Crianças

História da sereia Ariel volta ao Palácio das Artes em superprodução

Para crianças, peça conta com cenário e figurinos caprichados

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Guto Muniz
(Foto: Redação VejaBH)

A Pequena Sereia: cenário e figurinos caprichados

O musical A Pequena Sereia retorna a Belo Horizonte para uma curta temporada. Inspirada nas montagens da Broadway, a superprodução com vinte atores, seis cenários e música ao vivo será apresentada no Grande Teatro do Palácio das Artes neste sábado (1º) e domingo (2). Em cartaz no Brasil há dez anos, as desventuras de Ariel já percorreram São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus e Palmas, levando cerca de 10 000 pessoas aos teatros só no ano passado. O conto de fadas escrito em 1836 pelo dinamarquês Hans Christian Andersen virou sucesso dos estúdios Disney no fim dos anos 1980, mas esta adaptação, de Fernando Bustamante, apresenta algumas diferenças em relação à versão para o cinema.

Ariel é uma jovem sereia de 16 anos, filha do rei dos mares, Tristão. Seus melhores amigos são o peixe Linguado e o siri Sebastião. A história começa quando a sereiazinha recebe permissão para subir à superfície e salvar um humano de um naufrágio. Ariel se apaixona por ele, mas mantém sua identidade em segredo. Ela então pede à bruxa Úrsula, sua tia, que a transforme em humana, para que possa se revelar ao príncipe. Em troca, a malvada exige a voz de Ariel, considerada a mais doce do oceano. A versão para os palcos abre mais espaço para a poesia e os conflitos existenciais da protagonista. Ao optar pelo amor do príncipe, Ariel sofre com o fato de ter de abandonar seu dom (a bela voz), seu pai, suas irmãs e seus amigos. Uma das passagens mais líricas, excluída da versão da Disney e adaptada pelo musical, é o momento em que a sereia, na impossibilidade de conquistar o amor do príncipe, assume a forma etérea de um arco-íris. O espetáculo dura cerca de duas horas e tem um intervalo de quinze minutos.

A Pequena Sereia. Livre. Palácio das Artes — Grande Teatro (1 692 lugares). Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400 → Neste sábado (1º) e domingo (2), 17h. R$ 50,00 a R$ 100,00. Bilheteria: 10h/21h (seg. a sáb.); 14h/20h (dom.). IC. Cc: todos. Cd: todos.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE