matéria de capa

Quem te viu, quem te vê: tecnologia

Por: Luisa Brasil - Atualizado em

2268_qtv_google.jpg
(Foto: Redação VejaBH)

Os números do setor de tecnologia da informação (TI) na região metropolitana de Belo Horizonte se destacam no cenário nacional: estão instaladas por aqui 5 000 empresas, o que nos candidata a assumir em breve o posto de capital digital do Brasil. E não é só a quantidade que impressiona, mas também a qualidade do que vem sendo produzido. Uma das mais poderosas empresas do mundo nessa área, o Google montou em Lourdes a sua sede brasileira. Desde 2005, quando comprou um sistema de busca projetado por professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Google mantém na cidade a sua base de pesquisa e desenvolvimento de produtos.

A reconhecida excelência da UFMG na área de ciência da computação ajuda a explicar o avanço da indústria local de TI. "Para que essas companhias se sustentem é preciso ter uma grande instituição de ensino e pesquisa que crie densidade intelectual no seu entorno'', destaca o Diretor de Engenharia do Google na América Latina, Berthier Ribeiro. "O Vale do Silício, por exemplo, desenvolveu-se ao redor das universidades da Califórnia e Stanford." O que atraiu o Google também despertou o interesse da americana Avenue Code, que desenvolve softwares para grandes redes de varejo. "São Paulo e Rio eram muito caras e Porto Alegre, muito longe", explica seu presidente, Amir Razmara, que mora em São Francisco, nos Estados Unidos. "Mas a qualidade da mão de obra foi fundamental." É o mesmo que dizem os dirigentes de outras companhias de TI que nasceram na própria capital. Daqui, muitas saí­ram para o mundo. Algumas são hoje líderes latino-americanas em seus nichos de atuação, como a Teknisa, de softwares voltados para o setor de alimentação fora do lar, ou a Samba Tech, de sistemas de compartilhamento de vídeos na internet.

Leia mais:Quem te viu, quem te vê

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE