Negócios

Pão de queijo faz sucesso com os estrangeiros e já é exportado para dezessete países

Receita típica de Minas ultrapassa fronteiras e está disponível em países como China, Arábia Saudita, EUA e Canadá

Por: Carolina Daher - Atualizado em

Arte Veja BH
(Foto: Redação VejaBH)

Os "cheese rolls", com informações em inglês para americanos e canadenses

No século XVIII, em uma fazenda do interior de Minas, uma cozinheira resolveu misturar restos de um queijo endurecido à massa do biscoito de polvilho. E assim, diz a tradição, surgiu o nosso pão de queijo. Muito tempo depois, a receita ultrapassou os limites geográficos do estado e até do Brasil. Pelo menos dezessete países (veja o mapa ao lado) importam nossas deliciosas bolinhas. "Existe uma procura global por produtos naturais, sem glúten, e o pão de queijo está nesse grupo", afirma Helder Mendonça, presidente da indústria Forno de Minas, que já tem contrato com quatro países e espera chegar ao fim do ano exportando para mais seis. A Pif Paf é outra empresa mineira que amplia, a cada ano, as vendas para o exterior. Elas começaram há quatro anos, em Angola, e hoje se estendem a outros três mercados — Estados Unidos, Japão e China. "Alterações na formulação são imprescindíveis para aumentar a validade e garantir a qualidade durante o transporte", conta o gerente de marketing, Flávio Braga. Da produção à entrega da versão congelada no ponto de venda do país de destino, são três meses, em média. Além de adequarem as embalagens ao idioma de cada país, não é raro que os fabricantes precisem fazer ajustes. A Clap, dona da marca Maricota, teve de diminuir o tamanho para agradar aos chineses. "Eles nos pediram que os pães fossem bem pequenos, para ser comidos como pipoca", diz a gerente internacional, Camila Ozório. Um ano atrás, a pedido de clientes muçulmanos, a empresa passou por um rigoroso processo de certificação para comprovar a ausência de DNA suíno em sua fórmula e ter a comercialização liberada em supermercados de Riad, capital da Arábia Saudita.

De acordo com os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Minas Gerais é responsável por mais de 80% das exportações brasileiras do produto. Entre janeiro e junho, as vendas externas do estado na categoria "massas alimentícias não cozidas, nem recheadas, nem preparadas de outro modo, contendo ovos" — na qual está o pão de queijo — somaram 1,56 milhão de dólares, ou 505 toneladas, 90,9% mais do que no mesmo período de 2011. A estratégia dos fabricantes mineiros para conquistar novos mercados é exibir o produto nas principais feiras de alimentação do mundo. "Não conheci até hoje uma pessoa que tenha experimentado e não tenha aprovado", garante Mendonça, da Forno de Minas.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE