Serviço

Parar o carro em estacionamentos fora do Aeroporto de Confins é opção prática e barata

Apesar da distância, diferença no preço pode chegar a até 20% a menos

Por: Thiago Alves - Atualizado em

Gustavo Andrade/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

Área para 2 347 veículos junto ao terminal: não é fácil encontrar vaga

A estudante de medicina Beatriz Carvalho Leite vai pelo menos duas vezes por mês ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, de onde embarca rumo a Brasília para visitar a família. Ela geralmente pega um táxi até o Terminal Álvares Cabral, na região central de BH, e utiliza o serviço de ônibus executivo. Na última viagem, porém, estava atrasada e resolveu ir com o próprio carro. Acabou descobrindo que parar o veículo em um dos estacionamentos que ficam fora do aeroporto é opção financeiramente vantajosa e também prática. Na véspera do feriado de Páscoa, Beatriz deixou seu Fiat 500 no Air Park, localizado em Vespasiano, a 11 quilômetros de distância, e de lá seguiu em uma van até o terminal de embarque. Não gastou mais do que quinze minutos no trajeto e desceu do veículo a poucos passos do balcão da companhia aérea. "Além de pagar mais caro, eu certamente perderia mais tempo para encontrar uma vaga no próprio aeroporto e andar até o terminal", concluiu. Pelos quatro dias de estacionamento, desembolsou 96 reais. "Vou passar a ir sempre de carro."

Com 2 347 vagas, a área para carros de Confins se tornou pequena para tanto movimento, o que deu espaço aos concorrentes - o Air Park e o Minas Park, a 3 quilômetros do aeroporto. Com diárias até 20% mais baratas (veja o quadro na pág. ao lado), esses estabelecimentos no entorno começaram a ser disputados pelos motoristas. Ambos fornecem traslado gratuito aos passageiros na ida e na volta. "As pessoas estão assimilando aos poucos a vantagem de parar longe de Confins", diz Alexandre Magno de Almeida, sócio do Air Park, inaugurado há um ano. "Nossos clientes não têm de puxar a mala sob o sol e não correm o risco de pegar chuva." Além do traslado, sua empresa oferece mimos como sala de espera com internet liberada, café da manhã e valor fixo de 300 reais da 13ª à trigésima diária. Almeida lembra que estacionamentos fora dos aeroportos são alternativas muito utilizadas em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. "Assim que essa prática cair no gosto dos mineiros, vamos ter mais concorrentes", prevê. De olho no crescimento da demanda, ele já comprou o terreno vizinho. Espaço não será problema se tiver de ampliar suas instalações.

Veja BH
(Foto: Redação VejaBH)

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE