Exposições

Artista Luiz Dolino mergulha suas tintas nas raízes dos povos ameríndios

Carioca exibe trinta telas de cores fortes e traços geométricos no Museu Inimá de Paula

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Acervo pessoal do artista
(Foto: Redação VejaBH)

I Remember Clifford: tela em grande formato que compõe a mostra

Há trinta anos, o artista plástico carioca Luiz Dolino enche suas telas de cores fortes e traços geométricos, que remetem às culturas ancestrais dos ameríndios. No ano passado, ele trouxe a Belo Horizonte a mostra Rabin Ajaw - A Filha do Rei, com registros audiovisuais de sua viagem à Guatemala e vestimentas e utensílios originais daquela civilização. De volta ao Museu Inimá de Paula, ele agora exibe a mostra A Fantasia Exata, com pinturas realizadas nos últimos cinco anos. Dolino manteve as composições geometrizadas e o jogo de cores vibrantes que marcam sua obra. As trinta peças que integram a exposição traduzem a constante busca do artista por entender as raízes estéticas dos povos formadores das Américas. Por meio dessa investigação, o pintor segue em permanente construção de sua linguagem individual.

Museu Inimá de Paula - Mezanino. Rua da Bahia, 1201, Centro, ☎ 3213-4320. → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 19h; quinta, 12h às 21h; domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 8 de agosto.

Exposições: programação para os dias 13 a 19 de julho

ÚLTIMA SEMANA

Bruno Rios

Corpo Tangente reúne registros das ações urbanas que o artista realiza desde 2010. Por meio de vídeos, instalações, desenhos e fotografias, Bruno apresenta seu olhar poético sobre os cenários da cidade.

Palácio das Artes - Galeria Genesco Murta. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até domingo (21).

✪✪✪ Eduardo Sued

O pintor carioca estudou desenho e pintura com o alemão Henrique Boese (1897-1982), trabalhou no escritório de arquitetura de Niemeyer (1907-2013) e foi assistente do ateliê de Iberê Camargo (1914-1994). Apesar da sólida formação em desenho e gravura, é na pintura que o artista aplica melhor seu talento para manipular as cores. Os intensos blocos cromáticos, marca maior de sua obra, criam sensações duplas de tensão e harmonia, rigor geométrico e emoção. Aos 88 anos, Sued exibe onze telas, cinco colagens e seis objetos de madeira que produziu no último ano.

Celma Albuquerque Galeria de Arte. Rua Antônio de Albuquerque, 885, Lourdes, ☎ 3227-6494. Segunda a sexta, 9h às 19h; sábado, 9h30 às 13h. Grátis. Até este sábado (13).

✪✪ Mostra de artistas mineiros na Errol Flynn Galeria de Arte

Estão expostas obras recentes de cinco experientes artistas mineiros: Eymard Brandão, Jayme Reis, Jorge dos Anjos, Paulo Laender e Roberto Vieira. Com curadoria do crítico de arte e cineasta Olívio Tavares de Araújo, a mostra reúne cerca de sessenta esculturas e pinturas. Vale destacar as peças de metal de parede e de chão feitas por Jorge dos Anjos e o intenso tom de anil que Jayme Reis aplica em seu Barco-Pêndulo. R$ 1 500,00 a R$ 38 000,00.

Errol Flynn Galeria de Arte. Rua Alagoas, 977, Savassi, ☎ 3318-3830. Segunda a sexta, 9h às 19h; sábado, 10h às 14h. Até sábado (20).

Sara Lambranho

Radicada em Belo Horizonte desde 2005, a paulista Sara Lambranho apresenta uma obra inédita. Intitulado Trato, o trabalho da jovem artista questiona a utilização de plantas com espinhos como grade de proteção. Antes de ser executada a intervenção na galeria, foi produzida uma série de desenhos preparatórios. A artista convida o espectador a conhecer o resultado final pessoalmente.

Palácio das Artes - Galeria Arlinda Corrêa Lima. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até domingo (21).

EM CARTAZ

✪✪ Carolina Cordeiro

Por meio de vídeos e instalações, a mostra Entre brinca com os conceitos de "dentro" e "fora" e convida o espectador a prestar atenção nos detalhes. Um dos trabalhos mais interessantes é a intervenção nas janelas da sala de exposições. Pedras, que parecem ter estilhaçado os vidros, ficam estacionadas entre o interior e o exterior do museu.

Memorial Minas Gerais Vale - Sala de Exposição e Sala de Vídeo. Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários (esquina com a Rua Gonçalves Dias), ☎ 3343-7317. → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 17h30; quinta, 10h às 21h30; domingo, 10h às 15h30. Grátis. Até 31 de agosto.

✪✪✪ Coleção Itaú de Fotografia Brasileira

O Instituto Itaú Cultural traz a Belo Horizonte 89 imagens de sua coleção de fotografia brasileira. Estão expostas fotos produzidas no Brasil desde os anos 40 até hoje. A ideia é revelar como a fotografia modernista no país (que teve seu auge entre as décadas de 40 e 60) influenciou a produção contemporânea. O curador, Eder Chiodetto, explica que ícones da estética moderna, como Geraldo de Barros, José Yalenti e German Lorca, fizeram experimentos formais e temáticos que inspiraram gerações posteriores, como as de Miguel Rio Branco, Mario Cravo Neto e Claudia Andujar. Obras de diferentes períodos da história nacional foram justapostas na montagem para evidenciar suas semelhanças de linguagem. Vale a pena demorar diante de imagens feitas por mestres da fotografia em preto e branco, como Eduardo Enfeldt e Mario Cravo Neto. Outro destaque é a bela paisagem em grande formato do bairro paulistano do Butantã, captada por Caio Reisewitz.

Palácio das Artes - Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até 25 de agosto.

Elyseu Visconti Cavalleiro

Sesc Palladium - Galeria de Arte GTO. Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5350. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 10 de agosto.

✪✪✪ Espaços Compartilhados da Imagem

Grande atração do primeiro Festival Internacional de Fotografia da cidade, a mostra reúne 300 obras de 32 artistas vindos de dezenove países. A relevância do evento, porém, não está nos números, mas na cuidadosa seleção de fotografias que flertam com outras linguagens artísticas, como a literatura, o cinema, a escultura e até a performance. Intitulada Espaços Compartilhados da Imagem, a mostra foi distribuída por três espaços expositivos, além de algumas estações de metrô. Vale a pena conferir, no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia, a poética luz solar captada por Alexander Harding e a curiosa colagem de capas de livros de autoajuda feita por Kent Rogowski.

Centro de Arte Contemporânea e Fotografia. Avenida Afonso Pena, 737 (Praça Sete), Centro, ☎ 3263-7400. Ter. a sáb., 9h30 às 21h; dom., 16h às 21h. Até 25 de agosto. Museu Mineiro. Avenida João Pinheiro, 342, Funcionários, ☎ 3269-1109. → Ter., qua. e sex., 10h às 19h; qui., 12h às 21h; sáb. e dom., 12h às 19h. Até 25 de agosto. CentoeQuatro.

Praça Ruy Barbosa (Praça da Estação), 104, Centro, ☎ 3222-6457. → Seg. a sex., 10h às 21h; sáb., 10h às 18h. Até 9 de agosto.

Luiz Zerbini

Ao lado de colegas ilustres, como Beatriz Milhazes e Leda Catunda, Luiz Zerbini fez parte da chamada Geração 80 e produziu telas figurativas de inspiração pop e surrealista. No Rio de Janeiro, trabalhou como cenógrafo do grupo de teatro Asdrú­bal Trouxe o Trombone e participou de performances em bares com a atriz Regina Casé. Desde 1995, compõe com os artistas Barrão e Sergio Mekler o coletivo Chelpa Ferro, conhecido por criar instrumentos musicais feitos de sucata. Mas, segundo o próprio Zerbini, é por meio da pintura que ele se expressa melhor. Desde junho, passou a integrar o acervo permanente de Inhotim, com uma série de nove pinturas que retratam cenas cotidianas, paisagens naturais e urbanas e composições abstratas.

Inhotim - Galeria Praça. Rua B, 20, Brumadinho, ☎ 3571-9700. Terça a sexta, 9h30 às 16h30; sábado, domingo e feriados, 9h30 às 17h30. Grátis (terça); R$ 20,00 (quarta e quinta); R$ 28,00 (sexta, sábado, domingo e feriados). Crianças de até 5 anos não pagam.

✪✪ Maria Lynch

A jovem e valorizada artista carioca exibe na galeria Murilo Castro sua Instalação Macia. Milhares de objetos de pelúcia, veludo e rendas encobrem uma sala da galeria do chão ao teto. A mostra, que esteve no Paço Imperial, no Rio de Janeiro, conta ainda com duas telas e três objetos pendentes.

Galeria Murilo Castro. Rua Antônio de Albuquerque, 377, sala 1, Savassi, ☎ 3287-0110. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Até dia 27.

Rogério Fernandes

O traço característico das gravuras do artista remete à linguagem popular dos cordéis e das xilogravuras nordestinas e retrata cenas do folclore brasileiro. Desta vez, porém, a protagonista das telas de Rogério vem de terras mexicanas. Frida Kahlo, musa de vários trabalhos do artista, aparece cercada por flores e com personalidades múltiplas nas catorze obras da série Frida Imaginária.

Galeria de Arte Nello Nuno. Rua Alvarenga, 794, Cabeças, Ouro Preto (a 96 quilômetros de Belo Horizonte), ☎ 3551-2014. Segunda a sexta, 12h às 18h. Grátis. Até dia 28.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE