Cinema

Cinema: programação para os dias 30 de maio a 06 de junho

- Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

O destemido Scorch e o nerd Gary: personagens cativantes

PRÉ-ESTREIAS

Além da Escuridão - Star Trek

Quatro anos depois de revigorar a cinessérie Star Trek, o diretor J.J. Abrams assina o novo episódio da ficção científica. Na viagem de volta para casa, a equipe da nave Enterprise, liderada pelo capitão Kirk (papel de Chris Pine), se vê ameaçada por uma força maligna. Após ter se infiltrado na organização espacial, ela põe em ação um plano para tomar conta do universo. Direção: J.J. Abrams (Star Trek into Darkness, EUA, 2013, 132min). 12 anos.

Dublado, em 3D: Minas Shopping 1, Pampulha Mall 6, Shopping Cidade 4, Shopping Norte 1.

Legendado, em 3D: Boulevard 6, Del Rey 1, Paragem 1, Pátio Savassi 3.

Cabra Marcado para Morrer

O documentário de Coutinho (Edifício Master) volta ao cartaz em cópia restaurada pela Cinemateca. Em 1964, o realizador foi à Paraíba para fazer um registro do líder camponês João Pedro Teixeira, assassinado em 1962. Com o golpe militar de 64, o longa-metragem foi interrompido. Dezessete anos depois, Coutinho voltou até lá para dar continuidade ao filme e entrevistar, além da viúva, outros companheiros que participaram das filmagens originais. Direção: Eduardo Coutinho (Brasil, 1984, 119min). 14 anos.

Pátio Savassi 2.

✪ Confissões de um Jovem Apaixonado

Parecia promissora a ideia de convidar Pete Doherty, ex-vocalista da banda inglesa The Libertines, para interpretar justamente um libertino esnobe numa adaptação do romance autobiográfico de Alfred de Musset, publicado em 1836. A experiência, no entanto, resultou num equívoco. Quando Doherty contracena com a ótima Charlotte Gainsbourg, de Anticristo, o desastre se torna ainda mais evidente. No drama de época, ele vive Octave, um bon vivant traído pela namorada e entregue à depravação. Ele volta a amar quando conhece Brigitte (papel de Charlotte), uma viúva dez anos mais velha. Direção: Sylvie Ver­heyde (Confession of a Child of the Century, França/Alemanha/Inglaterra, 2012, 120min). 14 anos.

Belas Artes 2.

✪✪✪ Na Neblina

Os documentários que o bielorrusso Sergei Loznitsa realizou antes de Minha Felicidade (2010), seu primeiro longa de ficção, foram decisivos para sua formação de cineasta. Na Neblina, um austero drama de guerra cujo roteiro é uma adaptação do livro de seu conterrâneo Vasili Bykov, combina à perfeição com um registro da realidade da Bielorrússia de 1942. Com fotografia de cores esmaecidas e recriação de época detalhista, a trama centra-se em dois personagens. Amigos desde a infância, Shushenya e Burov (papéis de Vladimir Svirsky e Vladislav Abashin) tomaram lados opostos nos conflitos. Shushenya juntou-se aos alemães e foi considerado um traidor. Partidário da resistência à ocupação nazista naquele país, Burov o encontra na intenção de matá-lo. O enredo, contudo, reserva algumas surpresas e volta no tempo para explicar os motivos da ruptura entre esses vizinhos. Para o diretor, não há quem esteja certo ou errado em sua dura visão de uma guerra sem nenhum resquício de solidariedade. E o fabuloso ator Vladimir Svirsky traduz apenas no olhar a tristeza infinda de uma situação-limite. Direção: Sergei Loznitsa. (In the Fog, Alemanha/Rússia/Bielorrússia/Letônia, 2012, 127min). 14 anos.

DiamondMall 2.

ESTREIAS

✪ Cores

Retrata-se aqui o desencanto de brasileiros que ficaram à margem do avanço econômico das últimas décadas. A provocação, no entanto, se esgota nos primeiros minutos de um enredo de poucas ideias. Rodado em preto e branco, o drama retrata o cotidiano vazio de três amigos. Luca (Pedro di Pietro) tenta abrir uma pequena loja de tatuagens, mas não consegue sair da barra da saia da avó (Maria Célia Camargo). Os namorados Luiz (Acauã Sol) e Laura (Simone Iliescu) também estão numa pior. Ele se envolve com bandidos para engordar o salário de balconista, enquanto ela mata o tempo fotografando aviões no Aeroporto de Congonhas. O clima baixo-astral toma conta da narrativa. Direção: Francisco Garcia (Brasil, 2012, 92min). 16 anos. Estreou em 30/5/2013.

Cine Centoequatro.

✪✪✪ Faroeste Caboclo

+ Diretor René Sampaio cria drama violento na adaptação de Faroeste Caboclo

Estreou em 30/5/2013.

Betim Shopping 1, Big Shopping 2, Itaú Power 2, BH Shopping 3 e 4, Boulevard 3, Del Rey 5, DiamondMall 4 e 6, Minas Shopping 3, Pampulha Mall 4, Paragem 4, Pátio Savassi 6 e 8, Ponteio 1, Shopping Cidade 6, Shopping Estação 5 e 6, Shopping Norte 3, Via Shopping 2.

✪✪ Olhe pra Mim de Novo

Descobrir um país tão próximo e pouco conhecido é o mérito de dois pequenos documentários que chegam ao circuito. Em Walachai, a diretora Rejane Zilles parte de uma história pessoal para retratar, num ritmo moroso, o pequeno lugarejo rural onde nasceu, no Rio Grande do Sul. De origem alemã, boa parte dos 400 habitantes do local vive um cotidiano de simplicidade absoluta — muitos mal sabem falar português. Olhe pra Mim de Novo, codirigido por Kiko Goifman (de FilmeFobia), flerta muito discretamente com o ­road movie ao mapear a viagem do transexual Sillvyo Luccio. No sertão nordestino, ele sai à procura de ajuda médica para realizar o sonho de ter um filho com sua esposa de uma forma não convencional, unindo o seu óvulo ao dela. Direção: Claudia Priscilla e Kiko Goifman (Brasil, 2011, 79min). 16 anos. Estreou em 30/5/2013.

Belas Artes 2.

EM CARTAZ

✪✪ O Abismo Prateado

No drama do diretor de Madame Satã, Violeta (Alessandra Negrini) é uma dentista casada com Djalma (Otto Jr.) e mãe de um adolescente. Ela parece ter uma vida feliz, até que recebe uma mensagem no celular. Seu marido decidiu abandoná-la, ir até Porto Alegre e, de lá, ganhar o mundo. Inspirado na letra de Olhos nos Olhos, de Chico Buarque ("Quando você me deixou, meu bem"), o roteiro se passa em apenas um dia e flagra o desespero dessa mulher ao procurar uma resposta para a atitude do companheiro. Direção: Karim Aïnouz (Brasil, 2011, 83min). 14 anos. Estreou em 26/4/2013.

Cine Centoequatro.

✪✪✪ Bonitinha, mas Ordinária

Em Dom, de 2003, o diretor Moacyr Góes meteu os pés pelas mãos numa atualização duvidosa para o livro Dom Casmurro, de Machado de Assis. Desde então, fez filmes com Xuxa, Angélica e Padre Marcelo Rossi. Neste drama, ele surpreende com uma adaptação simples e correta para a peça de Nelson Rodrigues, encenada pela primeira vez em 1962. O roteiro, escrito pelo próprio Góes, não alivia o tom venenoso do texto, filmado anteriormente em 1963 e em 1981, e ressalta um elenco bem escolhido. No papel de Edgar, João Miguel convence que é um homem ingênuo, prestes a ser corrompido por um ricaço sem escrúpulos (Gracindo Júnior, também ótimo). Ele se vê tentado pela proposta de fazer um acerto e se casar com uma adolescente rica (Letícia Colin). A mocinha sofre de um trauma: ela diz ter sido violentada por cinco homens em uma favela. Mas Edgar só tem olhos para a pobretona Ritinha (Leandra Leal). Vender ou não a alma por 5 milhões de reais? Assim começa a crise moral do protagonista. Apesar de um ou outro flashback estridente, sobressai na versão de Góes a atualidade das provocações de Nelson. Direção: Moacyr Góes (Brasil, 2013, 91min). 16 anos. Estreou em 24/5/2013.

BH Shopping 10, Minas Shopping 1, Pátio Savassi 8.

✪✪✪ A Datilógrafa

Desde a vitória de O Artista no Oscar 2012, Hollywood parece ter descoberto o charme das comédias francesas. Muitas vezes, elas estão entre as prioridades de produtores como Harvey Weinstein, um dos principais responsáveis pelo sucesso daquela homenagem ao cinema mudo. É fácil entender por que ele comprou os direitos desse filme do diretor Régis Roinsard. Essa comédia romântica também afaga o público com doses saborosas de nostalgia. Aqui, o túnel do tempo leva ao fim dos anos 50. Em um mundo quase de conto de fadas vive a serelepe Rose Pamphyle (Déborah François), uma jovem interiorana que tem o sonho de ser secretária. Ela se candidata a uma vaga na firma de Louis (Romain Duris), que se encanta pela moça ao descobrir seu talento para usar máquinas de escrever. Faz-se, então, um trato: ele lhe dá o emprego e começa a treiná-la para concursos de datilografia. O cineasta estreante filma essas disputas com a leveza de um cartum e a agilidade de uma transmissão esportiva. Direção: Régis Roinsard (Populaire, França, 2012, 111min). 12 anos.

Belas Artes 3, Boulevard 2, Ponteio 3.

✪✪✪ Elena

Entre os tantos caminhos abertos pelo documentário brasileiro, poucos oferecem tantas armadilhas quanto o do registro em primeira pessoa. Como transformar, por exemplo, uma tragédia íntima em um filme abrangente? A diretora mineira Petra Costa, de 29 anos, passa no teste em seu longa de estreia. A cineasta foi a Nova York para repetir uma viagem feita no fim da década de 80 pela irmã mais velha, Elena - na época, ela queria tentar a sorte como atriz. Não convém revelar quando ou como Elena morreu; afinal, quanto menos se sabe, maior o impacto. Apesar dos cacoetes de fitas de arte, Petra usa um rico acervo de imagens para compartilhar com o público a dor da perda. Direção: Petra Costa (Brasil, 2011, 82min). 12 anos. Estreou em 10/5/2013.

Belas Artes 1.

Família

Estreia do diretor mineiro Guilherme Reis, o drama conta a história do cotidiano de uma família de classe média. A inspiração para o longa são as fitas de John Cassavetes. Direção: Guilherme Reis (Brasil, 2013, 85 min). 16 anos.

Cine CentroeQuatro.

✪✪ Finalmente 18!

Os roteiristas Jon Lucas e Scott Moore encontraram uma fórmula de ouro no texto de Se Beber, Não Case! (2009). Desde então, Hollywood a reprisa insistentemente. Exemplo dessa onda de humor arruaceiro é o primeiro longa-metragem dirigido por Lucas e Moore. Sem sacadas criativas, a dupla apenas transfere ao universo teen aquela premissa sobre marmanjos numa noitada fora de controle. Na comédia, os amigos Miller (Miles Teller) e Casey (Skylar Astin) presenteiam o universitário Jeff Chang (Justin Chon), em seu aniversário de 21 anos (e não 18, como informa o título em português), com uma rodada de bebedeira sem freios. Resultado: Jeff desmaia e ninguém consegue descobrir o endereço dele. Se chegar tarde em casa, o garoto será punido por um pai implacável. Direção: Jon Lucas e Scott Moore (21 & Over, EUA, 2013, 93min). 16 anos. Estreou em 17/5/2013.

Dublado: Shopping Cidade 3.

✪✪ Homem de Ferro 3

O astro Robert Downey Jr. faz deste terceiro episódio de Homem de Ferro um espetáculo para lustrar seu ego. Há uma ótima (e praticamente única) cena em que o herói surge para salvar da morte os passageiros do avião presidencial. De resto, o milionário Tony Stark (ou Downey Jr.) se livra da armadura para ­localizar um terrorista que atende pelo nome de Mandarim (Ben Kingsley). Enquanto isso, um cientista (Guy Pearce) ressurge do passado com intenções duvidosas. Os efeitos visuais são bons, a direção melhorou com a saída de Jon Favreau e o humor ganhou espaço. Ainda assim, falta ação à altura de uma aventura extraída dos quadrinhos. Direção: Shane Black (Iron Man 3, EUA/China, 2013, 130min). 12 anos. Estreou em 26/4/2013.

Dublado: Big Shopping 4, BH Shopping 6, Boulevard 1, Del Rey 7, Minas Shopping 6, Pampulha Mall 1, Shopping Cidade 2, Shopping Norte 4, Via Shopping 5.

Dublado, em 3D: Boulevard 6, Del Rey 1, Itaú Power 5, Shopping Cidade 4.

Legendado: Boulevard 1, Paragem 3.

✪ Paulo Moura - Alma Brasileira

O experiente Lauro Escorel foi diretor de fotografia de filmes como Coração Iluminado (1996) e Acquaria (2003). Em seu terceiro longa-metragem como cineasta, mostra-se sem rumo. E não à toa. Em 2008, ele procurou o músico Paulo Moura para fazer um documentário sobre sua vida. O clarinetista topou, mas morreu pouco tempo antes de começarem as filmagens, em 2010. Escorel, então, saiu à caça de imagens inéditas de suas apresentações pelo mundo a fim de retomar o projeto. O que se vê é uma fita restrita aos fãs - e olhe lá. É quase exclusivamente uma compilação de suas exibições em canções como Manhã de Carnaval, Valsa Triste e Espinha de Bacalhau. Há ainda raros e sonolentos depoimentos de Moura, a maioria recolhida das sobras do documentário Brasileirinho, de Mika Kaurismäki (2005). Não há sequer uma entrevista com parentes, amigos ou parceiros de palco. Direção: Lauro Escorel (Brasil, 2012, 86min). Livre. Estreou em 17/5/2013.

Cine Centoequatro.

✪✪✪ Reino Escondido

Quem não resiste a uma animação digital certamente vai notar as semelhanças entre a novidade da Blue Sky Studios (de Rio) e Valente, o sucesso mais recente da Pixar. Os dois contos de fadas apresentam meninas nada comportadinhas que enfrentam as ordens da família para fazer valer as suas vontades. Aqui, Maria Catarina tem um motivo não tão grave para bater o pé: irritada com as esquisitices do pai, ela foge de casa. Acaba, porém, perdida numa floresta. Para piorar, um botão de flor mágico a transforma num ser minúsculo. A heroína descobrirá a existência de uma multidão de tipos pequeninos, entre eles os arqueiros da natureza Nod e Ronin. O desafio da guerreira será ajudá-los a impedir os planos de destruição de um vilão de visual dark. Direção: Chris Wedge (Epic, EUA, 2013, 102min). Livre. Estreou em 17/5/2013.

Dublado: Betim Shopping 2, Big Shopping 4, Itaú Power 1, BH Shopping 9, Del Rey 7, DiamondMall 3, Minas Shopping 6, Pampulha Mall 3, Shopping Cidade 3, Shopping Norte 4, Via Shopping 5.

Dublado, em 3D: Big Shopping 5, Itaú Power 5, BH Shopping 3, Boulevard 6, Del Rey 1, Minas Shopping 1, Paragem 1, Pátio Savassi 3, Shopping Cidade 4, Shopping Estação 2, Shopping Norte 1.

✪✪ Sem Proteção

Seis anos depois do sonolento drama político Leões e Cordeiros, Robert Redford volta a se dividir entre a atuação e a direção. Não foi desta vez que ele fez algo à altura de seus melhores trabalhos como cineasta, Quiz Show — A Verdade dos Bastidores (1994) e Gente Como a Gente (1980). Neste thriller em marcha lenta, ele interpreta Jim Grant, um advogado que se torna fugitivo da polícia quando um jovem jornalista (Shia LaBeouf) descobre sua identidade real. Na verdade, Jim fazia parte, nos anos 70, de um grupo terrorista. Enquanto tenta se esconder, Jim reencontra velhos parceiros, também sob disfarce. O tema manjado serve às habituais lições de Redford sobre ética e coleguismo. Direção: Robert Redford (The Company You Keep, EUA, 2012, 121min). 12 anos. Estreou em 24/5/2013.

BH Shopping 9, Boulevard 2, Del Rey 7, DiamondMall 3, Pátio Savassi 2, Ponteio 3.

✪✪✪ Somos Tão Jovens

Com excelente trabalho vocal, que o fez cantar à semelhança do líder da Legião Urbana, a interpretação do ator Thiago Mendonça mostra-se o maior mérito de Somos Tão Jovens. O drama biográfico leva, portanto, três estrelas pela atuação dele e pelos empolgantes números musicais. Quem é fã provavelmente vai relevar a direção comportada e a estrutura didática do roteiro para contar como Renato Manfredini Júnior (1960-1996), carioca radicado em Brasília a partir de 1973, virou Renato Russo. Da doença na adolescência ao "descobrimento" do punk rock, estão lá o surgimento e o fim da banda Aborto Elétrico, o amor platônico por Flávio Lemos (do Capital Inicial) e a amizade incondicional por Aninha (Laila Zaid), uma personagem ficcional. E, claro, não faltam hits como Ainda É Cedo e Eduardo e Mônica. Direção: Antonio Carlos da Fontoura (Brasil, 2013, 104min). 14 anos. Estreou em 3/5/2013.

BH Shopping 10.

✪✪ Terapia de Risco

Desde 2001, quando venceu o Oscar de direção por Traffic, Steven Soderbergh vem testando o fôlego de seus fãs: lançou catorze longas de ficção, entre passatempos (como Magic Mike, de 2012) e produções um pouco mais densas (a exemplo de Che, de 2008). Em seu drama mais recente, o ci­neasta busca ligar essas características ao abordar um tema atual e pesadão — os danos provocados pela indústria de antidepressivos — num enredo repleto de reviravoltas. O resultado fica aquém da ambição. Retratam-se aqui as relações entre Emily Taylor (Rooney Mara), seu marido ex-presidiário (Channing Tatum) e o psiquiatra Jonathan Banks (Jude Law). Depois de bater o carro na garagem do prédio onde mora, ela é hospitalizada e atendida pelo médico. Acidente ou tentativa de suicídio? O mistério se torna folhetinesco com a entrada em cena de Victoria (Catherine Zeta-Jones), a ex-terapeuta de Emily. Direção: Steven Soderbergh (Side Effects, EUA, 2013, 106min). 14 anos. Estreou em 17/5/2013.

DiamondMall 3, Paragem 3.

✪✪ Velozes & Furiosos 6

Se o episódio anterior da cinessérie de ação filmado no Rio de Janeiro "roubava" o enredo de Onze Homens e Um Segredo, o novo parece ter inspiração na freguesia de James Bond. Tal como nas fitas de espionagem do agente inglês, os personagens marombados vivem aventuras e acumulam milhas aéreas em uma volta ao mundo com escalas nas Ilhas Canárias, em Londres, na Rússia... Tanto investimento em cenários turísticos, contudo, não ajuda a engatar uma historinha digna de ferro-velho hollywoodiano. Depois de surrupiar 100 milhões de dólares no Brasil, a gangue liderada por Dom Toretto (Vin Diesel) e Brian O'Conner (Paul Walker) quer se regenerar. Aceita, então, o desafio de desmontar uma organização de motoristas mercenários. Para os fãs da franquia, mais importante do que o roteiro é a qualidade das cenas de ação. Boa notícia para eles. Os rachas espetaculares ainda provocam vertigem. Direção: Justin Lin (Fast & Furious 6, EUA, 2013, 130min). 14 anos. Estreou em 24/5/2013.

Dublado: Betim Shopping 3, Big Shopping 1, Itaú Power 3, 4 e 6,BH Shopping 7 e 8, Del Rey 3, Minas Shopping 4 e 5, Pampulha Mall 5 e 6, Pátio Savassi 2, Shopping Cidade 6, Shopping Estação 2 e 4, Shopping Norte 5, Via Shopping 1 e 3.

Legendado: Itaú Power 6, BH Shopping 1, Boulevard 4, Del Rey 6, DiamondMall 1 e 5, Minas Shopping 4, Paragem 2, Pátio Savassi 1 e 5, Ponteio 4, Shopping Cidade 8, Shopping Estação 2 e 4, Via Shopping 3.

✪✪ Vocês Ainda Não Viram Nada

Diretor de Medos Privados em Lugares Públicos (2006), Alain Resnais tem 90 anos e criatividade de sobra. Seu vigor cênico está novamente presente nesta comédia dramática que mistura cinema e teatro com muito sabor. Na trama, os amigos mais íntimos de um dramaturgo são convidados para comparecer à leitura de seu testamento após sua morte. Atores como Lambert Wilson, Michel Piccoli, Sabine Azéma e Mathieu Amalric (interpretando a si mesmos) se acomodam nas poltronas para ver em vídeo a modernosa encenação de um texto de autoria do falecido. Como todos os convidados já haviam participado anteriormente de montagens dessa mesma peça, passam também a interpretar os personagens. Aos poucos, o caldo de Resnais entorna. Motivo: embora a concepção seja fabulosa, os diálogos revelam-se penosos, o que deixa o resultado cansativo. Direção: Alain Resnais (Vous n'Avez Encore Rien Vu, França/Alemanha, 2012, 115min). 12 anos.

Belas Artes 3.

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE