Tecnologia

Obras de Aleijadinho ganharão portal em 3D

Pesquisadores da USP escanearam igrejas e estátuas do mestre do barroco

Por: Cedê Silva - Atualizado em

2332_online_ouropreto01_dest.jpg
(Foto: Redação VejaBH)

As obras mais famosas de Aleijadinho estarão em breve de graça na internet, e em 3D. Nesta semana, pesquisadores do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo (USP) registraram em Ouro Preto imagens das fachadas de três igrejas com obras do mestre do barroco. Também fotografaram, em Congonhas, os doze profetas do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos.

O sofisticado scanner 3D usado nos trabalhos mapeia a região ao redor em 360 graus. "Ele emite raios laser e calcula, pelo tempo que o raio demora a voltar, a distância dos objetos", explica o engenheiro agrimensor Rômulo Assis. A máquina consegue captar até 1 milhão de pontos por segundo - cada ponto tem no mínimo um milímetro. As igrejas e estátuas geradas em 3D se parecem com as maquetes em computação gráfica que vemos nos "making of" dos filmes de animação, e são formadas por entre 15 e 25 milhões de pontos. Acoplada a uma câmera fotográfica de cinco megapixels, a máquina consegue "vestir" esses objetos virtuais com suas cores de verdade.

Um dos problemas de toda essa definição é o tamanho dos arquivos. Por precaução, o professor Mario Gazziro trouxe para Minas um HD externo com capacidade de dois terabytes (mais de 2 000 gigabytes). Não precisou - os arquivos das igrejas e dos profetas somam sete gigabytes (o equivalente a dois longa-metragens em alta definição). Ainda assim, são muito grandes para um portal na internet. O desafio dos pesquisadores agora será transformar os arquivos brutos em modelos baixáveis por uma conexão comum, sem sacrificar muito da qualidade. "Quem acessar nosso portal verá as obras com um nível de detalhamento ainda maior que o acessível aos visitantes reais", promete Gazziro. A fachada da Igreja de São Francisco de Assis, por exemplo, tem anjos e outros detalhes que ficam vários metros acima do nível dos olhos. No computador, isso não será problema.

Segundo Gazziro, a ideia de escanear as obras de Aleijadinho surgiu por acaso, durante uma aula no fim do ano passado. "Eu comentei sobre o projeto da universidade Stanford de escanear obras de Michelangelo quando um aluno interrompeu e perguntou por que não fazíamos algo parecido. E que o Aleijadinho era o nosso Michelangelo", conta. O portal com as obras de Aleijadinho em 3D deve entrar no ar em setembro.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE