Para paquerar

Bares e baladas de BH na medida para quem quer encontrar um amor

Para os solteiros passarem o 12 de junho bem acompanhados, basta seguir nossas dicas

Por: Cedê Silva - Atualizado em

Gustavo Andrade/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

Vai sair casório

O ortodontista Fernando Paolinelli, de 39 anos, jura que não estava interessado em "pegação" quando aceitou o convite do irmão para ir ao Garage D'Caza, no Vale do Sereno. "Só queria ouvir um rock e tomar cerveja." Mas, na fila para entrar na balada, conheceu a advogada Eduarda Vasconcellos e mudou de ideia. O primeiro beijo do casal rolou naquela noite. Três anos depois, em abril de 2012, ele voltou ao Garage, subiu no palco, cantou a música preferida de Eduarda e a pediu em casamento. "Todos gritavam e aplaudiam", lembra a moça, de 32. O casório está marcado para setembro.

Belo Horizonte tem cerca de 817 000 solteiros com mais de 18 anos, segundo dados do IBGE. Somados os separados, desquitados, divorciados e viúvos, há mais de 1 milhão de belo-horizontinos descomprometidos. As mulheres são mesmo maioria nesse grupo, mas nada perto da conta absurda (nove ou dez para cada homem) que virou mito por aqui. A informação correta, com base no Censo de 2010, é 1,13 moça para cada rapaz. Na faixa entre 18 e 39 anos, essa relação é ainda mais equilibrada: 1,02. Quer dizer: ninguém precisa ficar com medo de passar o Dia dos Namorados sozinho. Estatisticamente, pelo menos, o cenário é favorável. Basta ter disposição para sair de casa e conhecer outras pessoas. VEJA BH preparou um roteiro com dezessete endereços para quem quer paquerar - aos 20, aos 30, aos 40 ou depois dos 50 anos - e garantir companhia no dia 12 de junho.

Leia também: 

Cinco dicas para conquistar um namorado

Cinco dicas para conquistar uma namorada

Dois especialistas oferecem dicas sobre como se sair bem na balada. "As mulheres precisam dar sinais de que estão disponíveis", afirma Cláudya Toledo, consultora e presidente da agência A2Encontros. "Os homens têm de fazer pose de popular, de dono da festa", diz o escritor Eduardo Santorini. Agora, é ir à luta. Os mais otimistas podem até encomendar as flores ou comprar a caixa de bombons.

AOS 20

Alambique Cachaçaria

Com decoração country, a casa tem dois andares e cinco camarotes. A mulherada entoa em coro canções relacionadas à paquera, como A Fila Andou, Camaro Amarelo e Gatinha Assanhada. Avenida Raja Gabaglia, 3200, Estoril, ☎ 3296-7188. A partir das 22h (fecha dom. e seg.). Entrada: de R$ 26,00 (pista, mulheres) a R$ 180,00 (camarote Heritage open bar, homens). www.alambique.com.br.

Entre Folhas

Eleito pelo júri de VEJA BH "Comer & Beber" 2013 o melhor lugar para paquerar na cidade, o casarão no bairro São Pedro é uma espécie de esquenta para baladas que começam mais tarde. Rua Major Lopes, 709, São Pedro, ☎ 3281-4166. 19h/1h30 (dom. 16h/0h; fecha seg. e ter.). Entrada: até R$ 25,00.

naSala

A sofisticada casa noturna é lugar para ir bem-arrumado. Do bar, é possível ver toda a pista. Confortáveis sofás espalhados pelo estabelecimento são perfeitos para quem quer bater papo a dois. Ponteio Lar Shopping, ☎ 3286-4705. A partir das 22h30 (sex. e sáb.). Entrada: até R$ 130,00 (R$ 50,00 consumíveis). www.nasala.com.br.

Paco Pigalle

Longas filas se formam na Avenida do Contorno por volta de 23h para esta longeva balada latina. A playlist é sempre um bom pretexto para chamar alguém para dançar. Avenida do Contorno, 2314, Floresta, ☎ 3222-4948. 22h/5h (sex. e sáb.). Entrada: até R$ 30,00. www.pacopigalle.com.br.

AOS 30

MeetMe At The Yard

Um balcão grande logo na entrada reúne diferentes turmas para conferir os drinques com frutas, como o tiorba margarita (tequila, pimenta calabresa, suco de maracujá, licor Grand Marnier e suco de limão-siciliano; R$ 20,00). A tela próxima à escada, mostrando um casal se beijando, dá a dica: o 2º andar tem bancos macios e um ambiente mais aconchegante para casais que querem se conhecer melhor. Rua Curitiba, 2578, Lourdes, ☎ 3297-0909. 19h/1h (fecha seg.). Consumação mínima: R$ 25,00 a R$ 30,00.

AOS 40

Dalva Botequim Musical

As mesas de plástico sobre a Praça ABC ficam lotadas de terça a sábado, quando há música ao vivo ou DJ. Para espantar o frio - e oferecer à paquera -, que tal um caldo, como os de abóbora, feijão ou mandioca (R$ 12,00 cada um). Rua Ceará, 1568, Savassi, ☎ 3282-2343. 17h30/0h (qui. e sex. 17h30/1h; sáb. 15h30/23h; fecha dom. e seg.).

Chalezinho

Um público muito animado costuma curtir a noite por aqui. A música varia de baladas românticas ao eletrônico. A varanda, espaço para conversas mais quietas, fica cheia de fumantes. Avenida Professor Mário Werneck, 530, Buritis, ☎ 3286-3155. Quarta a partir das 20h. Entrada: até R$ 35,00. www.clubechalezinho.com.br.

Tip Top

Os dias mais quentes são os sábados, quando rola música ao vivo das 18h às 22h. Convide a paquera para ver as belas fotos antigas de Belo Horizonte que estão espalhadas pelas paredes da casa. Rua Rio de Janeiro, 1770, Lourdes, ☎ 3337-9713. A partir das 11h. www.bartiptop.com.br.

Tizé

Uma música suave de fundo embala as conversas na mais agitada esquina de Lourdes. A troca de olhares ocorre entre quem está no bar e também entre quem está de passagem por ali. Rua Curitiba, 2205, Lourdes, ☎ 3337-4374. 17h/2h (sáb. 12h/2h; dom. 12h/0h). www.bartize.com.br.

AOS 50

Clube Fantasy

Pares se formam na pista desta balada às sextas-feiras. As bandas tocam de samba a bolero, para os casais dançarem de rosto colado. Recomenda-se fazer reserva com antecedência para garantir uma mesa. A casa abre também em sábados alternados. Rua Santa Juliana, 259, Salgado Filho, ☎ 3374-0060. A partir das 22h. Entrada: até R$ 30,00. www.clubefantasybh.com.br.

Engenho de Minas

Em um ambiente rústico, que lembra o de uma antiga fazenda, cortinas separam o amplo salão em dois ambientes: o restaurante e a pista de dança. No palco, há sempre bandas tocando ritmos variados, para dançar aos pares. Avenida Bernardo Monteiro, 705, Santa Efigênia, ☎ 3213-4666. A partir das 18h (de ter. a sáb.). Entrada: até R$ 30,00. www.engenhodeminas.com.br.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE