Exposições

Oi Futuro exibe filmes do celebrado cineasta independente Apichatpong Weerasethakul

Obras recentes do diretor tailandês estarão em cartaz até o dia 1º de setembro

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Cena de Hotel Mekong: o longa de 2012 é a estrela principal da mostra

Avaliação ✪✪✪

Quem tem preguiça de ver filmes independentes pode mudar de opinião se visitar a mostra da galeria de artes visuais do Oi Futuro. Experimente sentar-se em uma das cadeiras simples de madeira, posicionadas em frente às telas, e colocar o fone de ouvido. Com menos de um minuto de projeção, é possível perceber que os trabalhos do cineasta Apichatpong Weerasethakul não são tão complicados quanto seu nome. Neste mês, o artista tailandês veio a Belo Horizonte para uma série de palestras, exibições de filmes e conversas com o público. Ele esteve presente, como ouvinte, até na Assembleia Popular Horizontal, que ocupou a Câmara Municipal por nove dias. A produtiva visita já terminou, mas o trabalho de Apichatpong continua em cartaz na cidade em exposição audiovisual no Oi Futuro. Foram selecionadas oito fitas realizadas entre 2006 e 2012. A grande estrela da mostra é o longa Hotel Mekong (2012), cheio de cenas ora sensíveis, ora apenas fantasiosas, ambientadas em um hotel à beira do Rio Mekong, na Tailândia. Sete curtas ocupam os outros telões espalhados pela galeria.

Galeria de Artes Visuais do Oi Futuro. Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3229-3131 → Terça a sábado, 11h às 21h; domingo,

11h às 19h. Grátis. Até 1º de setembro.

Exposições: programação para os dias 20 a 26 de julho

ÚLTIMA SEMANABruno Rios

Corpo Tangente reúne registros das ações urbanas que o artista realiza desde 2010. Por meio de vídeos, instalações, desenhos e fotografias, Bruno apresenta seu olhar poético sobre os cenários da cidade.

Palácio das Artes - Galeria Genesco Murta. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até este domingo (21).

✪✪ Maria Lynch

A jovem e valorizada artista carioca exibe na galeria Murilo Castro sua Instalação Macia. Milhares de objetos de pelúcia, veludo e rendas encobrem uma sala da galeria do chão ao teto. A mostra, que esteve no Paço Imperial, no Rio de Janeiro, conta ainda com duas telas e três objetos pendentes.

Galeria Murilo Castro. Rua Antônio de Albuquerque, 377, sala 1, Savassi, ☎ 3287-0110. Segunda a sexta, 10h às 19h; sábado, 10h às 14h. Até sábado (27).

Sara Lambranho

Radicada em Belo Horizonte desde 2005, a paulista Sara Lambranho apresenta uma obra inédita. Intitulado Trato, o trabalho da jovem artista questiona a utilização de plantas com espinhos como grade de proteção. Antes de ser executada a intervenção na galeria, foi produzida uma série de desenhos preparatórios. A artista convida o espectador a conhecer o resultado final pessoalmente.

Palácio das Artes - Galeria Arlinda Corrêa Lima. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até este domingo (21).

EM CARTAZ

20BB - Bordallianos do Brasil

O ilustrador e ceramista português Rafael Bordallo Pinheiro fundou a Fábrica de Faianças Artísticas, onde criou centenas de peças exuberantes em faiança, tipo mais delicado de cerâmica. Suas obras coloridas e cheias de detalhes naturalistas serviram de inspiração para vinte artistas brasileiros que o homenageiam em mostra no Museu de Artes e Ofícios. Há releituras espirituosas de grandes nomes da arte e do design nacional, como Tunga, Vik Muniz, Isabela Capeto e Regina Silveira.

Museu de Artes e Ofícios. Praça Rui Barbosa (Praça da Estação), Centro, ☎ 3248-8600. Terça e sexta, 12h às 19h; quarta e quinta, 12h às 21h; sábado, domingo e feriados, 11h às 17h. Grátis. Até dia 30.

✪✪ Carolina Cordeiro

Por meio de vídeos e instalações, a mostra Entre brinca com os conceitos de "dentro" e "fora" e convida o espectador a prestar atenção nos detalhes. Um dos trabalhos mais interessantes é a intervenção nas janelas da sala de exposições. Pedras, que parecem ter estilhaçado os vidros, ficam estacionadas entre o interior e o exterior do museu.

Memorial Minas Gerais Vale - Sala de Exposição e Sala de Vídeo. Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários (esquina com a Rua Gonçalves Dias), ☎ 3343-7317. → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 17h30; quinta, 10h às 21h30; domingo, 10h às 15h30. Grátis. Até 31 de agosto.

✪✪✪ Coleção Itaú de Fotografia Brasileira

O Instituto Itaú Cultural traz a Belo Horizonte 89 imagens de sua coleção de fotografia brasileira. A ideia é revelar como a fotografia modernista no país (que teve seu auge entre as décadas de 40 e 60) influenciou a produção contemporânea. O curador, Eder Chiodetto, explica que ícones da estética moderna, como Geraldo de Barros, José Yalenti e German Lorca, fizeram experimentos formais e temáticos que inspiraram gerações posteriores, como as de Miguel Rio Branco, Mario Cravo Neto e Claudia Andujar. Vale a pena demorar diante de imagens feitas por mestres da fotografia em preto e branco, como Eduardo Enfeldt e Mario Cravo Neto. Outro destaque é a bela paisagem em grande formato do bairro paulistano do Butantã, captada por Caio Reisewitz.

Palácio das Artes - Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até 25 de agosto.

Elyseu Visconti Cavalleiro

Nascido no Rio de Janeiro, Elyseu Visconti Cavalleiro está hoje com 74 anos. Destes, cinquenta foram dedicados ao cinema independente. Depois de ter dois longas - Os Monstros de Babaloo (1971) e O Lobisomem (1974) - censurados pela ditadura militar, o artista se "autoexilou" no Nordeste do país, onde filmou delirantes documentários sobre o folclore e a cultura popular da região. Em cartaz no Sesc Palladium, a mostra comemorativa Visconti Cavalleiro - Cinema & Invenção traz a Belo Horizonte um videodocumentário de entrevistas com o artista, uma seleção de sua filmografia, o seminário Cinema & Invenção e uma exposição com documentos, fotos, fotogramas e oito desenhos produzidos pelo multiartista na Europa.

Sesc Palladium - Galeria de Arte GTO. Rua Rio de Janeiro, 1046, Centro, ☎ 3214-5350. → Terça a domingo, 9h às 21h. Grátis. Até 10 de agosto.

✪✪✪ Espaços Compartilhados da Imagem

Grande atração do primeiro Festival Internacional de Fotografia da cidade, a mostra reúne 300 obras de 32 artistas vindos de dezenove países. A relevância do evento, porém, não está nos números, mas na cuidadosa seleção de fotografias que flertam com outras linguagens artísticas, como a literatura, o cinema, a escultura e até a performance. Intitulada Espaços Compartilhados da Imagem, a mostra foi distribuí­da por três espaços expositivos, além de algumas estações de metrô. Vale a pena conferir, no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia, a poética luz solar captada por Alexander Harding e a curiosa colagem de capas de livros de autoajuda feita por Kent Rogowski.

Centro de Arte Contemporânea e Fotografia. Avenida Afonso Pena, 737 (Praça Sete), Centro, ☎ 3263-7400 Ter. a sáb., 9h30 às 21h; dom., 16h às 21h. Até 25 de agosto. Museu Mineiro. Avenida João Pinheiro, 342, Funcionários, ☎ 3269-1109 → Ter., qua. e sex., 10h às 19h; qui., 12h às 21h; sáb. e dom., 12h às 19h. Até 25 de agosto. CentoeQuatro. Praça Ruy Barbosa (Praça da Estação), 104, Centro, ☎ 3222-6457 → Terça a domingo, 14h às 22h. Até 6 de agosto.

Luiz Dolino

Há trinta anos, o artista plástico carioca Luiz Dolino enche suas telas de cores fortes e traços geométricos, que remetem às culturas ancestrais dos ameríndios. Na mostra A Fantasia Exata, ele apresenta pinturas realizadas nos últimos cinco anos, em que predominam composições geometrizadas e cores vibrantes. As trinta peças que integram a exposição traduzem a constante busca do artista por entender as raízes estéticas dos povos formadores das Américas.

Museu Inimá de Paula - 3º andar. Rua da Bahia, 1201, Centro, ☎ 3213-4320 → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 19h; quinta, 12h às 21h; domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 8 de agosto.

Luiz Zerbini

Ao lado de Beatriz Milhazes e Leda Catunda, Luiz Zerbini fez parte da chamada Geração 80 e produziu telas figurativas de inspiração pop e surrealista. No Rio de Janeiro, trabalhou como cenógrafo do grupo de teatro Asdrú­bal Trouxe o Trombone e participou de performances em bares com a atriz Regina Casé. Mas, segundo o próprio Zerbini, é por meio da pintura que ele se expressa melhor. Desde junho, passou a integrar o acervo permanente de Inhotim, com uma série de nove pinturas que retratam cenas cotidianas, paisagens naturais e urbanas e composições abstratas.

Inhotim - Galeria Praça. Rua B, 20, Brumadinho, ☎ 3571-9700. Terça a sexta, 9h30 às 16h30; sábado, domingo e feriados, 9h30 às 17h30. Grátis (terça); R$ 20,00 (quarta e quinta); R$ 28,00 (sexta, sábado, domingo e feriados). Crianças de até 5 anos não pagam.

✪✪✪ Yann Arthus-Bertrand

+ Fotógrafo Yann Arthus-Bertrand registra o mundo visto de cima

Grades do Parque Municipal Américo Renné Giannetti. Avenida Afonso Pena, 1377, Centro. Até 1º de setembro.

Cotações | Péssimo ← | Fraco ✪ | Regular ✪✪ | Bom ✪✪✪ | Muito bom ✪✪✪✪ | Excelente ✪✪✪✪✪

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE