A opinião do leitor

A opinião do leitor

- Atualizado em

Chuvas

Entre as medidas apontadas por especialistas na reportagem "Como resolver esse caos" (16 de janeiro) está a construção de reservatórios. Um dos exemplos mais bem-sucedidos de tal tipo de obra é, segundo eles, a Barragem Santa Lúcia, no fim da Avenida Prudente de Morais. Morador da região, eu caminho em seu entorno desde que ela surgiu, há mais de trinta anos. Posso afirmar que, no início, a obra realmente atendia a seu propósito de regularização da vazão do Córrego do Leitão, hoje canalizado. Entretanto, isso já não acontece. A barragem nunca passou por um processo efetivo de desassoreamento. Mais da metade de sua área está inutilizada.

Carlos Alberto Barone

Verão

A ótima reportagem publicada por VEJA BH ("Delícias geladas", 16 de janeiro) traduziu bem o clima da nossa sorveteria. Muitas pessoas vieram conhecer a Inventiva e tomar um delicioso sorvete nos últimos dias, um sinal de que a revista é uma das principais referências de programação na cidade.

Carlos Sai

Clubes

Quero registrar o que me pareceu um equívoco na reportagem "As praias de BH" (2 de janeiro). VEJA BH deveria ter incluído nessa matéria a Associação Atlética Banco do Brasil (AABB-BH), clube frequentado por toda a minha família, que oferece um ambiente saudável em todos os setores de atividade e um departamento de tênis de fazer inveja.

Orcelino Andrade

Lagoa da Pampulha

Há pelo menos três décadas os órgãos públicos vêm gastando centenas de milhões de reais para despoluir a Lagoa da Pampulha ("Cartão-postal cada vez mais poluído", 26 de dezembro). Mas nada de concreto foi feito até aqui. O que vemos são as empreiteiras retirando aguapés, lama e todo tipo de sujeira inutilmente, levando nosso dinheiro. Quanta comissão será que elas já deram aos políticos para nenhum resultado prático? Se é para gastar tanto dinheiro, que façam como na Lagoa Zé Paulo, em Sete Lagoas. Esvaziem, construam um duto de cimento na parte mais baixa do leito, liguem todo o esgoto ao duto e depois deixem a água limpa da chuva encher a lagoa. Vai demorar, mas as futuras gerações vão agradecer. Basta. É hora de parar de jogar nosso dinheiro em um penico.

Geraldo Pinto de Mello

Cris Guerra

Acabei de ler sua crônica "O mar" (16 de janeiro) e quero parabenizá-la pela bela escrita. Tão poética e inspiradora! Fazia muito tempo que algo não me tirava o fôlego assim. Depois de ler, achei você on-line: sua história, seus blogs, fotos e looks. Quanta coisa incrível e benfeita. Você é fantástica.

Mariana Campos-Harris

Só começo a leitura de VEJA BH pela sua crônica, Cris. Ela sempre é maravilhosa e nos permite sonhar. Você faz o dia ficar azul da cor do mar. Meus cumprimentos por sua sensibilidade e obrigada por nos lembrar de momentos de felicidade, como se tivesse uma bola de cristal. Você é luz, menina. Continue brilhando sempre.

Ana Maria Lage Pessoa

Quero parabenizá-la pelos textos leves, gostosos de ler e ao mesmo tempo profundos, sempre reflexivos, sempre sondando os meandros da alma. Gosto muito!

Francisco Adolfo Ferreira

Escreva para Nós

E-mail: vejabh@abril.com.br

Cartas: Avenida do Contorno, 5919, 13º andar, CEP 30110-042, Belo Horizonte, MG

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, Veja BH. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Atendimento ao leitor: (31) 3254-3518

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de Veja BH

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE