Exposições

Exposição Hotel Esplêndido retrata o dia a dia das prostitutas da Rua Guaicurus

A fotógrafa belo-horizontina Laura de Avelar Fonseca passou dois anos clicando e entrevistando as mulheres para a mostra no Inimá de Paula

Por: Isabella Grossi - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Hotel Esplêndido - Quarto nº 210/1: tríptico de uma realidade

O cotidiano das mulheres que frequentam os hotéis da Rua Guaicurus, no chamado Baixo Centro de BH, serviu de inspiração para a exposição Hotel Esplêndido, primeira individual da fotógrafa Laura de Avelar Fonseca, de 31 anos, que largou o diploma de economia para se dedicar ao projeto. Durante dois anos, a artista entrevistou e fotografou um sem-número de prostitutas, num trabalho que valoriza, acima de tudo, os detalhes do ambiente que caracterizam as personagens. "Meu foco está na condição humana, e não na profissão", antecipa. Ao todo, 25 imagens compõem a mostra, incrementada com o áudio dos bate-papos. Com cerca de vinte hotéis - e 4 000 profissionais do sexo, de acordo com a Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aspromig) -, a Rua Guaicurus é considerada um dos maiores complexos de prostituição do Brasil. Cada moça aluga (ou divide) um quarto pela diária de 130 reais, em média. Os programas custam a partir de 10 reais.

Museu Inimá de Paula. Rua da Bahia, 1201, Centro, ☎ 3213-4320. Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 18h30; quinta, 12h às 20h30; domingo, 12h às 18h30. Grátis. Até 1º de março.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE