Saúde

O calorão pode colocar a saúde em risco

Insolações, desidratações e queimaduras são comuns nos dias de alta temperatura

Por: João Renato Faria - Atualizado em

Ana Cláudia Crispim
(Foto: Redação VejaBH)

O calor deste verão está passando dos limites. Com as altas temperaturas, quem mais sofre é o organismo, sobretudo quando algumas atitudes que parecem irresistíveis entram na programação, como deitar-se por horas em um banho de sol para bronzear ou beber uma cervejinha gelada para se refrescar.

O que parece ser um bom jeito de se refrescar acaba causando problemas sérios à saúde, como insolações, desidratações e queimaduras. "Em casos extremos, a longa exposição ao sol pode ser um fator que provoca câncer de pele", alerta Flávia Bittencourt, dermatologista e professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. Confira abaixo os pecados que, para o bem da saúde, devem ser evitados durante a estação.

Ficar horas debaixo do sol

A exposição intensa aos raios solares pode provocar queimaduras e até mesmo uma insolação. O melhor jeito é aproveitar a sombra e não dispensar chapéus e roupas leves quando for para a beira de uma piscina ou na praia.

Tomar sol entre 10h e 15h

Neste horário, a incidência de raios ultravioletas do tipo B é mais intensa, o que torna o período mais crítico do dia. Evitar o sol neste horário é fundamental. Mas não significa que dá para descuidar no início da manhã cedo ou no fim da tarde. "Os raios ultravioletas mantém a mesma intensidade ao logo do dia e são tão perigosos quanto os UVB", diz Flávia.

Economizar ou esquecer o filtro solar

Ele é um dos aliados mais importantes para evitar queimaduras solares, mas pouca gente usa direito. Não vale só passar de leve. A camada de protetor deve ser generosa e bem aplicada em todas as áreas descobertas, meia hora antes do corpo ser exposto ao sol. "Ele precisa ser absorvido pela pele para fazer efeito", diz Flávia. Quem entrar no mar ou na piscina também deve passar de novo assim que sair da água.

Beber para refrescar

Caipirinhas e cervejas podem ser uma delícia com o calor. Mas como aumentam a produção diurética por conter álcool, elas também ajudam a desidratar o organismo. "O ideal é beber água, sucos, chás gelados ou água de coco para manter o corpo bem hidratado", diz Marta Sarquis, endocrinologista e professora da UFMG. Refrigerantes também não são uma boa pedida. "Eles até ajudam um pouco, mas tem muitos produtos químicos."

Não prestar atenção à conservação da comida

O calor prejudica a conservação de alimentos que pode, muitas vezes, ir parar nos pratos. "Uma comida estragada pode provocar uma diarreia e levar à desidratação", diz Marta. Por isso, fique atento ao comer fora de casa e evite ingredientes que costumam sofrer mais nas altas temperaturas, como frutos do mar e maionese.

Esquecer crianças e idosos

Como eles têm autonomia e mobilidade reduzidas, pode acontecer de crianças e idosos ficarem sem acesso à água. "Os mais velhos, principalmente, já perderam a sensibilidade à sede e ficam sem beber nada", alerta Marta.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE