custo estimado pela campanha: 70 milhões de reais, financiados pelo BNDES

Viabilidade: Média

Depende da aprovação e liberação do empréstimo

CULTURA Proposta: duplicação do orçamento municipal para a área, que em 2012 foi de 74 milhões de reais

Custo estimado pela campanha: 150 milhões de reais só no primeiro ano

Viabilidade: Média

É uma medida que depende de vontade política, mas também de disponibilidade orçamentária

Leia mais:Eleições 2012: conheça o estilo e as propostas dos principais candidatos à prefeitura de BH

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE