Exposições

Mostra do fotógrafo canadense Robert Polidori exibe registros de tragédias pelo mundo

Em cartaz no Centro de Arte Contemporânea e fotografia, imagens primam pelo tom crítico

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Robert Polidori
(Foto: Redação VejaBH)

Local Desconhecido na Altura do nº 800 da North Robertson Street, Nova Orleans, Louisiana, EUA, 2005: o enquadramento clássico confere beleza plástica ao cenário devastado

Paleta de cores harmônica, lustres alinhados bem ao centro da cena e paredes azul-claras cuidadosamente enquadradas. Essa poderia ser a descrição de uma pintura neoclássica, mas é o registro fotográfico de uma casa devastada pelo furacão Katrina. O canadense Robert Polidori tem uma queda por desastres e espaços deteriorados. Mais do que isso, ele consegue retratá-los com primor estético e tom crítico. A partir de quarta (21), o Centro de Arte Contemporânea e Fotografia exibe 48 de seus trabalhos.

As composições de Polidori lembram a acurada perspectiva renascentista, em que elementos centrais eram rodeados milimetricamente pelo restante do cenário. O uso da luz natural também ajuda a conferir beleza plástica e atmosfera plácida a cenas de destruição, sujeira e caos. Entre as obras, está um dos primeiros ensaios do canadense, realizado em 1985. Ele clicou interiores de apartamentos abandonados em Nova York e depredados por grupos de adolescentes. Também compõe a mostra sua famosa série sobre a devastação causada pelo furacão Katrina, que assolou a costa leste dos Estados Unidos em 2005. O artista ainda emprestou seu olhar cuidadoso a outras ruínas contemporâneas, como os prédios decadentes de Havana, em Cuba, e as cidades ucranianas de Chernobyl e Pripyat quinze anos depois do acidente nuclear de 1986. O interesse pela destruição, às vezes, inverte-se. Há cerca de vinte anos, por exemplo, ele acompanha a restauração do Palácio de Versalhes, na França, cujos registros também integram essa exposição.

Robert Polidori — Fotografia. Centro de Arte Contemporânea e Fotografia. Avenida Afonso Pena, 737 (Praça Sete), Centro, ☎ 3263-7400. Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até 6 de janeiro de 2013. A partir de quarta (21).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE