A opinião do leitor

A opinião do leitor

- Atualizado em

ProtestosEstive presente em uma das manifestações em BH ("O dia em que a cidade parou", 3 de julho). Apesar de concordar que o Brasil precisa de melhorias, não aprovo o que está acontecendo em Belo Horizonte e no Brasil inteiro. Os vândalos estão quebrando tudo por onde passam. As patrocinadoras da Copa das Confederações (Kia e Hyundai) tiveram suas lojas, na Avenida Antônio Carlos, queimadas. O enorme prejuízo dos donos foi causado pelos vândalos infiltrados nas manifestações.

Danilo Assis Milagres Rodrigues

Gostei da matéria sobre os protestos. Mas gostaria de sugerir que, em outra eventual edição, fossem apresentados aspectos mais positivos das manifestações. Não percebo essa conotação negativa somente nessa reportagem. Vários meios de comunicação cometem o mesmo tipo de equívoco ao falar somente do vandalismo.

Marina Rocha de Oliveira

Esses vândalos, além de prejudicar os donos das lojas que são destruídas, acabam afastando as pessoas que iriam aos protestos para lutar por seus direitos pacificamente.

Vítor Tafuri Ceolin

BarbacenaA reportagem "Horrores de Barbacena" (3 de julho) causou-me muita tristeza, mas fiquei especialmente comovido com a foto do garoto Silvio Savat. Cada detalhe da imagem desse menino só me leva a pedir a Deus que não tenha compaixão dos promotores dessa barbárie e que dê a esse garoto, onde quer que ele esteja, a paz, o conforto e o carinho de que tanto precisou quando por aqui passou.

Aldo Lucio Silva

Ana Paula Valadão

Não sou evangélico, mas amo as canções escritas por Ana Paula Valadão e sua atitude perante a Igreja ("Estrela gospel", 26 de junho). As pessoas que falam de suas joias, de seu dinheiro, deveriam estar no lugar dela para ver se fariam algo de graça. Além de pastora, ela é uma artista como qualquer outra. Não é Deus para abençoar as pessoas e derramar cura, mas faz de suas músicas orações cantadas que se refletem no coração. Se ela se veste bem e usa as melhores grifes, está mais do que certa. Mostra a verdadeira mulher que há na nossa sociedade e que evangélicos também se vestem bem. Não são bobos como os personagens das novelas. Ela é digna e merece o respeito de todos!

Thiago Henrique Amorim

Sou policial militar, li a reportagem sobre Ana Paula Valadão e não concordo com observações como "usa as melhores roupas" ou "frequenta os melhores lugares". Ela é simples e humilde. Adoro o Diante do Trono, pois foi ouvindo suas canções que aprendi o sentido da vida.

Silvanei Alves

Luís GiffoniFico feliz em saber que não sou a única a observar a cidade acordando ("BH amanhece", 3 de julho). Levanto às 4h30 para ter bastante tempo para me arrumar. Às 6 horas, eu e meu marido saímos de casa e seguimos pela orla da Lagoa da Pampulha. Enquanto ele dirige, observo aves, capivaras, árvores que florescem, o sol nascendo lindo, os transeuntes. Às 7 horas, assumo o plantão na recepção do Hospital João XXIII. Agradeço a Deus pelo privilégio desse visual. Eu ficava me perguntando se mais alguém observava essas coisas.

Sônia Maria Sousa

Luís Giffoni, olhar de menino, faça mais caminhadas por BH. Assim você precisará de menos exames e nós nos deleitaremos com sua visão de mundo, de horas, de rua...

Alexandre Brandão

É muito encantador o modo com que brinca com as palavras em suas crônicas. Parei para pensar no valor semântico amplamente rico, na tamanha sensibilidade e facilidade com que retoma cada palavra que anda adormecida em nosso vocabulário, neste mundo todo, ou quase todo, tecnológico. Parabéns e obrigada por nos brindar com o mundo mágico das palavras.

Mari Lúcia Costa Araújo

Escreva para nós

E-mail: vejabh@abril.com.br

Cartas: Avenida do Contorno, 5919, 13º andar, CEP 30110-035, Belo Horizonte, MG

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente.

Envie para Diretor de Redação, Veja BH. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Redes sociais: facebook.com/vejabh e @veja_bh (Twitter)

Atendimento ao leitor: (31) 3254-3518

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de Veja BH

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE