A opinião do leitor

A opinião do leitor

- Atualizado em

› PerfilParabéns pela excelente reportagem sobre a filha de José Alencar ("A novela da herdeira", 19 de março). Uma abordagem sensível e humana, sem procurar destruir reputações.

Hélio Fraga

É relativamente comum, em cidades do interior de Minas, homens e rapazes fazerem teste de DNA para reconhecimento de paternidade. Algumas vezes a suspeita não se confirma. Se o ex-vice-pre­sidente não houvesse se negado a fazer o exame, esse problema já estaria resolvido.

Denise Pacis Pinto

Que a justiça seja feita e a verdade prevaleça. Homem que põe filho no mundo e depois finge que ele não existe é o que mais tem.

Elaine Nacur Salvador Silva

O vice-presidente José Alencar agiu de maneira torpe e desalmada. É claro que ele sabia que tivera uma filha. A prova cabal é que se negou a fazer o teste de DNA. Ele, sempre que entrevistado, ficava cheio de onda e se julgava um grande homem. Provou, com sua atitude, que era na verdade um homúnculo.

Ronaldo Guilherme Benvenga

Eu ainda acho José Alencar um homem íntegro. Todo jovem faz algo errado. Espero que a família dele se conforme e aceite a professora Rose.

Alfredo Tonetti

› Belo-horizontino Nota Dez

"Você precisa ser a mudança que quer ver no mundo", já dizia Mahatma Gandhi. Arthur está fazendo a diferença (19 de março).

Meirielle Bovio

› Ambiente

Parabenizo a pesquisadora Delfina Araujo pela iniciativa e os responsáveis pelo parque por não se julgarem donos da verdade e acatarem a sugestão ("Uma casa para a vanda", 19 de março). Quando existe bom senso, as coisas tendem a caminhar bem.

Elmir Gonçalves Oliveira

› Cris Guerra

Com o advento da internet, tudo o que é digitado nas redes sociais sai completamente do controle em questão de segundos ("A palavra e o poder", 19 de março). São tantos os casos como esse, de desrespeito no meio virtual, que já virou rotina abrir o jornal ou ligar a televisão e deparar com tais notícias. As pessoas têm de se conscientizar que, na frente da tela de um computador, existe um ser humano que merece ser respeitado.

Alessandra Rosa Policarpo

A crônica menciona o fato de a designer Daniella Cabizuca ter 230 000 seguidores no Instagram, certo? Ora, acho que podemos dizer sem medo de errar que ela é uma pessoa pública. Sendo o Instagram, assim como outras redes sociais, uma vitrine virtual para o mundo, nada mais previsível que, caso incorra em ato considerado reprovável, ilegal ou imoral, ela seja condenada por isso. Ainda mais se, até então, era "admirada". Por que alguns poderiam se arvorar no direito de emitir opiniões a torto e a direito, ser lidos e "seguidos" por milhares, mas se ver imunes a críticas? Isso não é correto. Opiniões não mudam fatos. E os fatos são que ela cometeu um delito, houve flagrante, foi punida pela lei vigente e a notícia vazou. Sarcasmos, acidez e virulência de outros não vão mudar esses fatos. Pessoas públicas são modelos. A crítica e a decepção são legítimas. Não quer que ninguém lhe aponte o dedo? Não faça besteira. Quer fazer? Faça bem feito e escondido. Vacilar e deixar milhares saberem e não esperar julgamentos é ingenuidade (para não dizer outra coisa).

Ricardo A. Leite

Somos responsáveis pelo bem e pelo mal que fazemos a nós e aos outros quando somos inconsequentes com nossas palavras.

Guih Yan

Realmente vivemos em um mundo no qual a palavra é usada mais para o mal que para o bem.

Bruno Sayago

Escreva para nós

E-mail: vejabh@abril.com.br

Cartas: Avenida do Contorno, 5919, 13º andar, CEP 30110-035, Belo Horizonte, MG

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente.

Envie para Diretor de Redação, Veja BH. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Redes sociais: facebook.com/vejabh e @veja_bh (Twitter)

Atendimento ao leitor: (31) 3254-3518

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de Veja BH

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE