Educação

Confira dicas para enfrentar a reta final de preparação para o Enem

O Colégio Bernoulli ensina como controlar os nervos e revisar os conhecimentos antes das provas, que serão aplicadas nos dias 8 e 9

Por: Glória Tupinambás - Atualizado em

Gustavo Andrade/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) bate à porta dos 8,7 milhões de estudantes que farão as provas nos próximos dias 8 e 9. Nesta reta final, o desafio é driblar a ansiedade e aproveitar o tempo para os últimos preparativos. A convite da VEJA BH, o Colégio Bernoulli - líder no ranking do Enem em Minas e segunda melhor escola do país na avaliação - dá dicas para controlar os nervos e testar os conhecimentos. "É preciso relaxar e se preparar para a maratona de provas, pois o Enem é muito mais uma avaliação das habilidades desenvolvidas ao longo de toda a vida escolar do que um teste de conteúdos específicos e pegadinhas", diz o diretor de ensino do Bernoulli, Rommel Fernandes Domingos.

- Cuide do corpo: durma bem, mantenha uma alimentação saudável, beba bastante líquido e faça atividades físicas leves.

- Para arejar a mente, assista a filmes divertidos, saia para jantar com os pais e combine um passeio no shopping com amigos.

- Trace a estratégia da prova. Defina o tempo a ser gasto em cada uma das avaliações e na redação e reserve pelo menos trinta minutos para o gabarito.

- Reduza o ritmo de estudos na semana final de preparação. O ideal é não exceder oito horas diárias diante de livros e cadernos.

- Ao estudar, foque nos pontos mais importantes de cada disciplina. Na matemática, dê prioridade à regra de três, porcentagem, análise de gráficos, probabilidades e semelhança de triângulos. Para a redação, a dica é treinar agilidade, boa argumentação e o uso de vocabulário simples. Na geografia, o destaque deve ser para temas atuais como a questão da água, desmatamento e produção agrícola. Em história, faça uma boa revisão dos fatos mais marcantes dos últimos 100 anos no Brasil. Para se preparar para a biologia, dê atenção à ecologia, saúde pública e doenças como a dengue, ebola e febre chikungunya. Na química, os temas mais cotados são os relacionados aos cálculos estequiométricos, processos nucleares e química ambiental. E, na física, movimentos, conservação de energia e sistemas energéticos.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE