Tecnologia

Programa BH Digital, que promete internet sem fio grátis pela cidade, deixa a desejar

Serviço não funciona em 40% dos endereços testados por VEJA BH

Por: Jéssica Michellin - Atualizado em

Nereu Jr/Odin
(Foto: Redação VejaBH)

A empresária Andrea Rabelo, na Praça Raul Soares: "Nunca consegui utilizar"

Lançado em 2005, o programa municipal de acesso gratuito à internet sem fio, o BH Digital, continua decepcionando os internautas. Há dois anos, a prefeitura prometeu instalar, até a Copa do Mundo, mais 170 hotspots em locais públicos para atender moradores e turistas. Não cumpriu nem metade da meta: foram apenas oitenta. O site da administração municipal informa que há 82 endereços na cidade com wi-fi grátis. Em 2012, VEJA BH testou 32 deles e constatou que apenas 43,8% funcionavam a contento. Na semana passada, a revista voltou aos lugares para conferir a qualidade do serviço. O resultado da prova melhorou um pouco, mas ainda deixa a desejar. Conseguimos acessar a internet em 59,4% dos endereços (veja o quadro na página ao lado). Em 40,6% deles o sinal simplesmente não existe ou é instável, comprometendo a navegação. Se a meta era agradar aos turistas que vieram à cidade para o Mundial, a prefeitura marcou um gol contra. No Expominas, onde a Fifa promoveu sua Fan Fest, a rede não era encontrada. "É impossível mandar uma mensagem pelo wi-fi", constatou o vendedor americano Keith Urdaneta. "Na minha cidade, Nova York, praças e pontos turísticos sempre têm sinal."

Em áreas movimentadas como a Praça Raul Soares, no Centro, também não há sinal. "Passo por aqui todos os dias, para ir ao trabalho ou voltar para casa, e nunca consegui utilizar o serviço", afirma a empresária Andrea Rabelo. A Prodabel, companhia municipal de informática, admite problemas no programa. "Há falhas momentâneas, causadas por interferência climática ou excesso de tráfego", diz o diretor de rede, Francisco Mansilha. "E há casos de defeito nos cabos de fibra óptica que prejudicam a conexão." Mesmo com as dificuldades, Mansilha promete ampliar o BH Digital. "Até 2016, a meta é estarmos em setenta praças e cinquenta vilas."

new.jpg
(Foto: Redação VejaBH)
Fernando Piancastelli
(Foto: Redação VejaBH)

A Praça da Liberdade: um dos lugares nos quais é possível navegar

new3.jpg
(Foto: Redação VejaBH)

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE