Luxo

Há quase setenta anos, ateliê confecciona enxovais que podem custar mais de 30 000 reais

Roupas de cama, mesa e banho demoram até oito meses para ficar prontas

Por: Paola Carvalho - Atualizado em

Nidin Sanches/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

As irmãs Cláudia e Patrícia Mattos: guardiãs dos bordados criados pela mãe, Lygia

Em um casarão com belo jardim, na margem da Avenida Antônio Carlos, na Pampulha, encontra-se uma preciosidade: o ateliê de enxovais Lygia Mattos. Ali, uma toalha de mesa pode custar mais de 30 000 reais. A tradição foi iniciada no fim da década de 40, quando Lygia, com cerca de 25 anos e separada, mandou bordar desenhos que lhe vinham à cabeça em peças de cama, mesa e banho. "Além do bom gosto, ela tinha ousadia, pois naquela época não era nada fácil para uma mulher montar um negócio", conta Patrícia, a filha mais velha. "Crescemos em meio a tecidos, bordados e exemplos para a vida toda", completa a caçula, Cláudia.

A paulista que veio ainda criança para Belo Horizonte foi firme no propósito de desbravar o mercado de luxo. Em 1950, Lygia embarcou para a Europa. Lá, visitou fábricas de tecidos e linhas que ainda são fornecedoras do ateliê. Ela também esteve em países da Ásia e da África. Tudo o que via e achava interessante podia ser transformado em texturas. "As flores são o nosso forte, mas temos, por exemplo, um jogo americano inspirado em templos egípcios comercializado há mais de trinta anos", diz Patrícia. Boa parte das vendas é feita sob encomenda, e suas peças bordadas já viajaram o mundo. "Inclusive entre a nobreza europeia", afirma Cláudia. Toalhas de mesa ganham fios de ouro, pontos nobres e texturas únicas. Demoram mais de oito meses para ficar prontas. Lygia morreu em 2006, aos 82 anos. Nos grandes armários de madeira que projetou, deixou pilhas e pilhas de desenhos em papel vegetal. "É o nosso maior tesouro", concordam as filhas.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE