Cinema

Sem apelações, o terror A Marca do Medo mantém a plateia ligada

No longa, pesquisador investiga mulher que acredita estar possuída

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Os personagens Jane e Brian: isolados num casarão

Avaliação ✪✪✪

Em 1974, o professor Joseph Coupland (Jared Harris), da Universidade de Oxford, está envolvido numa pesquisa: ele quer provar que fenômenos paranormais não existem. Para isso, leva para um casarão dois de seus pupilos e Jane Harper (Olivia Cooke) — a moça acredita estar possuída pelo espírito de uma garota chamada Evie. O cinegrafista amador Brian (Sam Claflin, da cinessérie Jogos Vorazes) acompanha o grupo. Jane fica trancada num quarto, a aparição se manifesta e o ambiente passa por transformações. Se o mestre mantém sua postura cética, Brian mostra-se cada vez mais intrigado e desgostoso, sobretudo pelo tratamento desumano que o "patrão" dá à paciente. Sempre é bom ter um pé atrás quando um filme de terror anuncia ser "inspirado em fatos reais", e, na verdade, pouco importa se o roteiro segue à risca a história como ela verdadeiramente ocorreu. Com sustos na medida certa e sem apelações grotescas do gênero, A Marca do Medo se assemelha ao bem-sucedido Invocação do Mal. Direção de John Pogue (The Quiet Ones, EUA/Inglaterra, 2014, 98min). 14 anos.

Estreou em 10/7/2014.

DUBLADO: Shopping Contagem 4: 14h30, 18h30. Via Shopping 3: 19h, 21h.

LEGENDADO: Shopping Contagem 4: 16h30, 20h30. BH Shopping 10: 16h50, 21h30. Pátio Savassi 1: 19h50. Pátio Savassi 4: 16h30. Shopping Estação BH 1: 16h10, exceto neste domingo (13).

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE