Exposições

Exposição 'GTO - 100 Anos' traz retrospectiva do escultor

O mineiro Geraldo Teles de Oliveira (1913-1990) começou os entalhes em madeira aos 55 anos

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Daniel Mansur
(Foto: Redação VejaBH)

Roda: uma das trinta peças que serão exibidas a partir de quarta (16)

Nascido em Itapecerica e criado em Divinópolis, Geraldo Teles de Oliveira (1913-1990) foi um homem humilde que descobriu tardiamente sua vocação artística. Depois de trabalhar em plantações e até como vigia noturno de um hospital, GTO (como gostava de ser chamado) disse ter tido uma série de visões que o incitavam a fazer esculturas. Autodidata, começou a produzir entalhes em madeira aos 55 anos. Em totens, mandalas e peças de formatos variados, ele retratou figuras religiosas, festas e costumes mineiros. Em homenagem ao centenário de seu nascimento, o mestre ganha retrospectiva no Centro de Arte Popular — Cemig, que integra o circuito da Praça da Liberdade. Foram escolhidas pelo curador José Alberto Nemer trinta obras de madeira e uma peça rara esculpida em pedra-sabão.

Centro de Arte Popular - Cemig. Rua Gonçalves Dias, 1608, Funcionários, ☎ 3222-3231. → Terça, quarta e sexta, 10h às 19h; quinta, 12h às 21h; sábado e domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 29 de dezembro. A partir de quarta (16).

Herdeiros do ofício: o filho do artista (Mário Teles) e o neto (Geraldo Fernando de Oliveira, o GFO) também vivem da arte de esculpir em madeira

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE