A opinião do leitor

A opinião do leitor

- Atualizado em

› Memória

Dizem que nós, mineiros, lemos muito os escritores nascidos no Estado. A reportagem sobre Fernando Sabino explica bem o porquê ("O cavaleiro de Beagá", 2 de outubro).

Mara Oliveira

› Centro Administrativo

Sou a favor da obra, que garantirá valorização e segurança para a região da Lagoinha e do Bonfim ("A prefeitura quer casa nova", 2 de outubro). A Rua Itapecerica, por exemplo, foi dominada pelo tráfico.

Maurício Silva

Aniquilar o resto de história que a cidade tem para a construção de um prédio não fará a marginalidade acabar. É um pensamento estúpido. Na melhor das hipóteses, ela vai mudar de lugar.

John F. Vieira

Estão tirando conclusões apressadas. Não há como falar em economia se ainda não existe projeto nem previsão dos gastos da obra. A suposta economia de aluguel poderá ser menor do que o custo fi­­nanceiro do empreendimento. Só será possível saber se existirão benefícios, ainda que indiretos, após estudo preliminar. Espero que a prefeitura de BH pro­­mova o debate sobre a implantação do centro.

Thiago Camargo

› Transporte

A instalação de câmeras nos ônibus foi uma excelente iniciativa para aumentar a segurança no transporte de BH ("O Big Brother dos ônibus", 2 de outubro).

Demolins Pires

Machado Rezende

› Minas, São Muitas

Voltei a Itabira, cidade onde nasci, depois de 25 anos morando fora, e a encontrei como sempre foi ("Terra de ferro e de poesia", 2 de outubro). Os casarões, as pessoas amigas, a vida passando de mansinho, a chuvinha miúda, o friozinho... Apenas me assustei com a degradação ambiental.

Carmen Gomes Caldas

› Web delivery

Na reportagem "Da internet para a mesa" (2 de outubro), os estabelecimentos foram avaliados pela entrega de apenas um prato. No caso do Restaurante do Porto, no entanto, foram pedidos dois pratos, o que causou uma falsa impressão de que os preços praticados por ele são altos. O filé à medalhão custa 80 reais e o filé à parmigiana, 65 reais.

Lorenza Coelho

Assessora de imprensa do Restaurante do Porto

› Bares

Tenho orgulho dessa pérola chamada Café Palhares, cuja história se confunde com a da própria cidade ("Um veterano de respeito", 2 de outubro). O bar foi fundado pelo meu avô, Newton Palhares Diniz, e seus irmãos, Hélio Palhares e Antônio Palhares, que começaram a vida engraxando sapatos e vendendo banana. Na década de 70, foi vendido para a família de Antônio Ferreira, que o mantém sob primorosa administração.

Marcos Paulo Souza Barbosa

› Trabalho escolar

Nossa professora de português nos pediu que lêssemos uma edição da revista VEJA BH para fazer um trabalho. Em trio, folheamos uma publicação incrível, com várias opiniões e colunas diferentes. Nós, que somos de uma cidade do interior de Minas, Ubá, agradecemos por nos manterem bem informados.

Maria Luiza de Freitas Silva

› Cris Guerra

Que lindo texto ("A casa", 2 de outubro). Lembrei-me de cada canto da casa de seu avô, atual museu Casa Kubitschek, viajando por suas palavras de saudade.

Marisa Figueiredo

Sem nunca ter estado na casa de seu avô, mas lembrando de JK, que era amigo de meu pai, emocionei-me como se já a conhecesse. Vou lá e, com certeza, será uma visita de reconhecimento e de recordações do que não vivi.

Eneida Baltazar

Escreva para nós

E-mail: vejabh@abril.com.br

Cartas: Avenida do Contorno, 5919, 13º andar, CEP 30110-035, Belo Horizonte, MG

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente.

Envie para Diretor de Redação, Veja BH. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Redes sociais: facebook.com/vejabh e @veja_bh (Twitter)

Atendimento ao leitor: (31) 3254-3518

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de Veja BH

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE