Restaurantes

O melhor oriental de BH: Sushi Naka

- Atualizado em

Odin
(Foto: Redação VejaBH)

O combinado naka simples (R$ 115,00): cinquenta peças

Tradição é a palavra ideal para traduzir este restaurante. De decoração simples, atrai uma clientela fiel a sua cozinha de raiz nipônica. Os sócios e irmãos Yoshitada, Mitiharo e Takai Nakao são filhos de japoneses que desembarcaram no Brasil após a II Guerra Mundial e por aqui reconstruíram sua história. O patriarca, Osami Nakao, trabalhou durante certo tempo em casas especializadas na culinária do país asiático. No entanto, no fim da década de 80, decidiu que era o momento de mudar a sorte da família e ter o próprio negócio. Missoshiro (R$ 11,00), ou sopa de soja, é uma das entradas clássicas. Feito com peixes e legumes na chapa, o teppan yaki (R$ 62,00) é suficiente para duas pessoas. Na lista dos pratos frios, há quatro tipos de combinado servidos na barca. O mais pedido é o naka simples (R$ 115,00, cinquenta peças), com opções de sushis, sashimis e makis de peixes como atum e salmão, mais camarão. A dose do saquê nacional sai por R$ 17,00, enquanto o importado só pode ser consumido se for comprada a garrafa inteira (R$ 100,00, com 720 mililitros). De terça a sexta, é oferecido almoço executivo (R$ 50,00 por pessoa), com sushis, makis, sopa de soja, arroz branco e outras três guarnições do dia, além de peixe grelhado ou legumes com camarão.

Rua Gonçalves Dias, 92, Funcionários, ☎ 3287-2714 (90 lugares). 11h/14h e 18h/0h (sáb. almoço até 14h30; dom. 11h/15h e 18h/23h30; fecha seg.). Cc: todos. Cd: todos. ⑥ (sob consulta). Aberto em 1987. $$

Odin
(Foto: Redação VejaBH)

A gerente Gabriela Nakao: neta do fundador

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE