Cinema

Bem-intencionado, O Mordomo da Casa Branca falha ao querer abraçar muitas histórias

Trama inspirada em personagem verídico tenta dar conta de registrar mais de setenta anos da história

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Forest Whitaker: o protagonista de um elenco estelar

Embora elogiado nos Estados Unidos e forte candidato ao Oscar, o quarto longa-metragem do diretor Lee Daniels (de Preciosa) tem momentos risíveis. A trama, inspirada em personagem verídico, tenta dar conta de registrar mais de setenta anos da história americana por meio da vida de Cecil Gaines (o competente Forest Whitaker). Quando criança, ele viu o pai ser assassinado, foi criado pela dona de uma fazenda e, mocinho, saiu de lá para se virar sozinho. Chegou à Casa Branca em 1952 e serviu a oito presidentes, entre eles Eisenhower (Robin Williams) e Kennedy (James Marsden). Teve dois filhos. Enquanto o primogênito virou um ativista dos direitos dos negros, o caçula foi lutar na Guerra do Vietnã. Isso é só um resumo dos dramalhões do roteiro. Trazer à tona como a população negra foi (mal) tratada durante décadas é louvável. O melhor formato para construir personagens e deixar a narrativa fluir seria uma minissérie. Em pouco mais de duas horas, O Mordomo deixa a sensação de uma novela picotada.

✪ O Mordomo da Casa Branca, de Lee Daniels (The Butler, EUA, 2013, 132min). 14 anos. Estreou em 1º/11/2013.

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE