Crianças

Programa educativo do Palácio das Artes ensina a história e as técnicas do cinema

Criançada aprende os detalhes dessa linguagem artística de maneira divertida

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Paulo Lacerda
(Foto: Redação VejaBH)

Breve apresentação lúdica antes das sessões: para a meninada até 9 anos

Não é só gente grande que pode se orgulhar de frequentar o Cine Humberto Mauro. Desde 1997, a Fundação Clóvis Salgado realiza um programa de educação em cinema para crianças. Há duas modalidades: no Projeto Cineminha, pequenos com idade de 5 a 9 anos ouvem uma breve apresentação sobre a história do gênero artístico e em seguida assistem a um filme; no Projeto Cineminha Especial, a meninada entre 8 e 11 anos participa de uma oficina de jogos óticos. A maioria das vagas é reservada para grupos escolares, mas há cerca de vinte lugares por sessão que podem ser ocupados com pré-agendamento por telefone. Toda a programação está em nosso site: www.vejabh.com.br.

Cine Humberto Mauro e jardins internos do Palácio das Artes. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3236-7322. → Projeto Cineminha Especial: quarta (30), 8h15 e 14h. Até 2 de dezembro.

Crianças: programação para os dias 26 de outubro a 01 de novembro

› CINEMA

✪✪ Aviões

Cópias dubladas.

Dragon Ball Z: a Batalha dos Deuses

Cópias dubladas.

✪✪✪ Tá Chovendo Hambúrguer 2

Cópias dubladas.

› ESPECIAL

GambioGame - História e Desafios dos Videogames

As crianças que passam tardes inteiras à frente de um PlayStation não imaginam que os pais fizeram o mesmo, só que com um Atari. Uma boa oportunidade de unir gerações e dar boas risadas é levar a garotada à nova exposição do Museu dos Brinquedos, em parceria com o coletivo Gambiologia. O grupo formado por Fred Paulino, Lucas Mafra e Paulo Henrique Pessoa cria objetos eletrônicos utilizando gambiarras e formulou o projeto museográfico que ajuda a explicar a evolução das peças. Pais e filhos também podem participar de uma oficina de construção de pinball. Rec. a partir de 2 anos.

Museu dos Brinquedos. Avenida Afonso Pena, 2564, Funcionários, ☎ 3261-3992. Exposição: seg. a sex., 9h às 17h; sáb. e feriados, 10h às 17h. Oficina: seg. a sáb., 14h30. R$ 8,00. Até setembro de 2014.

Visita Teatralizada

O programa CCBB Educativo foi pensado para toda a família explorar as dependências do instituto. Com uma equipe de 22 profissionais graduados em artes visuais, música, teatro, história e filosofia, os passeios pelo prédio pretendem mostrar que a arte não é um bicho de sete cabeças. Crianças podem participar da contação de histórias e da "visita teatralizada", em que educadores com formação em artes cênicas encarnam personagens como o Barão do Café, a Moça dos Anos 20 e o Tocador de Realejo. Rec. a partir de 5 anos.

Centro Cultural Banco do Brasil. Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎ 3431-9440. → Contação de histórias: sábado, domingo e feriados, 14h e 17h. Visita teatralizada: sábado, domingo e feriados, 18h. Grátis. Retirada de senha com no mínimo meia hora de antecedência.

› MUSEU

Museu das Telecomunicações

Esta dica é boa para a meninada que não desgruda do celular nem do computador. Os pequenos que nunca viram um telefone de disco vão se divertir ao conhecer os avós dos smartphones. Instalado permanentemente no recém-reformado Oi Futuro, o Museu das Telecomunicações traz exemplares originais de antigos telégrafos, telefones, computadores e outros aparelhos eletrônicos. Além das peças em exposição, há objetos e instalações cheias de recursos interativos que costumam prender a atenção das crianças mais antenadinhas.

Museu das Telecomunicações. Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3229-3131. Terça a domingo, 11h às 17h. Grátis.

› PASSEIO

Parque Ecológico Vale Verde

É um bom programa para passar uma manhã ou tarde inteira no parque. Depois de conhecerem o alambique e o Museu da Cachaça, os pais podem levar os pequenos a várias atrações ao ar livre. As opções incluem visitas ao viveiro de pássaros silvestres e a uma simpática casinha de gnomos, montar pôneis e divertir-se no pedalinho.

Parque Ecológico Vale Verde. Rua Ary Barbosa da Silva, 950, Vianópolis, Betim, ☎ 3079-9171. Todos os dias, 9h às 17h30. R$ 20,00. Crianças menores de 5 anos não pagam. O valor da entrada dá direito às atividades. Cc: todos. Cd: todos.

› SHOW

Patati Patatá

Os palhaços mais famosos do momento estouraram em 2011, quando passaram a comandar o programa Carrossel Animado, no SBT. No entanto, a trajetória da dupla completa trinta anos de estrada em 2013. Criado pelo mágico paulista Rinaldo Helder Faria, o Rinaldi, o fenômeno infantil faturou 50 milhões de reais no ano passado e vendeu mais discos que Ivete Sangalo. Com um show comemorativo que chega à capital para curtíssima temporada, o duo vai apresentar um passeio por sua história e discografia. Antes de algumas canções, eles costumam fazer provocações engraçadinhas aos pais, como "quem gosta de assistir ao nosso DVD mais de cinco vezes por dia, levante a mão!". Há quase quarenta duplas que se alternam nas apresentações pelo Brasil, mas as "genéricas" não costumam decepcionar os pequenos(100 min). Livre.

Chevrolet Hall (5 500 lugares). Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, ☎ 3209-8989 → Neste sábado (26) e domingo (27), 18h. R$ 60,00 a R$ 140,00. Menores de 12 anos devem estar acompanhados dos pais ou responsáveis legais. Bilheteria: 12h/20h (seg. a sáb.); 14h/20h (dom. e feriados). Cc: todos. Cd: M e V. TF.

› TEATRO

Armatrux, a Banda

A companhia mineira de teatro de bonecos apresenta um de seus espetáculos mais conhecidos. No musical, a banda é composta de quatro personagens vindos de universos distintos e uma convidada especial, a pianista Mafalda Jackson. A trilha é assinada por John Ulhôa, do Pato Fu, e Bob Faria. Os desenhos dos bonecos são do artista Conrado Almada.

Shopping Del Rey - Estacionamento do piso G3. Neste sábado (26) e domingo (27), 15h e 17h. R$ 40,00. Bilheteria: todos os dias, 10h às 22h.

Cachinhos de Ouro

A famosa história escrita pelo inglês Robert Southey (1774-1843) ganhou adaptação para o teatro de Rômulo Duque, presidente do Sinparc e coordenador da Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. A peça conta a história de uma menina que, cansada da mesmice e dos limites impostos pela mãe, resolve se aventurar pela floresta. Destemida e curiosa, ela entra em uma casa, toma a sopa que está na mesa e até dorme na cama de um dos moradores. Quando a família de ursos chega, porém, é que começa a confusão.

Espaço Cultural Imaculada (390 lugares). Rua Aimorés, 1600, Lourdes, ☎ 3014-5382. Neste sábado (26) e domingo (27), 16h30. R$ 30,00 (R$ 12,00 nos postos Sinparc). A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

E o Palhaço, o que É?

+ Espetáculo E o Palhaço, o Que É? mostra o universo circense para as crianças

Teatro Bradesco (613 lugares). Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1360 → Domingo (3), 16h. Grátis. Os ingressos serão distribuídos a partir das 14h.

Quem Pergunta Quer Resposta

O que é a vida? Tem muita gente grande que engasga diante dessa questão. Desde 2010 o Grupo Oriundo de Teatro tenta respondê-la com o musical Quem Pergunta Quer Resposta. No texto de Antônio Hildebrando, a menina Rebeca decide buscar a resposta abordando todos ao seu redor: o cachorrinho, a gata, um divertido trio de tias, a professora e até o dicionário. Mas é o envelope de papel que vai lhe dar a chave para o mistério. Em certo momento, os pequenos espectadores também têm a chance de falar o que pensam. O tema filosófico prende a atenção dos pais e treze canções originais executadas ao vivo animam a meninada (50min). Rec. a partir de 3 anos.

Teatro Bradesco (613 lugares). Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1360 → Neste domingo (27), 16h. R$ 10,00. Bilheteria: segunda a sábado,

12h às 21h; domingo, 12h às 19h.

A Zeropeia

Numa carreira dedicada a combater problemas que dão nó na garganta, como a fome mundial, o sociólogo Herbert de Souza (1935-1997), o Betinho, teve tempo e a delicadeza de escrever para as crianças. O conto A Zeropeia, lançado em 1999, também trata de um assunto sério, mas com a leveza das fábulas. Baseada no texto original, esta peça traz a história de Dona Centopeia, que era motivo de piada na floresta por causa de sua, digamos, abundância de patinhas. Ao ver que os outros bichos viviam bem com menos pernas, ela começa a amarrar as suas até ficar sem nenhuma. No fim das contas, descobre que o melhor é ser ela mesma.

Centro Cultural da UFMG. Avenida Santos Dumont, 174, Centro, ☎ 9911-2830. Sábado e domingo, 16h (não haverá sessão no dia 2). R$ 30,00 (R$ 12,00 nos postos Sinparc). A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo. Até 3 de novembro.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE