Cinema

Deborah Secco se despe do glamour para viver uma soropositiva em Boa Sorte

O drama é o primeiro longa-metragem de ficção da diretora Carolina Jabor, filha de Arnaldo Jabor

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Deborah Secco e João Pedro Zappa: o encontro da experiente com o novato

Avaliação ✪✪✪

Depois de dar um show na pele da protagonista do sucesso de bilheteria Bruna Surfistinha (2011), a atriz Deborah Secco se despe novamente do glamour para interpretar Judite, neste primeiro longa-metragem de ficção da diretora Carolina Jabor, filha do também cineasta Arnaldo Jabor. Viciada em drogas de todos os tipos, a moça está internada numa clínica psiquiátrica e, raras vezes, recebe a visita da avó (papel de Fernanda Montenegro). A chegada de João (João Pedro Zappa) vai mudar a rotina dela. Internado pelos pais por ter se viciado na mistura de ansiolítico com refrigerante de laranja, esse rapagote de apenas 17 anos, ainda virgem, encanta-se com a maneira livre, leve e solta de viver de Judite. Há, no entanto, uma justificativa para ela desejar as coisas de forma tão intensa: portadora do vírus da aids, Judite está com os dias contados. A amizade entre os dois se encaminha para um incomum relacionamento. Experiente à frente das câmeras, Deborah encontra no novato Zappa o parceiro perfeito - a timidez do personagem combina muito bem com a falta de traquejo do ator. O drama contém momentos bem-humorados para quebrar a sisudez do tema, embora seu desfecho seja de cortar o coração. Não à toa, Boa Sorte comoveu a plateia e faturou o prêmio do público no Festival de Paulínia deste ano. Direção: Carolina Jabor (Brasil, 2014, 86min). 16 anos. Estreou em 27/11/2014.

Efeito sanfona: para viver a personagem soropositiva, a atriz Deborah Secco fez uma dieta radical, com a qual perdeu 11 quilos em 45 dias

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE