A opinião do leitor

A opinião do leitor

- Atualizado em

› Instituto Libertas

Admiro quem não mede esforços com o objetivo de criar condições para que os filhos descubram seus talentos ("Pais no comando", 6 de novembro). Isso pode revolucionar a vida deles. A esses pais, o meu respeito.

Patrícia Pilo

Desde sua origem, acompanho o projeto do Libertas. Era um belo sonho do João Guimarães e seria muito triste ver tudo acabar.

Marcelo Xavier

Sou aluna do Instituto Libertas há dois anos. Todo dia acontece algo que me emociona e me faz amar mais essa escola.

Marina Castro

Minhas filhas de 4 e 10 anos estudam no Instituto Libertas. Nós, pais, estamos mais leves e seguros com a continuidade da escola.

Katia Maciel

Torço para que o Libertas não perca seu rumo original. Uma boa administração é fundamental, mas a filosofia pedagógica e sua prática são a alma de uma escola que sempre pretendeu fazer a diferença.

Eduardo Monteiro

› Lagoa dos Ingleses

Parabenizo a revista e a repórter Luisa Brasil pela corajosa reportagem "Em águas rasas" (6 de novembro), que trata de um gravíssimo problema que avassala as nossas Minas Gerais: a destruição imposta por grande parte das mineradoras, inclusive em um território de gente poderosa, como o condomínio Alphaville. Se nada for feito, a Lagoa dos Ingleses secará em breve.

Marcos Maracanã

Apreciamos a reportagem sobre a Lagoa dos Ingleses. Gostaria de esclarecer, no entanto, que os proprietários de imóveis no condomínio estão desencadeando ações com o objetivo de valorizar os investimentos que fizeram. Em relação à AngloGold Ashanti, mantemos as melhores relações.

Abílio dos Santos

Presidente da Associação Geral Alphaville Lagoa dos Ingleses

› Belo-horizontino Nota Dez

Parabéns ao Rafael Favarini (6 de novembro). Em vez de esperar que somente o poder público fizesse sua parte, ele tomou para si uma parcela da responsabilidade de ajudar quem precisa. É nota 1 000.

Adriana Sayar

› Luís Giffoni

Adorei a sua descrição dos "Caminhos de Minas" (6 de novembro) feitos a partir das pernas. Eu que o diga: como é bom andar, olhar ao redor e para dentro de nós mesmos! Essas andanças nos possibilitam análises. Fiz, como você, diversos caminhos: Estrada Real (mais de 1 400 quilômetros em duas rotas), Santiago de Compostela, na Espanha (850 quilômetros), e o mais difícil e complicado, o Caminho Inca, no Peru — a chegada a Machu Picchu é algo extraordinário, que encanta os olhos e emociona o coração. Quem pode, tem saúde e disposição deve pôr os pés nos caminhos da vida enquanto as pernas permitem.

Beth Pimenta

Eu me deliciei com sua crônica. Lembrei-me de uma vez em que passeava pela Serra do Cipó e ouvi um morador da região falar que o povo da cidade grande é muito engraçado com essa mania de caminhar. Parabéns pelo texto.

Ana Virgínia Costa

Muito bom o seu texto sobre os vários caminhos de Minas. Parabéns por divulgar aos leitores o quanto faz bem caminhar.

Magnus Gusman

O texto me fez lembrar do que falei a um vizinho e amigo meu: "Eta, preguiça danada!". Ele tira o carro da garagem para levar o filho à escola, distante um quarteirão de sua casa.

Francisco Vicente Soares

Correção: na resenha sobre o espetáculo A Pequena Sereia ("Veja BH Recomenda", 4 de setembro), o ator na foto é Felipe Volponi, que participou da montagem do musical em 2011.

Escreva para nós

E-mail: vejabh@abril.com.br

Cartas: Avenida do Contorno, 5919, 13º andar, CEP 30110-035, Belo Horizonte, MG

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente.

Envie para Diretor de Redação, Veja BH. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Redes sociais: facebook.com/vejabh e @veja_bh (Twitter)

Atendimento ao leitor: (31) 3254-3518

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de Veja BH

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE