Veja BH recomenda

O melhor da semana: 15 de novembro

- Atualizado em

Quinta, 15 de novembro Última semana FAD — FESTIVAL DE ARTE DIGITAL. Um dos galpões da Funarte abriga até o dia 16 a FAD Galeria, que conta com dez instalações audiovisuais. Uma equipe de monitores do festival fica à disposição dos visitantes para explicar as propostas dos artistas e a maneira de interagir com as obras. Na instalação Homem Chocalho, o espectador vê crescer uma barriga virtual dentro da projeção de sua silhueta — metáfora para o consumo exagerado de alimentos incentivado pela publicidade. Outra dica é a obra Tímido. Uma máquina que emite várias luzes e sons silencia quando percebe movimentos de uma pessoa. O visitante só vai voltar a ver o funcionamento do sistema se ficar imóvel e em silêncio. Funarte. Rua Januária, 68, Floresta, ☎ 3213-7112. Terça a sábado, 10h às 18h; domingo e feriado, 14h às 20h. Grátis. Até sexta (16).

✪✪✪✪ MORTE E VIDA SEVERINA, de João Cabral de Melo Neto. O retirante Severino, interpretado por Tiago Colombini no musical, é um nordestino desesperançado. Acometido pelas secas e pelas precárias e insustentáveis condições de vida do sertão paraibano, ele parte em direção ao litoral em busca da sobrevivência. Lançada pelo Teatro da Universidade Católica de São Paulo (Tuca), em 1965, e consagrada no Festival de Nancy, na França, a peça, inspirada no auto de Natal de João Cabral de Melo Neto, ganha nova roupagem nas mãos de Pedro Paulo Cava, um dos diretores mais expressivos do teatro mineiro. Cava projeta no cenário imagens do artista plástico Candido Portinari, com destaque para a série Retirantes. Ao todo, 58 quadros se alternam sobre uma tela, da qual saem os atores. A impressão é que eles emergem dos painéis, e o brilho da luz só embeleza e intensifica a dramaticidade do enredo. Representando os mais de cinquenta personagens do poema, os quinze atores transitam sem aparente esforço no papel de músicos e cantores. Atração à parte, o violeiro cego Evaldo Nogueira executa com precisão e virtuosismo a trilha sonora, criada originalmente por Chico Buarque e com composições de Luiz Gonzaga, Edu Lobo e Geraldo Vandré. Direção de Pedro Paulo Cava (90min). 12 anos. Estreou em 28/9/2011. Teatro da Cidade (173 lugares). Rua da Bahia, 1341, Centro, ☎ 3273-1050. Quinta a sábado, 20h30; domingo, 19h. Quinta e sexta, R$ 30,00; sábado e domingo, R$ 40,00 / Postos Sinparc: Quinta e sexta, R$ 12,00; sábado e domingo, R$ 15,00. Bilheteria: 14h/19h (ter. e qua.); a partir das 14h (qui. e sex.); a partir das 16h (sáb. e dom.). Até 9 de dezembro.

Fonte: VEJA BELO HORIZONTE