Listas

Quinze programas grátis para a semana (26/10 a 01/11)

Por: João Renato Faria - Atualizado em

Concertos

Concerto Novamostra

A apresentação dos alunos de composição da Escola de Música da UFMG pretende revelar um painel do que é produzido dentro do curso. Livre.

Conservatório UFMG (220 pessoas). Avenida Afonso Pena, 1534, Centro, ☎ 3409-8347. Quinta (31), 20h. Grátis. www.ufmg.br/conservatorio.

Concerto Palestra

O intuito é mostrar um painel da música de câmara brasileira, apresentado por diferentes grupos formados por alunos de graduação da UFMG. Eles também fazem uma palestra sobre as obras interpretadas. Entre os compositores abordados estão Alberto Nepomuceno, Vil­la-Lobos e João Guilherme Ripper. Livre.

Auditório Fernando de Mello Vianna (Escola de Música da UFMG). Avenida Antônio Carlos, 6627, Campus Pampulha, ☎ 3409-4718. Quarta (30), 17h40. Grátis.

Especial

Angélica Freitas

Autora de dois livros de poemas e um romance gráfico, a gaúcha Angélica Freitas foi eleita, em 2012, a escritora do ano pelo jornal Folha de S.Paulo. Nesta semana a autora vem a Belo Horizonte para participar da 61ª edição do Ofício da Palavra. Angélica conversa com o público sobre seus trabalhos mais recentes e a forma como o universo feminino é explorado neles. Durante a discussão, ela fala sobre as influências da cultura pop em sua poesia e reflete sobre a importância da internet como ferramenta de divulgação e construção do seu trabalho.

Museu de Artes e Ofícios. Praça Rui Barbosa (Praça da Estação), Centro, ☎ 3248-8600. Terça (29), 19h30. Grátis.

Lançamento de Livro

O jornalista Flávio Geraldo Anselmo lança o livro A Casa da Memória Uterina — Contos e Continhos. O título reúne narrativas que mesclam ficção e realidade.

Leitura do Pátio Savassi. Avenida do Contorno, 6061, Funcionários, ☎ 3288-3800. Terça (29), 19h. Grátis.

Crianças

Visita Teatralizada

O programa CCBB Educativo foi pensado para toda a família explorar as dependências do instituto. Com uma equipe de 22 profissionais graduados em artes visuais, música, teatro, história e filosofia, os passeios pelo prédio pretendem mostrar que a arte não é um bicho de sete cabeças. Crianças podem participar da contação de histórias e da "visita teatralizada", em que educadores com formação em artes cênicas encarnam personagens como o Barão do Café, a Moça dos Anos 20 e o Tocador de Realejo. Rec. a partir de 5 anos.

Centro Cultural Banco do Brasil. Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎ 3431-9440. Contação de histórias: sábado, domingo e feriados, 14h e 17h. Visita teatralizada: sábado, domingo e feriados, 18h. Grátis. Retirada de senha com no mínimo meia hora de antecedência.

Exposições

Augusto Fonseca

No delicado conjunto de aquarelas, desenhos, fotografias e objetos intitulado O Falso Espelho, o jovem pintor faz uma releitura às avessas do mito de Narciso. Em uma sequência de autorretratos, ele se apresenta como um homem que, em vez de admirar, estranha a própria figura. O destaque vai para a parede de desenhos.

Galeria de Arte Copasa. Rua Mar de Espanha, 525, Santo Antônio, ☎ 3250-1506. Todos os dias, 8h às 19h. Grátis. Até 11 de novembro.

BHÁsia

Quatro artistas orientais criaram intervenções de grande porte que chamam atenção pela cidade. Uma casa no alto de uma torre foi instalada em frente à rodoviária (Tatzu Nishi); um barco de madeira, na Praça do Papa (Subodh Gupta); uma ilha flutuante, na barragem Santa Lúcia (Jennifer Wen Ma); e uma espécie de templo, na Praça da Liberdade (Zhang Huan). Dá para passear de pedalinho através e ao redor da ilha todos os dias, de 10h às 18h.

Vários locais públicos da cidade. Grátis. Até 8 de dezembro.

Candido Portinari

Não se pode deixar de ver de perto a dupla de painéis Guerra e Paz, do célebre pintor de Brodowski (1903-1962). As visitas estão organizadas em sessões que apresentam um vídeo de dez minutos sobre a vida do artista antes de revelar os murais. Não se preocupe, pois a introdução não é entediante. Felizmente as intervenções tecnológicas só potencializam a complexidade e a beleza dos traços da obra-prima de Portinari. No 7º andar ainda estão expostos mais de setenta estudos preparatórios e alguns documentos históricos da época de produção das telas monumentais (1952-1956).

Cine Theatro Brasil Vallourec. Praça Sete, Centro, ☎ 3201-5211. Terça a domingo. Sessões a cada hora, entre 10h e 19h. Grátis. Até 24 de novembro.

GTO - 100 Anos

Geraldo Teles de Oliveira (1913-1990) foi um homem humilde que descobriu tardiamente sua vocação artística. Depois de trabalhar em plantações e até como vigia noturno de um hospital, GTO (como gostava de ser chamado) disse ter tido uma série de visões que o incitavam a fazer esculturas. Autodidata, começou a produzir entalhes em madeira aos 55 anos. Em totens, mandalas e peças de formatos variados, ele retratou figuras religiosas, festas e costumes mineiros. Em homenagem ao centenário de seu nascimento, o mestre ganha mostra de trinta obras de madeira e uma peça rara esculpida em pedra-sabão.

Centro de Arte Popular - Cemig. Rua Gonçalves Dias, 1608, Funcionários, ☎ 3222-3231. Terça, quarta e sexta, 10h às 19h; quinta, 12h às 21h; sábado e domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 29 de dezembro.

Nelson Brasil Rodrigues - 100 anos do Anjo Pornográfico

Em 2012, ano do centenário de seu nascimento, o célebre dramaturgo ganhou mostra retrospectiva organizada por Crica Rodrigues e Nelson Rodrigues (filho). Ponto final das itinerâncias da Funarte, a sede de Belo Horizonte recebe a exposição de textos, reportagens, programas de peças teatrais, críticas e fotos históricas.

Funarte. Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-3084. Segunda a sexta, 10h às 18h. Grátis. Até 20 de dezembro.

As Origens do Fotojornalismo no Brasil: um Olhar sobre O Cruzeiro (1940-1960)

O semanário, que circulou de 1928 a 1975, marcou a memória dos brasileiros e influenciou a maneira de fazer jornalismo impresso no país. Talvez a mais importante inovação do veículo tenha sido permitir que os ensaios fotográficos dividissem o protagonismo da página com o texto. Em mostra organizada pelo Instituto Moreira Salles, estão expostas cerca de 400 imagens, que retratam desde as incursões indígenas dos irmãos Villas Bôas até a vida privada de Carmen Miranda. Vale a pena subir ao mezanino para ver de perto três câmeras fotográficas usadas entre as décadas de 20 e 50 e a famosa reportagem de 1952 sobre a viagem de Guimarães Rosa pelo sertão mineiro.

Centro de Arte Contemporânea e Fotografia. Avenida Afonso Pena, 737 (Praça Sete), Centro, ☎ 3236-7400. Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até 17 de novembro.

Tomie Ohtake

Nascida no Japão e naturalizada brasileira, ela é considerada a dama das artes plásticas no país e segue em atividade aos 99 anos de idade. Em homenagem a seu centenário, que será completado em 21 de novembro, foram organizadas mostras em Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza e Salvador. Por aqui, cinquenta obras encontram-se montadas em ordem cronológica e ilustram diversas fases de sua carreira. Só o primeiro quadro é figurativo. O que se vê nas telas seguintes é o uso crescente e mais livre de manchas de cor e formas circulares, ovais e retangulares. No fim do corredor estão uma bela série de gravuras e, dependuradas no teto, cinco esculturas de ferro, quatro produzidas neste ano. Com 412 metros quadrados e uso inteligente da luz natural, paredes, piso e teto brancos, a galeria projetada por Paulo Pederneiras e Fernando Maculan é uma atração à parte.

Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube. Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1027. Terça a sábado, 10h às 20h; domingo, 11h às 19h. Grátis. Até 2 de fevereiro de 2014.

Música

Érika Machado

Após passar uma temporada em Coimbra, Portugal, a cantora está de volta à sua cidade natal. O repertório gira em torno dos seus dois discos, que a fizeram se destacar na cena independente de BH com um som que passeia por rock, MPB e samba. Livre.

Café do Palácio das Artes. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7400. Quarta (30), 19h30. Grátis. www.fcs.mg.gov.br.

Fino Choro

A especialidade deste grupo é dar uma embalagem diferente, inspirada em música de câmara, a clássicos do choro de nomes como Pixinguinha e Jacob do Bandolim. A apresentação é em um horário pouco usual, na hora do almoço.

Conservatório UFMG (220 lugares). Avenida Afonso Pena, 1534, Centro, ☎ 3409-8347. Quarta (30), 12h30. Grátis. www.ufmg.br/conservatorio.

Roberto Uber

Um dos galpões do espaço receberá um cenário especial para o show do cantor belo-horizontino, que lança seu segundo disco, É!. Passeando por estilos como MPB, fado, salsa e até valsa, a apresentação será filmada para se transformar em um DVD. Os ingressos, grátis, serão distribuídos no local. Livre.

Funarte (139 lugares). Rua Januária,68, Floresta, ☎ 3213-3084. Terça (29), 20h. Grátis.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE