Entretenimento

Museus e centros culturais de BH têm programação especial com horário estendido

Objetivo é fazer os visitantes curtirem atrações noite adentro

Por: Glória Tupinambás - Atualizado em

Gustavo Andrade/Odin
(Foto: Redação VejaBH)
No Terraço Astronômico do Espaço do Conhecimento UFMG a estudante Bárbara Boni contempla constelações e planetas

A vida noturna de Belo Horizonte reserva atrativos que vão além de bares, restaurantes, shows e espetáculos artísticos. Museus, centros culturais e espaços públicos, como o zoológico, também têm programação depois que o sol se põe. Todas as quintas-feiras, os endereços do Circuito Cultural da Praça da Liberdade estão abertos para visitação até as 21 horas. Uma vez por mês, em noites de lua cheia, o Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG e o Jardim Zoológico recebem pessoas que querem conhecer melhor os animais de hábitos noturnos.

Confira abaixo um roteiro com programas para fazer sob a luz lunar:

› Jardim Zoológico

Quando a noite de segunda (28) chegar, será hora de ver de perto tigres, jaguatiricas e lobos na Fundação Zoobotânica. Durante a Expedição Coruja, os visitantes terão a chance de conhecer hábitos alimentares e curiosidades de animais que fogem da claridade do dia. O evento ocorre uma vez por mês. Em agosto, será no dia 20. No zoológico, vale a pena agendar outra atração: o passeio noturno ao Aquário de BH, que acontece sempre na segunda sexta-feira do mês. As próximas datas para contemplar espécies do Rio São Francisco, como dourados, surubins e piranhas, serão 8 de agosto e 12 de setembro.

Rua Otacílio Negrão de Lima, 8000, Pampulha, ☎ 3277-7363. www.pbh.gov.br/fundacaozoobotanica.

› Espaço do Conhecimento UFMG

Reconhecer constelações, admirar-se com a grandeza de Marte ou com a nitidez dos anéis de Saturno e contemplar a Lua são apenas algumas das atrações do Terraço Astronômico. Todas as quintas-feiras, o local fica aberto até as 21 horas, com entrada gratuita. O horário de visitas também é diferenciado nas noites de fenômenos especiais, como eclipses, e para a realização de cursos.

Praça da Liberdade, 700, Funcionários, ☎ 3409-8350.www.espacodoconhecimento.org.br.

Victor Schwaner/Odin
(Foto: Redação VejaBH)
O Aquário de BH: oportunidade de ver espécies típicas do Rio São Francisco que raramente dão o ar da graça durante o dia, como piranhas e surubins › Museu de Artes e Ofícios Às quartas e quintas-feiras, o MAO estende o seu funcionamento e permanece aberto até as 21 horas. A partir das 17, a entrada é gratuita. Além do acervo de objetos e ferramentas de trabalho usados dos séculos XVIII ao XX, a programação noturna tem, em destaque, eventos como o Ofício da Música e o Ofício da Palavra. As próximas edições serão em 5 de agosto, com os escritores Luisa Geisler e Jacques Fux, e em 12 de agosto, com a participação do instrumentista Bernardo Fabris. Praça da Estação, 600, Centro, ☎ 3248-8600, www.mao.org.br. › Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG Nas noites de lua cheia, vale conferir a nova rotina que invade os 600 000 metros quadrados do espaço, com suas espécies raras da fauna e da flora silvestres. Caminhadas na mata, oficinas com falcões e outras aves de rapina, contato com répteis e apresentações culturais fazem parte da lista de atrativos para crianças e adultos. Os interessados podem marcar na agenda a data das duas últimas edições deste ano: 8 e 9 de agosto e 5 e 6 de setembro, quando o museu funcionará até as 23 horas, com entrada gratuita. Avenida Gustavo da Silveira, 1035, Santa Inês, ☎ 3409-7650. www.mhnjb.ufmg.br. › Museu das Minas e do Metal Sessões de leitura, performances de poesia e palestras tornam ainda mais interessantes as visitas nas noites de quinta-feira, quando o espaço fica aberto até as 22 horas. A principal atração do próximo Toda 5ª e Muito MMMais, no dia 31, é um bate-papo com o poeta e compositor Marcelo Dolabela, que vai discutir o panorama do rock em Minas e no país, dentro da série Língua Afiada. Antes ou depois do evento, vale conferir a iluminação especial do acervo, que mostra o universo das rochas e o processo de transformação dos minérios. Praça da Liberdade, s/nº, Prédio Rosa, ☎ 3516-7200. www.mmgerdau.org.br.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE