Veja BH recomenda

O melhor da semana: 07 de outubro

- Atualizado em

Divulgação
(Foto: Redação VejaBH)

Domingo, 7 de outubro ✪✪✪ VELÓRIO À BRASILEIRA, de Aziz Bajur. Uma pequena nota publicada no jornal sobre um bilhete de loteria premiado que havia sumido serviu de inspiração para um dos espetáculos mais montados em todo o Brasil. Velório à Brasileira, do premiado dramaturgo mineiro, acaba de completar trinta anos em cartaz. De todas as encenações, chama atenção a dirigida por Pádua Teixeira, de volta aos palcos da capital depois de uma curta temporada em agosto. A história de familiares e amigos de um funcionário público que, em seu enterro, descobrem a existência de um bilhete premiado e resolvem, a todo custo, encontrá-lo é contada com um humor genuíno, sem afetação. A montagem é favorecida pela atuação de um elenco experiente e entrosado. Embora, na ocasião, três dos sete atores não façam parte do time principal, a comédia não perde o fôlego. Principalmente pela influência de Geraldo Peninha, como Pé, amigo do defunto e um dos ganhadores da loto, Beth Grandi, que interpreta a viúva Zélia, e Cidah Viana. Na pele de Biga, a vizinha fofoqueira, esperta e maliciosa, ainda que simpática, a atriz garante boas gargalhadas durante toda a apresentação (75min). Livre. Estreou em 14/5/2010. Teatro Nossa Senhora das Dores (219 lugares). Avenida Francisco Sales, 77, Floresta, ☎ 3226-9459. Sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 30,00/Postos Sinparc, R$ 12,00. A bilheteria abre uma hora antes. Até este domingo (30).

Leia mais:Consagrada comédia de Aziz Bajur, Velório à Brasileira estende temporada em Belo Horizonte

ENCONTRO DE CARROS ANTIGOS. Em torno de quarenta carros antigos participam da reunião, que expõe veículos com trinta anos de fabricação. Shopping Estação BH. ☎ 3118-9901. Neste domingo (30), 11h às 14h. Grátis.

OS HOMENS QUEREM CASAR E AS MULHERES QUEREM SEXO, de Carlos Simões. Jonas, interpretado por Marcelo Ricco, não vê a hora de casar. Explorando a inversão de papéis, o autor da comédia traz à tona o lado feminino do personagem na busca pela mulher perfeita, brincando, por exemplo, com a assiduidade em casamentos e a briga na hora de pegar o buquê. Direção de Carlos Nunes (70min). 14 anos. Estreou em 13/05/2010. Teatro Santo Agostinho (368 lugares). Rua Aimorés, 2679, Santo Agostinho, ☎ 2125-6810. Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h. R$ 40,00 / Postos Sinparc, R$ 15,00. Bilheteria: a partir das 16h (ter. a sex.); a partir de 15h (sáb. e dom.). Até dia 7. Reestreia prometida para sexta (5).

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE