Exposições

Programação de exposições para o período entre 12 a 18 de abril

- Atualizado em

› ÚLTIMA SEMANA

✪✪✪ Improvável

A arte torna tudo possível. Pelo menos é o que parece nesta mostra. A coletiva exibe obras de cinco artistas brasileiros: Cláudio Trindade (Florianópolis), Leo Ayres (Rio de Janeiro), Fábio Morais, Bruno Moreschi e Nino Cais (São Paulo). Convidados pela curadora Paula Borghi, eles criaram uma série baseada em cenas improváveis ou surreais, como oceanos que cabem em um copo de água, cartas de baralho que flutuam e um homem que anda sobre o mar. A maioria dos trabalhos brinca com ilusões ópticas, desafios mentais e instalações construídas com objetos típicos do universo da mágica. O mérito da exposição, no entanto, não é apenas reunir imagens divertidas, mas também produzir atmosferas poéticas a partir de situações esdrúxulas.

Palácio das Artes - Galeria Genesco Murta. Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até este domingo (13).

✪✪✪ Leo Brizola

O artista apresenta nova individual no recém-inaugurado Galpão Paraíso (leia mais na reportagem da página 34). Estão expostos pinturas de grande formato e um políptico inspirados em elementos mitológicos, como deusas, faunos, espelhos, banquetes.

Galpão Paraíso. Rua Cachoeira Dourada, 34, Paraíso, ☎ 9967-3331. Terça a sexta, 16h às 20h; sábado, 10h às 15h. Grátis. Até domingo (19).

✪✪ Lucas Ávila

Na mostra Elas, Madalenas, o fotógrafo apresenta registros do dia-a-dia de travestis, drag queens, transexuais e personagens andróginos. Apesar de sensível, a abordagem é comum.

Memorial Minas Gerais Vale - Hall de entrada e Escadaria Principal. Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários (esquina com a Rua Gonçalves Dias), ☎ 3308-4000. → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 17h30; quinta, 10h às 21h30; domingo, 10h às 15h30. Grátis. Até domingo (19).

✪✪✪ Mayana Redin

Cuidado: após visitar esta mostra, é possível que você fique obcecado por letreiros de edifícios. Na individual A Borda o Risco o Mundo: Experimento #2, a artista paulista investiga a presença das noções de infinito, evolução, fronteira e espaço sideral nas situações mais inofensivas do cotidiano. Em uma das instalações, por exemplo, Mayana apresenta letreiros de prédios de Belo Horizonte inspirados em termos e tipografias espaciais (como "Edifício Mercúrio", "Netuno", "Via Láctea"). Ela também exibe interferências em cartões-postais, o vídeo Órbita (que mostra um inseto orbitando ao redor de uma lâmpada) e até um mapa dos países sem montanha.

Palácio das Artes - Galeria Arlinda Corrêa Lima. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até este domingo (13).

✪✪✪ Wilton Montenegro

Há trinta anos o fotógrafo registra ateliês, processos criativos, pinturas, performances e instalações dos mais importantes nomes da arte brasileira - entre eles Cildo Meireles, Tunga e Franz Weissmann (1911-2005). Seu olhar sensível não apenas documenta um objeto ou situação artística, mas também altera a experiência do espectador e o significado da obra original. Na mostra Fotografia: Trans-Criação, Difusão e Preservação da Memória da Arte Contemporânea estão expostas cerca de 200 fotos em ampliações e projeções.

Oi Futuro - Galeria 1. Avenida Afonso Pena, 4001, Mangabeiras, ☎ 3229-3131. Terça a sábado, 11h às 21h; domingo, 11h às 19h. Grátis. Até este domingo (13).

› EM CARTAZ

Ângelo Issa e Miguel Gontijo

No 5º andar, Issa apresenta oito telas de grande formato e forte conotação política na exposição Sentido Obrigatório. Gontijo exibe no piso de cima a série Bibliotheca, que traz pinturas, assemblages e objetos cheios de referências literárias, cinematográficas e da linguagem dos quadrinhos.

Cine Theatro Brasil Vallourec - 5º e 6º andares. Rua dos Carijós, 258, Centro, ☎ 3201-5211. → Terça a sábado, 13h às 21h; domingo, 14h às 20h. Grátis. Até 11 de maio.

Cícero Mafra

Em uma viagem a Berlim, o fotógrafo Cícero Mafra visitou o Museu Pergamon e se encantou com o acervo de arte islâmica e da Antiguidade clássica. Utilizando ângulos fechados e, às vezes, dupla exposição do filme, ele reduziu e manipulou imagens de tapetes persas e de esculturas gregas e romanas. Além da série Pergamon, estão expostos em outros salões trabalhos de artistas representados pela galeria. Vale a pena andar por todo o espaço: a estrutura imponente e a arquitetura ousada do local são, por si só, um atrativo. Se possível, faça o passeio no fim da tarde, para aproveitar o pôr do sol do 2º andar.

Galeria CMafra. Rua Xingu, 487, Santa Lúcia, ☎ 3296-4246. Terça a sexta, 14h às 19h; sábado, mediante agendamento por telefone. Até dia 26.

✪✪ Cyro Almeida

A mostra exibe fotografias feitas por Cyro Almeida na comunidade Dandara, na Zona Norte da capital. Entre 2010 e 2012, ele registrou casas, móveis, flagrantes do cotidiano e cenas de sua convivência com os moradores.

Palácio das Artes - Espaço Mari'Stella Tristão. Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo e feriados, 16h às 21h.

Grátis. Até 4 de maio.

Estandelau

+ Pintor Rafael Bianchi Zavagli apresenta série de paisagens inéditas em mostra

Memorial Minas Gerais Vale - Sala de Exposições. Praça da Liberdade, s/nº, Funcionários (esquina com a Rua Gonçalves Dias), ☎ 3308-4000. → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 17h30; quinta, 10h às 21h30; domingo, 10h às 15h30. Grátis. Até 1º de junho.

✪✪✪ Minas Território da Arte

Montada na Grande Galeria do Palácio das Artes, a exposição apresenta 100 obras dos maiores nomes das artes visuais no estado. Estão lá ícones como Manfredo de Souzanetto, Amilcar de Castro, GTO, Guignard, Carlos Bracher, Chanina e Farnese de Andrade, além de expoentes da nova geração, como Pedro David e Cinthia Marcelle. É uma oportunidade de ver de perto - e em um só lugar - um bom recorte da arte produzida em Minas Gerais a partir do século XX. A disposição dos quadros é confusa e, muitas vezes, justapõe obras que não dialogam. Esse fator, contudo, não invalida a visita.

Palácio das Artes - Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard. Avenida Afonso Pena, 1537, Centro, ☎ 3263-7400. → Terça a sábado, 9h30 às 21h; domingo, 16h às 21h. Grátis. Até 4 de maio.

✪✪✪✪ Um Olhar sobre o Brasil - A Fotografia na Construção da Imagem da Nação

A mostra, que ocupa o 3º andar do CCBB, vale por uma aula de história. Organizada pelo paulistano Instituto Tomie Ohta­ke, a exposição reúne fotografias feitas no Brasil entre 1833 e 2003 por mestres como Marc Ferrez e Augusto Stahl. A narrativa parte das experiências de Hércules Florence (1804-1879), pioneiro da fotografia na América Latina, e começa com retratos clássicos de negros e índios do século XIX. Nos salões seguintes, é possível ver de perto imagens icônicas como a das cabeças de Lampião e seu bando (autor desconhecido), a do jovem que cai enquanto é perseguido por militares (Evandro Teixeira) e a dos índios assistindo à Assembleia Constituinte de 1988 (Salomon Cytrynowicz).

Centro Cultural Banco do Brasil. Praça da Liberdade, 450, Funcionários, ☎ 3431-9400. → Quarta a segunda, 9h às 21h (fecha às terças). Grátis. Até dia 28.

✪✪✪ Portinari na Coleção Castro Maya

O Museu Inimá de Paula exibe 59 das 168 obras do mestre Candido Portinari (1903-1962) pertencentes à coleção do empresário e mecenas Raymundo Ottoni de Castro Maya (1894-1968). Adquiridas em leilões, galerias, encomendas intermediadas por ele ou doadas pelo próprio pintor, as peças evidenciam a amizade e as parcerias profissionais entre os dois. Merece mais atenção a série de ilustrações sobre Dom Quixote feitas sob encomenda para a livraria José Olympio.

Museu Inimá de Paula - 1º andar. Rua da Bahia, 1201, Centro, ☎ 3213-4320. → Terça, quarta, sexta e sábado, 10h às 19h; quinta, 12h às 21h; domingo, 12h às 19h. Grátis. Até 4 de maio.

✪✪✪✪ Wilma Martins: Retrospectiva - Cotidiano e Sonho

Ao contrário de contemporâneos como Amilcar de Castro (1920-2002) e Lygia Clark (1920-1988), cujas obras se destacam pela ousadia formal e por forte impacto visual, essa belo-horizontina preferiu a introspecção. Com traços finos e primorosos, Wilma Martins dedicou grande parte de sua carreira a desenhar a intimidade de ambientes domésticos. Suas salas, quartos, cozinhas e banheiros, no entanto, aparecem invadidos por crocodilos, peixes e vacas, em uma atmosfera delicadamente absurda. Aos 80 anos de idade, ela ganha bela retrospectiva organizada pelo marido - o consagrado crítico de arte Frederico Morais. Preste atenção em como a artista camufla a própria assinatura nas cenas retratadas.

Galeria de Arte do Centro Cultural Minas Tênis Clube. Rua da Bahia, 2244, Lourdes, ☎ 3516-1027. → Terça a sábado, 10h às 20h; domingo,11h às 19h. Grátis. Até 22 de junho.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE