Exposições

Exposições: 12 a 18 de maio

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

ESTREIA

NUNO RAMOS. Onze desenhos do artista plástico Nuno Ramos compõem a mostra Só Lâmina. Materiais de construção, como pedra, areia, vidro, além de pelúcia e metal, foram explorados pelo artista. Oito estrofes do poema Uma Faca Só Lâmina, de João Cabral de Melo Neto, acompanham os trabalhos. Sesc Palladium - Galeria de Arte GTO. Avenida Augusto de Lima, 420, Centro, ☎ 3214-5350 → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 1º de julho. A partir desta quinta (17).

ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ ROGÉRIO FERNANDES. O traço marcante das gravuras do artista remete à linguagem popular dos cordéis e das xilogravuras nordestinas e retrata cenas do folclore brasileiro. Neste mês, o celebrado artista piauiense radicado em BH exibe duas exposições. Amor Inesperado apresenta casais fictícios, como Elvis e Madonna, Frida Kahlo e James Dean, e Chanel no Sertão conta com sete gravuras e quadros inspirados na lendária estilista. Além dessas mostras, a galeria guarda o acervo do artista e funciona como seu ateliê. Após esta individual, as duas séries inéditas integrarão uma coletiva no Aeroporto Internacional de Miami. As gravuras estão à venda a partir de R$ 300,00 e as telas, a partir de R$ 2 500,00. Rogério Fernandes Galeria e Atelier. Rua Orenoco, 137, Sion, ☎ 8794-1399 → Segunda a sexta, 9h às 12h e 14h às 19h; sábados, 11h às 14h. Até terça (15).

✪✪✪ SIMBIO. Últimos dias para conferir a exposição colaborativa no Palácio das Artes. A mostra Simbio apresenta o diverso conjunto de trabalhos dos artistas Binho Barreto (design), Carlos Teixeira (arquitetura), Clarissa Campolina (audiovisual), Felipe Turcheti (multimídia e programação), Julia Panadés (poesia) e Raquel Schembri (artes plásticas). A exposição está instalada no Espaço Mari'Stella Tristão. Palácio das Artes. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro. ☎ 3236-7400 → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até este domingo (13).

EM CARTAZ ✪✪✪✪ ARTHUR OMAR. Ícone da produção artística contemporânea, o mineiro Arthur Omar desenvolve trabalhos nos campos da fotografia, cinema, vídeo e música. Suas experiências em antropologia visual procuram abordar "cientificamente" expressões, sensações e a própria condição humana a partir da captura da imagem. As Portas da Percepção, sua mais recente empreitada, apresenta uma seleção inédita de imagens, um vídeo e uma instalação. A mostra é resultado de uma experimentação fotográfica baseada no texto do escritor Aldous Huxley (1894-1963) sobre a expansão da consciência e no pensamento do pintor e poeta William Blake (1757-1827). É de Blake a frase que inspirou Omar: "Se as portas da percepção fossem limpas, tudo apareceria ao homem como realmente é, infinito". Oi Futuro - Galeria 1. Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3229-3131 → Terça a sábado, 11h às 21h; domingo, 11h às 19h. Grátis. Até 17 de junho.

✪✪✪ A CASA E A CIDADE: Construção do Espaço Doméstico, Social e da Lembrança em Belo Horizonte. Mostra de longa duração no Casarão do Museu Histórico Abílio Barreto que homenageia a história e a vida doméstica da cidade. O acervo reúne móveis, documentos, plantas arquitetônicas, obras e objetos de uso comum em Belo Horizonte do início do século XX até os anos 1990. Museu Histórico Abílio Barreto. Avenida Prudente de Morais, 202, Cidade Jardim, ☎ 3342-1268 → Terça, sexta, sábado e domingo, 10h às 17h; quarta e quinta, 10h às 21h. Grátis. Até 14 de dezembro.

✪✪✪✪ FERNANDO BOTERO. Belo Horizonte recebe pela primeira vez uma individual do pintor e escultor colombiano Fernando Botero. Nascido na cidade de Medellín, em 1932, ele é um dos poucos artistas visuais que gozam de prestígio e do título de "mestre" ainda em vida. Suas obras são mundialmente reconhecidas pela representação de figuras humanas roliças e pelo colorido vibrante de cenas cotidianas. Nesta exposição, Botero manifesta com mais vigor a preocupação com as agruras de seu povo. As telas da mostra Dores da Colômbia retratam cenas de sequestro, tortura, morte e sofrimento psicológico. Em uma das três belas salas que abrigam os trabalhos, foram reunidos desenhos feitos a carvão. As cores escuras e frias dessas telas acentuam a atmosfera de tensão que o tema impõe. Museu de Artes e Ofícios. Praça Rui Barbosa (Praça da Estação), Centro ☎ 3248-8600 → Terça e sexta, 12h às 19h; quarta e quinta, 12h às 21h; sábados, domingos e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até 2 de junho.

✪✪✪  GLAUCO MORAES. O artista e professor de história da arte inaugura a mostra Seres Múltiplos no Museu Inimá de Paula. Em grandes telas de acrílico, Glauco faz leituras inusitadas da figura humana. Chamam atenção os contornos espessos, as cores contrastantes e inserção de frases em um dialeto criado pelo artista. Museu Inimá de Paula. Rua da Bahia, 1201, Centro, ☎ 3213-4320 → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 19h; quinta, 12h às 21h; domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 8 de julho.

✪✪✪  IMAGENS DO CONHECIMENTO. Fotografias do processo de produção científica formam uma diversa e vibrante mostra no Espaço TIM UFMG do Conhecimento. Coordenado pelo Núcleo de Divulgação Científica (NDC) da UFMG, o projeto surgiu a partir da ideia da professora de matemática Sônia Pinto de Carvalho. Ela pensou em organizar um banco de imagens dos vários campos do conhecimento com o objetivo de despertar o interesse da população pela ciência. Uma das instalações mais interessantes é o emaranhado de monóculos que abre a exposição. Espaço TIM UFMG do Conhecimento. ☎ 3409-8350 → Terça a domingo, 10h às 17h (quinta, 10h às 21h). Grátis. Até 24 de junho.

✪✪✪ A MENOR DISTÂNCIA ENTRE DOIS PONTOS É O HUMOR. Uma divertida coletânea de charges e cartuns do artista Duke ganha exposição no Oi Futuro. Foram reunidos trabalhos publicados em jornais e revistas nos últimos três anos e obras inéditas produzidas pelo cartunista. Duke é mineiro de Belo Horizonte, assina charges diárias nos jornais O Tempo e Super Notícia e, em 2009, foi premiado com o troféu HQMIX, como melhor cartunista brasileiro. Oi Futuro - Galeria 2. Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3229-3131 → Terça a domingo, 11h às 18h. Grátis. Até 8 de julho.

✪✪✪ MÉTODOS EMPÍRICOS PARA A EXTRAÇÃO (OU CONSTRUÇÃO) DE UMA FORMA. Leia em Veja BH Recomenda (pág. 6). Celma Albuquerque Galeria de Arte. Rua Antônio de Albuquerque, 885, Lourdes, ☎ 3227-6494 → Segunda a sexta, 9h às 19h; sábado, 9h30 às 13h. Grátis. Até dia 27.

✪✪✪ NYDIA NEGROMONTE. O Museu de Arte da Pampulha recebe os trabalhos da artista peruana radicada no Brasil. O título da exposição, Lição de Coisas, refere-se ao antigo manual catalão Liçons de Coses, de 1933, que regulava atividades e costumes da vida social e familiar. Na mostra, ela justapõe ilustrações extraídas do compêndio original a fotografias de famílias comuns. As composições chamam atenção pela semelhança entre uma cena ideal, tida como modelo de comportamento pelo manual, e um momento real, registrado pela fotografia. A ideia de Nydia é propor a reflexão sobre gestos, costumes, afetos e coincidências da experiência humana. Museu de Arte da Pampulha. Avenida Doutor Otacílio Negrão de Lima, 16585, Pampulha, ☎ 3277-7946 → Terça a domingo, 9h às 19h. Grátis. Até 30 de junho.

✪✪ SOMATÓRIO SINGULAR. Com a curadoria de Cristina Burlamaqui, a Galeria Murilo Castro apresenta esta coletiva de arte contemporânea. Estão em exposição trabalhos de sete jovens artistas cariocas: Alexandre Mazza, Bruno Miguel, Carolina Martinez, Gabriela Maciel, Marcelo Jácome, Maria Lynch e Noé Klabin. Cada um utiliza materiais, técnicas e linguagens diferentes. Os resultados são diversos, mas a inspiração é a mesma, as sensações sobre a vida urbana e a dinâmica do cotidiano. As cores vibrantes das telas de Marcelo Jácome e a tridimensionalidade pop das esculturas de Maria Lynch dão o tom moderninho à mostra. R$ 3 000,00 a R$ 30 000,00. Galeria Murilo Castro. Rua Antônio de Albuquerque, 377, Sala 1, Savassi, ☎ 3287-0110 → Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Até dia 26.

✪✪✪ VER E VOLTAR A VER: A CIDADE DOS ALUNOS DO MESTRE GUIGNARD. O Centro de Cultura Belo Horizonte apresenta em sua galeria principal 26 telas de ex-alunos de Alberto da Veiga Guignard (1896-1962). Cada autor empregou suas próprias linguagens e técnicas, que, além de homenagear o mestre, têm Belo Horizonte como tema. A cidade, tão importante para a vida e a obra do pintor, foi retratada por aprendizes ilustres como Yara Tupinambá, Amílcar de Castro e Álvaro Apocalypse. O Parque Municipal e o coreto da Praça da Liberdade são temas de algumas telas. Centro de Cultura Belo Horizonte. Rua da Bahia, 1149, Centro, ☎ 3277-4384 → Segunda a sexta, 9h às 19h. Grátis. Até 26 de outubro.

ESPECIAL BH TATTOO CONVENTION. Setenta expositores do Brasil e do mundo se reúnem na segunda edição do evento de tatuagens, que começa na sexta (18). Profissionais de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraná, além de convidados internacionais do Japão, Alemanha, Argentina, Peru, Uruguai e Suíça, marcam presença. Minascentro. Rua Guajajaras, 1022, Centro, ☎ 3466-8091 e 7814-0913. R$ 20,00. Sexta, 16h; sábado e domingo, 10h. Até dia 20.

CURSO DE ASTRONOMIA. Os fenômenos presentes no espaço, o surgimento e a vida dos corpos estelares, a cosmologia maia e as previsões de fim do mundo integram a programação, que tem início na terça (15). São sete módulos ministrados por professores vinculados ao Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais e ao Grupo de Astronomia e Astrofísica da PUC-MG, entre outras instituições. Espaço TIM UFMG do Conhecimento. Praça da Liberdade, s/n, Funcionários, ☎ 3409-8352. Terça, das 19h às 21h. R$ 120,00 ou R$ 20,00 cada módulo. Inscrições pelo site www.espacodoconhecimento.org.br. Sessenta vagas. Até 26 de junho.

LANÇAMENTO DE LIVRO. O mineiro Luís Giffoni, colunista de VEJA BH, lança o livro Serra do Curral, o 21º título da série BH A Cidade de Cada Um, editada pela Conceito Editorial. As cerca de 100 páginas contam a relação do escritor com o maior símbolo da capital, sem esquecer de abordar a fauna, a flora e a formação geológica da região. Giffoni tem outros vinte livros publicados, entre eles, O Fascínio do Nada e O Pastor das Sombras. Livraria Quixote. Rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi, ☎ 3227-3077. Terça (15), 19h.

SALDÃO DE ARTES. Mais de trinta nomes colocarão à venda suas obras na segunda edição do Mega Saldão Casa Camelo. Entre eles, Luís Matuto, Gabriela Brasileiro, Esther Azevedo, Renata Lacerda e Luiz Eduardo Lemos. O ateliê foi inaugurado em outubro passado por sete artistas visuais que compartilham a proposta de ampliar os pontos de cultura da capital. Casa Camelo. Rua Ulhoa Cintra, 90, Santa Efigênia, ☎ 9878-1819 e 8698-7988. Neste sábado (12), das 14h às 22h. Grátis.

SEMPRE UM PAPO. O escritor João Paulo Cuenca fala sobre o seu mais novo livro, A Última Madrugada, que pretende dar novos significados ao cotidiano das grandes cidades. Nas crônicas, o leitor é conduzido a um bar em Paris onde é surpreendido pela entrada do demônio e um amanhecer em Copacabana, entre outras situações estranhas. Considerado um dos autores brasileiros mais importantes da nova geração, Cuenca já publicou três romances, escreveu peças de teatro e o seriado da TV Globo Afinal, o Que Querem as Mulheres?, que foi ao ar em 2010. Memorial Minas Gerais - Vale (120 lugares). Praça da Liberdade, 435, Funcionários, ☎ 3261-1501. Quinta (17), 19h30. Grátis. Retirada dos ingressos uma hora antes do evento.

VI SEMANÁRIA DAS ARTES GRÁFICAS. O evento chega à sua sexta edição com atividades destinadas a produção, reflexão e crítica de artes gráficas. Um dos objetivos é estimular a troca de experiência entre profissionais, pesquisadores e estudantes. A programação tem início na quarta (16) e envolve oficinas, conversas e feira de publicações. CentoeQuatro. Praça Ruy Barbosa, 104, Centro, ☎ 3222-6457. Oficinas (quinze participantes): até sexta (18), das 9h às 18h. Inscrições pelo site www.semanaria.wordpress.com. Conversas e Feira de Publicações (aberta ao público): sábado (19), das 10h às 18h30. Grátis.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE