Belo-horizontinos de 2012

Moda: Ronaldo Fraga

O estilista voltou à São Paulo Fashion Week e encantou o público com a retrospectiva dos seus dezessete anos de carreira

Por: Sabrina Abreu - Atualizado em

Nidin Sanches/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

Um dos protagonistas da moda nacional, o estilista Ronaldo Fraga fez em 2012 um balanço de seus dezessete anos de carreira. Há dois meses, inaugurou em BH a esperada exposição Caderno de Roupas, Memórias e Croquis, uma retrospectiva das 35 coleções criadas por ele, que já foi visitada por mais de 45 000 pessoas. Vários espaços disputavam a abertura da mostra, mas o belo-horizontino de 45 anos e bigode que desafia a lei da gravidade decidiu que só a faria se fosse no desativado Palácio dos Despachos, o imóvel que dará lugar à sede da Casa Fiat de Cultura, no Circuito Praça da Liberdade. Acabou sendo o primeiro a usar o espaço, muito antes de sua reinauguração oficial. "Se posso complicar, para que simplificar?" Assim é Fraga. Ele também fez questão de rodar em uma gráfica da capital mineira o livro que leva o título da exposição e chega às livrarias neste mês pela editora Cobogó, do Rio de Janeiro. "Amo minha cidade, escolhi morar e criar meus filhos aqui. Então, esse tem de ser o endereço principal dos meus trabalhos", explica. Perfeccionista, cuidou pessoalmente de cada detalhe da produção da obra. "Foi uma gestação de elefante, mas ficou 100% do meu gosto." A publicação, segundo ele, fecha um ciclo de sua história criativa. O ano também foi de reencontro com a São Paulo Fashion Week, o principal evento de moda do país, que ele resolveu ignorar no segundo semestre de 2011. Sua volta, em junho, com um desfile inspirado na Amazônia paraense, foi celebrada pela imprensa especializada. Fraga, no entanto, minimizou a participação. "É só parte do que eu faço, sei que a moda é muito mais do que roupas", filosofa.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE