Quadrinhos

Quadrinhos do cartunista Henfil são relançados

Dono de traço rápido e humor ácido, desenhista mineiro continua atual

Por: João Renato Faria - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

A Graúna, o bode Orelana, o nordestino Zeferino e os fradinhos Cumprido e Baixim. Desenhados com um traço apressado e sempre donos de críticas mordazes, os personagens criados por Henrique de Sousa Filho estão de volta. O trabalho de Henfil, como se tornou conhecido o cartunista mineiro, está sendo reeditado em 31 volumes, que recuperam as histórias da revista Fradim, publicada entre 1972 e 1980.

"Queremos resgatar a obra dele, que está um pouco esquecida", diz Mateus Prado, presidente da ONG Henfil Educação e Sustentabilidade e responsável pelas reedições. Ele lamenta que gerações mais novas não conheçam o trabalho do desenhista, que morreu em 1988, vítima de complicações decorrentes da Aids contraída em uma transfusão. Para ele, o trabalho de construção de identidade nacional que Henfil fez nos anos 70 é comparável ao do argentino Quino, criador de Mafalda. "Ele retratou como ninguém o momento que o país passava, a convulsão social, os movimentos que se organizavam", diz.

Apesar de mostrar um período específico do país, as críticas à desigualdade social, corrupção e política continuam atuais."Temos tirinhas que se encaixam perfeitamente no mensalão, por exemplo", diz Prado. "Ele não perdoava ninguém."

Os volumes podem ser comprados no site lojavirtual.cursinhohenfil.org.br/colecao-fradim.html e custam 15 reais

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE