Exposições

Após reforma, o Museu de Arte da Pampulha reabre as portas com obras inéditas de seu acervo

Mostra conta com telas de Alberto da Veiga Guignard e trabalhos de Alfredo Volpi e Oswaldo Goeldi

Por: Raíssa Pena - Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Noite de São João (1961), de Guignard: grandes nomes das artes integram a coleção do museu

Concebido em 1943 pelo então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek, para ser um cassino, o Museu de Arte da Pampulha (MAP) foi a primeira edificação do complexo modernista da Pampulha a ficar de pé. Com projeto arquitetônico de Oscar Niemeyer e jardins de Roberto Burle Marx, o espaço só passou a funcionar como museu em 1957. O MAP já recebeu exposições de grande porte, como a da escultora francesa Camille Claudel, em 1998, e várias mostras de arte contemporânea, como a de Nydia Negromonte, em julho deste ano. Após passar por uma série de reformas no mês passado, o museu agora exibe um recorte do próprio acervo. Das 1 600 peças da coleção, setenta foram escolhidas para integrar a mostra Museu Revelado, a partir deste sábado (10).

Algumas das preciosidades são telas de Alberto da Veiga Guignard e trabalhos de Alfredo Volpi e Oswaldo Goeldi. Destaque também para a Coleção Assis Chateaubriand, exibida integralmente pela primeira vez na cidade. Assim como havia feito para o Museu de Arte de São Paulo (Masp), o empresário e jornalista cedeu ao MAP parte de seu acervo. Entre as dezesseis obras doadas, há um desenho inédito de Guignard e uma tela pintada por Winston Churchill, o primeiro-ministro inglês à época da II Guerra. A mostra se estende para o outro lado da Lagoa da Pampulha. Na Casa do Baile, foram instalados trabalhos de artistas contemporâneos, que abordam temas ligados à arquitetura e ao design. A ideia é, por meio do desenvolvimento das artes visuais no Brasil, contar a história do museu. O percurso decrescente sugerido pela curadoria começa com trabalhos das últimas décadas, passa por movimentos artísticos como a Geração 80 e chega ao modernismo brasileiro.

Museu Revelado. Museu de Arte da Pampulha. Avenida Doutor Otacílio Negrão de Lima, 16585, Pampulha, ☎ 3277-7946. → Terça a domingo, 9h às 18h. Casa do Baile. Avenida Doutor Otacílio Negrão de Lima, 751, Pampulha, ☎ 3277-7443. → Terça a domingo, 9h às 18h. Grátis. Até 3 de fevereiro. A partir deste sábado (10).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE