Bebida

Uma paradinha para o café

Casas preparam receitas especiais para a segunda edição do Circuito de Cafeterias

Por: Carolina Daher - Atualizado em

Odin
(Foto: Redação VejaBH)

A qualidade do cafezinho nosso de cada dia é assunto levado muito a sério em Minas Gerais, o maior estado produtor da bebida no Brasil. Na segunda edição do Circuito de Cafeterias, festival que teve início na última quinta (24) - o Dia Nacional do Café - e só terminará no dia 24 de julho, 25 casas vão mostrar que honram a boa fama da nossa rubiácea, apresentando receitas exclusivas. "Todos os estabelecimentos participantes precisam trabalhar com grãos selecionados", explica o empresário Ruimar de Oliveira, dono do Café Kahlúa, no Centro. "A ideia não é termos uma competição, mas tornarmos mais conhecidos os bons endereços da cidade."

Não faltou criatividade aos baristas belo-horizontinos para produzir misturas inusitadas. No Kahlúa, por exemplo, a receita para o circuito é o café magnólia, um expresso com picolé de maracujá que sai por 11 reais. No Café Book, em Santa Efigênia, a inspiração veio da literatura. O meu pé de laranja lima, uma homenagem ao livro do escritor José Mauro de Vasconcelos, leva ex­presso, caramelo aromatizado e leite vaporizado acompanhado de casca cristalizada da fruta banhada em chocolate (6,90 reais). "Nós quisemos fugir do óbvio, por isso evitamos sorvete ou chantili", con­­ta a sócia da casa, Maria­­na Dornas. A expectativa dos organizadores é de que, ao longo dos dois meses, 40 000 pessoas provem as misturas. Quem ex­perimentar alguma das receitas po­­derá participar do sorteio de uma má­­quina italiana de expresso. Aí é só pôr o pão de queijo para assar e preparar a combinação irresistível para os mineiros.

Lista completa dos cafés participantes

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE