Exposições

Exposição Cor, Luz e Movimento estreia na Galeria do Minas

Mostra homenageia Abraham Palatinik, um dos pioneiros da arte cinética no Brasil

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Sérgio Araujo
(Foto: Redação VejaBH)

Objetos cinéticos: cor e formas fora da tela

Em 1951, o jovem artista potiguar Abraham Palatnik exibiu seu Aparelho Cinecromático na primeira Bienal de São Paulo. A obra consistia em uma máquina composta de lâmpadas e telas coloridas que compunham diversas combinações quando acionadas por motores. Inicialmente recusado pela comissão julgadora brasileira por não se enquadrar em nenhuma categoria das artes plásticas, o trabalho pioneiro acabou ganhando menção honrosa do júri internacional. A partir daí, Palatnik se aprofundou na manipulação livre de formas e cores, sempre buscando a tridimensionalidade, o movimento e uma espécie de regularidade mecânica. Considerado o pai da chamada arte cinética no Brasil, ele é o homenageado da nova mostra do Minas Tênis Clube. Além de um ambiente com oito obras de Palatnik, a exposição vai apresentar trabalhos de outros artistas, como Deneir, Eduardo Coimbra e Emygdio de Barros, cujas pesquisas se assemelham às do mestre.

Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube. Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1027. → Terça a sábado, 10h às 20h; domingo, 11h às 19h. Grátis. Até 28 de setembro. A partir de quarta (13).

Produção em série: a mostra abre o projeto Arte e Indústria, que aborda as relações entre processos artísticos e produção industrial, e vai acompanhar todas as edições do Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE